domingo, 13 de julho de 2014

Polícia prende quadrilha que falsificava talões da Eletrobrás em Parnaíba

PARNAIBA(PI) - Após denúncia, o serviço reservado do 2º Batalhão da Polícia Militar de Parnaíba, predeu dois suspeitos de estelionato no bairro Pindorama na tarde desta sexta-feira (11). Os suspeitos faziam parte de uma quadrilha que vinha praticando golpes a, aproximadamente, quatro meses na região de Parnaíba. 

"Fomos verificar uma denúncia. Quando chegamos ao local e eles perceberam que nós não éramos quem eles estavam esperando, tentaram se esconder. Mesmo assim, conseguimos efetuar a prisão dos dois suspeitos", informou o major Costa Lima, comandante do 2º Batalhão. 

Segundo informações do comando da PM, pelo menos cinco pessoas estão envolvidas nos golpes que vinham sendo aplicados nos estados do Piauí, Ceará e Maranhão. A dupla Francisco Figueira Magalhães, natural de Caxias (MA) e residente em Viçosa (CE), e Francisco Ururetama Barbosa Lima, natural de Teresina, foram presos em flagrante na residência alugada para servir de escritório para a quadrilha. 

No momento da prisão, foram apreendidos documentos pessoais (identidades, CPF e títulos de eleitor) de possíveis vítimas, fotos 3x4, cartões de créditos de várias bandeiras, talões de cheques, carnês de lojas, diversos chips telefônicos, documentos de carros em branco, impressoras e equipamentos que, de acordo com a PM, são provas das ações ilícitas praticadas por eles. 

Entre o material apreendido, chamou atenção da polícia um rolo de talões da Eletrobrás em branco, que eles usavam para forjar endereços, e ainda cartões de beneficiários do Bolsa Família e aponsentadoria. "Eles falsificavam de tudo para conseguir dar os golpes". Foi apreendida também uma moto comprada com documentação falsa. 

O comandante diz ainda que além de Parnaíba, eles teriam aplicado golpes na cidade de Piripiri. "Encontramos aparelhos de telefone fixo grampeados com o número da Prefeitura Municipal de Piripiri usados para conseguir informações pessoais das vítimas", explica. 

Os suspeitos contaram a polícia que se passavam por funcionários de bancos para conseguir informações e efetuar empréstimos. Além dos empréstimos, eles também usavam os dados pessoais das vítimas para realizar compras em lojas. "Achamos a nota fiscal de uma carrada de grãos comprada em uma cidade do Maranhão, assim como cheques em branco de uma prefeitura do mesmo estado. Pedimos que as empresas ou pessoas que reconhecem os suspeitos entrem em contato com a polícia para ajudar nas investigações".

Os suspeitos foram autuados em flagrante e estão agora a disposição da justiça. As polícias dos estados dos Ceará e Maranhão já foram acionadas para uma ação conjunta.
Fonte: http://cidadeverde.com/