sábado, 3 de dezembro de 2016

Cresce número de famílias sem filhos no RS; índice chega a 34%, diz IBGE

Uma pesquisa aponta que 34% das famílias gaúchas não possuem filhos, o que deixa o Rio Grande do Sul como o estado onde é a situação é mais frequente. Santa Catarina fica na retaguarda, com 33,5%, enquanto que o estado do Amazonas tem o menor índice de famílias sem filhos (21,8%). Os dados são de 2015 e constam na Síntese de Indicadores Sociais 2016, divulgada nesta sexta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

De acordo com o IBGE, as mudanças nas configurações nas famílias têm como alguns dos fatores "o aumento da esperança de vida, o declínio da fecundidade, a migração para áreas urbanas, o aumento da escolaridade e da inserção das mulheres no mundo do trabalho, a atualização na legislação sobre divórcio, separação, união estável e casamento entre pessoas do mesmo sexo".

Na Região Sul, 32,5% das famílias pesquisadas relataram não ter filhos enquanto que, no Brasil, ficou em 28,5%. No Rio Grande do Sul, foram consultadas 3.515 famílias enquanto que, em todo o país, foram mais de 60 mil. Desde 2011, o Estado aparece como o lugar no país onde mais se registra a ausência de filhos.

Nos últimos dez anos, o arranjo familiar formado por casal sem filho se tornou no estado o segundo em participação. Só perde para famílias com uma única criança. Em 2015 e 2014, o índice ficou em 39,5%, enquanto que em 2004 estava em 24,6%. 

Ao se analisar os dados dos últimos dez anos, é possível perceber uma redução no tamanho das famílias gaúchas. Em 2004, 13,1% dos pesquisados relataram ter três ou mais filhos. Já em 2015, caiu para 6,9%. Há dez anos, 24,6% das famílias tinham dois filhos mas, em 2015, passou para 19,6%.

Para a pesquisa, o IBGE determinou como família "integrantes, residentes em um mesmo domicílio, ligados por laços de parentesco, em grau específico, por meio de sangue, adoção ou casamento".

http://g1.globo.com/rs