sexta-feira, 4 de novembro de 2016

FORÇA TAREFA PARA CONTER ATAQUES A BANCOS EM PERNAMBUCO

O chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Antônio Barros, se reuniu na tarde desta quinta-feira (3) com os delegados convocados para investigar as quadrilhas especializadas em ataques a bancos com explosivos que atuam no estado. Os sete delegados que irão compor uma ação integrada entre todas as regiões de Pernambuco estiveram juntos na sede do Departamento de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio (Depatri), em Afogados, Zona Oeste do Recife. 

“Todos eles vão trabalhar numa única estratégia, alinhando todas as informações e tendo um suporte único da inteligência para que os delegados possam interagir com as suas informações e serem muito mais eficientes com o dado que vai ser trabalhado”, explicou o chefe de polícia.

De acordo com Antônio Barros, os três titulares das Delegacias de Roubos e Furtos vão atuar na capital, na Região Metropolitana do Recife e em parte da Zona da Mata. A região Agreste será responsabilidade de dois delegados que vão atuar da áreas integradas de segurança (AIS) 14 à 18, localizadas na região citada. Por fim, outros dois delegados cuidam do Sertão.

A força-tarefa envolve a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil e o Centro Integrado de Inteligência de Defesa Social, agência central de inteligência da Secretaria de Defesa Social (SDS). Para Antônio Barros, o grande desafio a ser enfrentado pela equipe é o carácter interestadual das quadrilhas especializadas em assaltos a banco.

“Muitas quadrilhas que vêm atuando aqui no estado são de fora do estado. Elas vêm de estados vizinhos e, muitas vezes, vem até da região Sul do país. Então é um trabalho realmente grande, como a responsabilidade dessas equipe para poder trabalhar com esse foco e, obviamente, não tem condições de desenvolver um trabalho à altura do enfrentamento se não houver um suporte de inteligência”, conclui.

Fonte: http://g1.globo.com/