segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Adolescente tenta realizar assalto e acaba morto no Parque da Cidade

O estudante Carlos Henrique Alves da Silva, de 15 anos, foi assassinado a tiros após um assalto ocorrido neste domingo (16), no Parque da Cidade, zona Norte de Teresina. Segundo informações, o garoto saiu de casa na última sexta-feira (14), onde deu um forte abraço na mãe e na avó afirmando que poderia não voltar. Também se despediu dos seus amigos na escola onde estudava avisando que poderia morrer. Isso tudo porque Carlos que é morador do bairro Real Copagre, foi convidado por mais dois colegas a realizar um assalto, o jovem aceitou e os três abordaram um homem no Parque da Cidade no sábado. De acordo com testemunhas, esse homem era policial e efetuou disparos, os dois colegas conseguiram fugir mas o garoto de 15 anos por ser muito amador no mundo do crime acabou sendo baleado.
Carlos Henrique ainda chegou a ser levado para atendimento médico no HUT (Hospital de Urgência de Teresina), onde morreu logo no domingo (16). A avó do garoto, relatou que tem um neto de apenas 19 anos de idade que está preso por tráfico de drogas. O corpo do adolescente está sendo velado nesta segunda-feira (17), na casa da família.
Fonte: cidadeverde.com

Embora discorde da tese alardeada pelos defensores da redução da maioridade penal, de que a maioria dos crimes são praticados por menores de idade, não posso deixar de verificar a crescente participação de adolescentes e até mesmo de crianças no mundo do crime. Os crimes mais comuns são tráfico, roubo e receptação de objetos furtados/roubados. Como apenas em situações extremas, com autoria de morte violenta e roubos, os menores são aprendidos, nos casos menos grave os mesmos são entregues a família e encaminhados à Promotoria da Infância e Juventude, o que causa uma imensa sensação de impunidade nas vítimas.

Pra piorar, no entra e sai de menores na delegacia, o que constatamos é que o menor vai evoluindo. Em um primeiro crime pratica um furto, depois parte para a ameaça, roubo e acaba matando. Alguns já iniciam com prática de homicídios. 

Estamos vivenciando uma crise de valores sem igual, penso! A família está em crise. Os pais tem dificuldade de mostrar autoridade e impor valores sociais e morais. Os limites não se encontram estabelecidos. Tudo fora de ordem, e para completar, álcool, drogas e consumo desmensurado. Mesmo assim, não sou a favor da redução da maioridade penal não, pois não acredito que a criminalidade diminua e a sociedade fique mais segura em virtude da redução da maioridade penal