sábado, 21 de janeiro de 2017

Nova penitenciária é inaugurada em Maceió sob gestão temporária da PM

Pronta desde 2015, unidade ainda não tem empresa para administrá-la.Até que licitação seja concluída, PM fará a custódia dos presos, diz Seris.
Policiais militares vão fazer temporariamente a custódia dos presos na nova PSM, em Maceió (Foto: Hágata Christye/G1)
Presos começam a ser transferidos para a nova PSM (Foto: Hágata Christye/G1)
A nova Penitenciária de Segurança Máxima (PSM) de Alagoas que estava pronta desde 2015passa a funcionar definitivamente nesta sexta-feira (20). A inauguração em caráter excepcional foi confirmada pela Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão (Seris).

Por enquanto, a Polícia Militar fará a custódia dos presos na nova PSM por um prazo inicial de 60 dias. A medida, segundo a Seris, deve durar o tempo necessário para o processo licitatório da empresa que fará a gestão da unidade, que estava fechada até então por falta de gestora.

Inicialmente, a nova PSM recebeu 251 presos que cumpriam pena nos presídios Baldomero Cavalcanti de Oliveira e no Cyridião Durval e Silva.

A transferência começou a ser feita no fim desta manhã, por militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Radiopatrulha (RP) e Batalhão Aéreo, sob comando do coronel Neyvaldo, do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGD).

Essa decisão foi tomada em meio a diversas ações de transferência e remanejamento de presos para evitar que houvesse confrontos entre eles, já que o país enfrenta uma grave crise no sistema carcerário, com rebeliões e mortes registradas em vários estados, inclusive em Alagoas.

A nova PSM custou creca de R$ 40 milhões e foi financiada pelo governo do estado. Até então, estavam sem uso as 700 vagas da unidade, mas no domingo (15), 240 presos que cumpriam pena no Baldomero Cavalcanti foram levados para a nova PSM. No dia seguinte, eles foram transferidos para o Presídio do Agreste.
Agentes do presídio auxiliam na transferência de presos para a nova PSM, no Complexo Penitenciário em Maceió (Foto: Hágata Christye/G1)

Fonte: http://g1.globo.com/