segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

COMBATA O TRÁFICO DE DROGAS: DENUNCIE !


Mãe se nega a ir ao DP e menor detido 
com drogas vai para a Fundação Casa

Um adolescente de 15 anos foi apreendido após ter sido flagrado com diversas porções de drogas, na noite de domingo (8), em Jundiaí (SP). De acordo com informações registradas pela Polícia Militar em boletim de ocorrência, o suspeito foi visto em cima do telhado de uma casa conhecida por ser ponto de tráfico, na Avenida Humberto Cereser, e tentou fugir depois que notou a viatura da PM.

O menor desceu do telhado e teria tentado fugir pulando em outras casas, mas foi abordado pela PM em seguida. Ainda segundo o boletim de ocorrência, um saco com os entorpecentes foi encontrado na cueca do menor durante abordagem.

Ao todo, foram apreendidas oito porções de LSD, cumprimidos de ecstasy, 44 frascos de lança-perfume, 30 porções de crack, 81 tubos de cocaína, oito porções de maconha.

Ao ser levado à delegacia, a mãe do menor alegou aos policiais que se negava a comparecer ao local e pediu para que o filho fosse encaminhado à Fundação Casa. O adolescente foi apreendido e levado para uma cela especial do Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista (SP) até ser transferido para uma unidade de acolhimento de adolescentes infratores da região.

Fatos como o supra citado tem sido cada vez mais comuns nas delegacias de Policia de todo o Brasil. Na cidade de Timon não tem sido diferente. Adolescentes envolvidos no mundo do crime, usuários ou traficantes terminam sendo conduzidos para a delegacia pela PM para as providencias legais cabíveis. E o que nos tem chamado cada vez a atenção é que os responsáveis legais tem se negado a comparecer a delegacia quase sempre afirmando não desejar mais o adolescente em casa diante da ausência de "poder" sobre o filho que chega e sai de casa na hora que quer, já possui grupo de amizades formado no mundo do crime e promove todo tipo de desassossego no âmbito familiar. Ao contrário daquelas que visivelmente demonstram desgosto suficiente para justificar o abandono e o desamor ao filho, há também àquelas que em nome de um amor incondicional e na esperança de ressocialização do filho, o entregam a policia. E é em meio a esse quadro horrendo de criminalidade crescente que envolve cada vez mais jovens que mães e pais se dividem, uns afirmando preferir ver os filhos presos a mortos pela policia ou por comparsas; outros, mortos a inseridos no mundo da criminalidade. Para cada ocorrência dessa natureza sempre me faço a mesma pergunta: onde estavam esses pais quando esses meninos passaram a viver a rua e a nela habitar com tudo que de pior ela tem? Nem tudo é caso de policia, e esta, em tempo algum educará filho de ninguém, afinal, seu papel é outro. Não seja gente boa com quem pode destruir sua família. Denuncie o tráfico e coloque esses criminosos na cadeia.