terça-feira, 2 de setembro de 2014

POLÍCIA DESARTICULA ESQUEMA CRIMINOSO DE FURTO DE COMBUSTÍVEL EM AÇAILÂNDIA

Uma ação da 9a Delegacia Regional de Açailândia, coordenada pelo delegado Murilo Lapenda, resultou na prisão em flagrante de duas pessoas, na última segunda-feira (25), naquele município, em decorrência de furto de combustível. Foram presos Ismael Rocha Cândido e Ricardo dos Santos Gomes.

Com base em denúncias da Vale do Rio Doce, a polícia abriu o inquérito para investigar um esquema criminoso de furto de combustível ocasionada pelos próprios funcionários. A dupla agia dentro de um pátio, onde as locomotivas ficam estacionadas e ainda funciona uma bomba de combustível para abastecimento das mesmas.

De acordo com informações da polícia, as locomotivas têm capacidade para 18 mil litros, mas recebia apenas 12 mil litros. O restante do produto era repassado para um caminhão tanque, que também é de propriedade da Vale. Desta forma, o produto seguia para uma residência, no Povoado Trecho Seco, onde era despejado em recipientes grandes revendido para caminhoneiros que passavam pelo local.

Ismael Rocha Cândido realizava o transporte do combustível e Ricardo dos Santos Gomes repassava o produto. Na ação policial. Foram apreendidos 30 mil litros de combustível, recipientes e bombas utilizados na comercialização ilegal do produto. 

A dupla foi conduzida para a Delegacia Regional de Açailândia, onde foi autuada em flagrante pelos crimes de furto qualificado e comércio irregular. Em seguida, os acusados foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória, permanecendo à disposição da Justiça.

De acordo com o delegado Murilo Lapenda, após a prisão da dupla, outro comparsa identificado como Arthur Santos se apresentou na unidade policial para prestar depoimento, sendo liberado em seguida.

O delegado informou, ainda, que já representou perante a Comarca de Açailândia o pedido de prisão de Arthur Santos e de Rosiel Rocha, apontado como proprietário da residência, onde o combustível furtado permanecia.

Para o delegado, a prisão da dupla representa mais uma ação realizada em favor da sociedade, “Este tipo de crime não afeta somente empresário e a sociedade em geral, é também uma agressão ao meio ambiente, que precisa ser repreendida”, frisou.