quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Adolescente denuncia pai que a estuprava desde os 15 anos


DESDE QUE OS ABUSOS COMEÇARAM ENGRAVIDOU DUAS VEZES 

Abusada pelo pai durante quase dois anos, uma garota de 17 anos, que mora em balneário de Ipanema, Pontal do Paraná, no litoral do estado, denunciou os estupros à polícia e o homem, de 44, foi preso na quarta-feira (29). Na semana passada, ela foi até a delegacia da cidade acompanhada de representantes do Conselho Tutelar e declarou aos investigadores que a filha dela, de um ano e dez meses, e o filho recém-nascido, eram frutos da relação incestuosa. Em seu depoimento, a adolescente disse que o pai ameaçava matar as duas irmãs mais ovas, de 13 e 14 anos, caso ela não permitisse os abusos.

“Ela nos contou que era abusada toda semana desde que completou 15 anos. Mesmo quando ficou grávida pela primeira vez, o pai teria continuado cometendo os estupros, inclusive durante o período de gestação. Depois de ter a menina, veio o garotinho, que nasceu há um mês. Ela afirma que os dois bebês são filhos do pai dela”, declarou o delegado Nilson Santos Diniz, da delegacia de Pontal do Paraná.

A coleta do material genético do homem, para ser confrontado com os das duas crianças foi feita logo após a prisão. O laudo de reconhecimento de paternidade deve sair em 30 dias, segundo a polícia. “Mesmo que as crianças não sejam filhas dele, já foi autuado por estupro. Ele confessou que abusava da filha, mas alegou que sempre estava alcoolizado quando fazia. Por isso, disse não saber se cometia os estupros mediante ameaças”, explicou Nilson. 

Conforme o delegado, mesmo recebendo a denúncia na semana passada, ficou impedido de fazer a prisão por causa do período eleitoral. “No início desta semana, quando os policiais chegaram até a casa da família para prendê-lo, ele estava deitado na cama com outra filha”, comentou.

Ainda de acordo com o delegado, a filha mais velha disse que a mãe sabia sobre os estupros, mas não fazia nada. “Quando ficou grávida pela primeira vez, ela procurou a mãe e tentou abrir os olhos dela, mas sem efeito”. A garota, os dois filhos e as irmãs foram encaminhados para um abrigo.