sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Juiz diz que 200 mil mandados de prisão não foram cumpridos no país


Após críticas aos juízes feitas pelo Sindicato dos Delegados da Polícia Civil de Carreira do Piauí (Sindepol) de que a polícia prende os bandidos, mas os magistrados os soltam, juiz auxiliar da Corregedoria do Tribunal de Justiça, partiu em defesa de sua categoria. Ele afirmou que também há problemas na Polícia Civil e pediu que não haja troca de acusações, já que, em sua opinião, o judiciário está apenas realizando o seu papel. 

"Na visão da Corregedoria, os juízes são independentes para que, em cada caso concreto, avaliem se há ou não requisitos para que o suspeito preso em flagrante, permaneça preso. Se o juiz, ao se deparar com o flagrante, conclui que o acusado deve responder ao processo em liberdade, age dentro daquilo que a Constituição Federal lhe assegurou", defendeu. 

"Airton afirmou ainda que, a corregedoria ainda não recebeu formalmente qualquer tipo de reclamação quanto a isto. "Não temos representação de delegado ou de entidade representativa acusando juízes de soltar presos, mandeira indevida", assegura. 

O juiz auxiliar também afirma que há uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no Congresso Nacional na qual, caso um suspeito de crime tenha a sua sentença em primeiro grau confirmada no segundo, ele deve rescorrer executando a pena que lhe foi aplicada. "Esse é um problema da lei", analisa Airton. 

"No Brasil, são 500 mil presos e 200 mil mandados de prisão que não são cumpridos pela polícia. Não resolveremos o problema se ficarmos atribuídos culpa a um ou a outro. Esta culpa, tenho certeza, que os juízes do Piauí não têm", bradou.

Imbróglio
De acordo com dados da Polícia Civil mais de 2.400 pessoas já foram presas em Teresina somente nesses primeiros oito meses de 2014. O Sindicato dos Delegados da Polícia Civil de Carreira do Piauí (Sindepol) denunciou que criminosos perigosos estão conseguindo a liberdade cada vez mais rápido. O vice-presidente do Sindepol, Odilo Sena, denuncia que está havendo uma soltura indiscriminada de presos. Ele lembrou dois casos recentes ocorridos em Teresina: o do segurança Francisco Costa, surpreendido dentro de um supermercado, cujo acusado já está em liberdade, e outro caso seria o do traficante Fabrício Renée, preso com 485kg de maconha e 30 kg de cocaína, que foi posto em liberdade e voltou a cometer crimes.

Fonte: http://cidadeverde.com/