sábado, 6 de setembro de 2014

OPERAÇÃO BRASIL INTEGRADO COMBATE ASSALTOS A BANCOS NO MARANHÃO


Foi apresentado, na manhã desta sexta feira (5), na Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), o resultado da operação denominada de Brasil Integrado: Ação Nordeste, que foi deflagrada na madrugada de terça feira (2), pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Presentes o subdelegado geral da Polícia Civil, Augusto Barros Neto; o delegado da Polícia Federal, Max Ribeiro; e o representante da Senasp, Carlos Henrique Garcia.

Participaram das ações, as Polícias Federal, Civil, Militar, Rodoviária Federal, o Corpo de Bombeiros Militar, o Grupo Tático Aéreo (GTA) e o Exército Brasileiro. Ao todo, 411 policiais integraram as forças de Segurança durante a operação que durou cerca três dias, em São Luís e nas cidades de Buriticupu, Arame e Grajaú, interior do estado.

De terça feira (2), até quinta (3), foram montadas 24 barreiras e bloqueios policiais; cumpridos sete mandados de prisão e de busca e apreensão; 6.048 abordagens a pessoas, carros, motocicletas, ônibus e caminhões; apreendidas 29.150 porções de entorpecentes entre maconha crack e cocaína; 119 apreensões de armas de fogo, munições, veículos e explosivos; 29 pessoas detidas e 25 fiscalizações de explosivos e produtos correlatos.

O Brasil Integrado tem o objetivo de promover ações de segurança pública em todos os estados da federação. Em cada região do país terá um alvo de incidência criminosa específica. No Nordeste, o foco será o combate a Roubos a Instituições Financeiras em toda sua modalidade, assim como explosivos clandestinos que são utilizados em assaltos a bancos.

Durante a operação, informou Augusto Barros, o Exército Brasileiro fiscalizou mineradoras e possíveis minas clandestinas que fabricam explosivos e as Polícias Federal e Civil realizaram abordagens e cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão. Ainda, segundo Augusto Barros, as Polícias Militar e Rodoviária Federal montaram diversas barreiras nas principais Rodovias, que ligam as cidades do Maranhão, com intuito de reprimir ações criminosas em locais específicos.

Para Augusto Barros, a Operação Brasil Integrado facilita o fluxo de informações entre as forças de Segurança do estado atendendo a troca de informações. O delegado destacou, ainda, que esse sistema é um novo modelo conceituado pelo Governo Federal e que vai ajudar nos trabalhos policiais. “Foram três dias de operações intensas e eficazes, uma vez que a Polícia obteve bons resultados”, disse.

O coordenador de Operações Integradas do Maranhão, delegado Max Ribeiro, da Polícia Federal, disse que o ponto focal da operação é organizar e realizar planejamentos estratégicos que englobem todos os estados aumentando assim, a eficiência do combate ao crime organizado em todo o nordeste.

“O Brasil integrado, como o nome já diz, é a união das forças de segurança que abrange um sistema único para otimizar os trabalhos policiais e de fiscalização. Com essa integração, o mundo do crime enfraquece cada vez mais, principalmente, quando há ações periódicas”, frisou o delegado.

De acordo com Carlos Henrique da Senasp, a operação culminou em um planejamento mais rigoroso enfocando, também, a união das forças de segurança. 

No estado, a Comissão Integrada Estadual de Segurança Pública (Ciesp) Maranhão, que tem como presidente o assessor Especial da Secretaria de Estado de Segurança Publica (SSP), Daniel Brandão.

O Ciesp conta, também, com a participação do secretário de Estado de Segurança Pública, Marcos Affonso; do subdelegado Geral da Polícia Civil, Augusto Barros Neto; do superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Raimundo de Castro Feitosa; do diretor do Serviço de Inteligência da Polícia Militar, coronel José de Ribamar Silva Carvalho; o delegado da Polícia Federal, Max Eduardo Alves Ribeiro; o major do 24° Batalhão de Caçadores, Cesare Beccaria Moreira de Oliveira; do secretário Adjunto de inteligência e Assuntos Estratégicos, Laércio Gomes Costa.

Fonte: https://www.ssp.ma.gov.br