domingo, 7 de agosto de 2016

No ACRE, mais de 300 policiais são investigados por corregedorias

 Denúncia principal na PM é de abuso de autoridade, diz corregedora.

As corregedorias das polícias Civil e Militar, juntas, somam investigações contra 339 policiais no Acre. Os dados foram passados pelos órgãos e equivalem aos processos que ainda estão em andamento e outros que também já foram solucionados. A PM apura denúncias contra 259 policiais, e a Civil contabiliza 80 processos administrativos em andamento.

Fora os processos administrativos, o comando da PM também abriu 16 inquéritos policiais. "Em todas as denúncias são abertas sindicâncias e, ao final, o oficial que faz a investigação tem de 20 até, no máximo, 40 dias para concluir", explica a corregedora da Polícia Militar no Acre, coronel Maria Perpétua.

Ao analisar o relatório, se houver crime, o caso é encaminhado para o Judiciário e, se não, a sindicância é arquivada. Caso a PM entenda que houve uma transgressão disciplinar, o policial pode ser advertido ou até mesmo preso.

Abuso de autoridade lidera ranking

A reclamação que lidera o ranking é de abuso de autoridade, segundo informou a corregedora. "As denúncias maiores são em relação a abordagem policial. As pessoas dizem que o policial extrapolou na abordagem. Em segundo lugar, é lesão corporal, que seriam as agressões", explica a Maria Perpétua.

Porém, a corregedora destaca que muitas vezes não é confirmada a agressão, pois, por ser o policiamento ostensivo, a abordagem é um dos momentos mais delicados do trabalho dos policiais.

"Lógico que a pessoa não quer ser presa e quando resiste à prisão, há necessidade dos policiais segurarem. Reclamam que o policial puxa o braço muito forte. A abordagem para a gente é um dos momentos mais duros para os policiais militares, porque vivemos uma insegurança grande e tem que decidir no momento o que vai ser feito", argumenta.

Polícia Civil

Ao todo, sem estipular os anos de cada denúncia e nem o total delas, a Corregedoria da Polícia Civil apura 80 processos administrativos que ainda estão em curso. De acordo com o corregedor do órgão, Josemar Portes, não é possível precisar que reclamação é mais recorrente. Mas, vão desde acumulação de cargos até abuso de autoridade.

"A corregedoria tem função de apurar infrações criminais e administrativas praticadas por integrantes da Polícia Civil. Avaliamos qual o grau, a transgressão disciplinar e verificamos o que é previsto em lei. A punição vai desde advertência, demissão e até cassação da aposentadoria", finaliza.

Fonte: http://g1.globo.com/