sábado, 12 de novembro de 2016

Em Belém, público poderá visualizar Superlua no planetário


Na próxima segunda-feira (14), a Lua ficará 27.891 quilômetros mais perto da Terra do que o normal. É a menor distância a separar nosso planeta do satélite natural em mais de seis décadas, o que promete um verdadeiro espetáculo para observadores. Surfistas também poderão contar com ondas maiores que o normal no mundo todo.

Para dar aos moradores de Belém a oportunidade de melhor percepção do fenômeno da Superlua, o Planetário e Centro de Ciências da Universidade do Estado do Pará (Uepa) abre as portas das 18h às 22h desta segunda-feira (14), colocando os telescópios à disposição do público de forma gratuita.

“Essa não é apenas uma Superlua, e sim uma ‘super Superlua’. Além de a lua estar mais perto da Terra, a Terra estará mais próxima do sol, fazendo com que haja um aumento no tamanho da lua avistada no céu e também no brilho”, explica o técnico em Física do Planetário, Victtor Takeshi.

A distância média entre a Terra e a lua é de 384.403 quilômetros. Assim como os planetas descrevem uma trajetória elíptica ao redor do sol, a lua descreve a mesma trajetória ao redor da terra. Nesse caso, quando o satélite natural se localiza no ponto mais próximo da terra (perigeu), na fase cheia, a 347 mil quilômetros, ocorre a Superlua regular. Ou seja, o fenômeno acontece quando a lua está completamente iluminada pelos raios solares na menor distância possível do planeta Terra. A coincidência que marca a próxima Superlua é a de que a Terra também se encontrará mais perto do sol.

A atividade no Planetário começa às 18h, com uma demonstração feita por Takeshi, para explicar o fenômeno do ponto de vista físico para os presentes. A observação da lua terá início às 19h, quando as pessoas poderão ver a Superlua em três telescópios. A programação é gratuita. O Planetário e Centro de Ciências do Pará fica localizado na avenida Augusto Montenegro, próximo ao Mangueirão.

Fonte: http://g1.globo.com/