quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

ESTADO AUSENTE

Delegado que investiga grupo de extermínio diz que estado foi ausente


Durante uma coletiva realizada para a imprensa, na sede da Polícia Federal, em Aracaju, sobre a Operação Poço Vermelho, que investiga a participação de pessoas suspeitas de integrar um grupo de extermínio na cidade Poço Verde, a 185 Km de Aracaju, o delegado da PF, Milton Rodrigues aproveitou também para destacar detalhes sobre o inquérito instaurado para investigar a morte do ex-presidiário, João Augusto Aurelino Batista, morto em 15 de outubro após ter supostamente reagido a uma abordagem policial na cidade.

Segundo o delegado, a polícia estava realizando investigações sobre um grupo de extermínio em Poço Verde, quando o crime contra ao ex-presidiário aconteceu e por isso, um outro inquérito foi aberto para saber se assassinato tem alguma relação com os milicianos que agem na região.

“O assassinato tem indícios de execução sumária. Mas temos a obrigação de verificar da mesma maneira que investigamos a milícia”, disse o delegado.

Ele informou ainda que outro fato relacionado à morte do ex-presidiário está sendo investigado. “Uma pessoa foi presa portando uma arma durante a operação da Policia Civil e uma outra está sendo investigada”.

De acordo com Milton Rodrigues, a ausência do estado resultou no fortalecimento da milícia. “O Ministério Público pediu reforço policial para a cidade em virtude das várias mortes registradas no local, mas o estado foi ausente. E a milícia se fortaleceu passando a falsa imagem de segurança para a população”.

A Secretária de Segurança Pública diz que não vai se manifestar sobre as declarações do delegado.

Fonte

ESTADO AUSENTE, MILÍCIA FORTALECIDA