sexta-feira, 7 de novembro de 2014

FIM DA CASSADA: Acusado de chacina finalmente preso.

Imagens: Raoni Barbosa
Clewilson Vieira Matias, 34, anos, acusado de cometer a chacina de São Miguel do Tapuio (PI) da semana passada, foi apresentado em Teresina horas depois de ser preso nesta quinta-feira (6). Sem camisa, era possível ver em seu braço direito uma tatuagem de Osama Bin Laden, líder do grupo terrorista apontado como autor dos atentados de 11 de setembro de 2001, que mataram milhares de pessoas nos Estados Unidos. 

Osama bin Laden era líder do grupo terrorista Al-Qaeda, acusado de sequestrar quatro aviões e derrubar as torres do World Trade Center, em Nova Iorque. Os ataques mataram quase três mil pessoas. 

Após ser preso hoje, Clewilson declarou ao delegado Laércio Evangelista que pretendia matar 20 pessoas, e não apenas as cinco assassinadas no dia 31 de outubro. Depois de uma semana de fuga pela mata, ele foi encontrado em uma casa na zona urbana de São Miguel Tapuio. 

Passado criminoso
Em entrevista no Jornal Cidade Verde de hoje, o coronel Lindomar Castilho, comandante do policiamento militar do interior do Piauí, revelou ainda que Clewilson Matias já havia sido detido por policiais do Ceará em outra oportunidade. 

"Estive ontem no povoado e conversando com moradores disseram que a própria polícia do Ceará esteve lá e prendeu ele para averiguação", disse o coronel, citando que Clewilson teria sido levado para a cidade de Novo Oriente.

O suposto envolvimento de Clewilson com o tráfico de drogas teria sido um dos motivos que fizeram a população temer denunciar o assassino. O outro seria o fato de "Chiê", como também é conhecido, ser tido como um líder em sua região. 

Ao falar com a imprensa em Teresina, o acusado negou ter sido preso e desafiou que fosse averiguada sua ficha policial. 

O acusado da chacina foi encontrado em uma casa na zona urbana de São Miguel do Tapuio com outros dois homens, que ainda serão investigados pela polícia. Pai e filho teriam dito que são vítimas de Chiê e não davam cobertura ao mesmo. Já o delegado Laércio Rodrigues afirmou que os dois terão de responder por favorecimento pessoal.

FONTE