terça-feira, 15 de julho de 2014

Polícia pede prisão preventiva de suspeita de sequestrar bebê, no Pará

Família celebrou volta de Ana Fernanda para casa e agora pede justiça. 
A polícia pediu, nesta terça-feira (15), a prisão preventiva da principal suspeita de ter sequestrado uma bebê de dois meses no bairro do Marco, em Belém, no último domingo (13). A mulher seria amiga da família. A criança foi encontrada em uma área de mata, às margens da BR-010, próximo ao município de São Miguel do Guamá, no nordeste paraense.

delegado Ronaldo Lopes
Segundo o delegado Ronaldo Lopes, que investiga o caso em São Miguel do Guamá, é preciso cautela na apuração do caso. “Ainda é muito cedo para se falar o motivo, a circunstância do crime. Nós temos que avançar na investigação. Foi instaurado o inquérito policial aqui em São Miguel do Guamá, a Polícia Civil também instaurou inquérito policial em Belém. Então são duas investigações que vão convergir com certeza para os autores do crime”.

Nesta terça-feira, os pais da bebê foram até a delegacia do Marco para prestar depoimento. Pedro Silva e Tamires Maia ainda se recuperam do trauma de ter a filha sequestrada de dentro da própria casa e retomar a rotina. A mãe se recupera da agressão que sofreu e conta, angustiada, como tudo aconteceu.

“Quando eu ia me levantar da rede, só vi quando me deram uma gravata, foi tudo muito rápido. Aí foi quando jogaram um líquido no meu rosto e eu não vi mais nada, a minha vista escureceu. Aí eu fiz força com ele, mesmo sem enxergar, ele me jogou no chão, me enforcando, aí eu desmaiei”, revela.

A criança foi encontrada na noite de domingo por um casal. Já na noite de segunda, os pais voltaram com o bebê para casa e foram recebidos com alegria pelos vizinhos.

A principal suspeita do crime ainda não foi localizada. As investigações apontam ainda participação de outras duas pessoas no crime. Ninguém foi preso até o momento.

"Suspeito que ela tenha pegado a nossa filha para mostrar para essa pessoa que tinha um filho dele. Como os familiares dele são do Maranhão, ela queria chegar com essa criança como se fosse dela, que teve aqui em Belém", disse o pai da neném, Pedro Silva.

Fonte: www.diarioonline.com.b