quinta-feira, 20 de novembro de 2014

POLICIA CIVIL DO MARANHÃO REALIZA RECONSTITUIÇÃO DO CASO DO ADVOGADO BRUNNO MATOS

Bruno Matos - vitima
Foi realizada, na madrugada desta quarta-feira (19), a reconstituição do crime que resultou na morte do advogado Brunno Matos, em outubro, na Rua dos Magistrados, no bairro do Olho d’Água. Sob comando dos peritos do Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim), em conjunto com delegados do Departamento de Homicídios e do Habitacional Turu, responsáveis pelo caso, a ação contou com a presença dos acusados e das demais vítimas do caso.  O primeiro a reproduzir sua versão dos fatos da noite do crime foi Alexandre Soares, irmão do advogado Brunno Matos que, também, sofreu um golpe de faca no abdômen. Em seguida, foi a vez dos acusados, Carlos Humberto Marão, e o vigilante do local João José Nascimento Gomes. Marão negou ter desferido golpes contra as vítimas, enquanto o vigia novamente confirmou a autoria do golpe que atingiu as costas da terceira vítima Kelvin Shiyangue que, também, foi ouvido no local

Wesley Carvalho e Kelvin Shiyangue, testemunha e vítima, respectivamente, também foram ouvidos. Encerrando a simulação, Diego Polary, o terceiro indiciado, voltou a negar que estava presente na cena do crime, fato que é contestado por duas das vítimas. Alexandre aponta ainda ter sido Diego o responsável pelo golpe que o acertou. Foram quase cinco horas de trabalho para que toda a cena de reconstituição do crime fosse finalizada.

A arma do crime, que pertence ao vigia, está sendo periciada para identificação de DNA. Foram feitos ainda exames nas lesões das vítimas e corpo de delito, todos já encaminhados para a delegacia.

De acordo com o diretor do Icrim, Carlos Henrique Roxo, apenas a identidade do autor do golpe que vitimou o advogado Brunno Matos ainda está pendente.

O delegado Jeffrey Furtado, titular da Delegacia de Homicídios, ressaltou a importância da reconstituição da cena do crime para finalizar as investigações. “Após a reprodução simulada é possível saber o que não está encaixando e o que estava faltando no caso. É uma das últimas peças de análises da investigação”, explicou. Segundo ele, até o final da semana já deve ser encaminhado os autos à justiça.

Participaram como apoio da ação, cerca de trinta policias militares e agentes da Secretaria Municipal de trânsito e Transportes (SMTT), que auxiliaram no isolamento do local utilizado na reconstituição.