quinta-feira, 17 de julho de 2014

Justiça do PI suspende a eleição do Sinpolpi


O juiz de direito Sebastião Firmino Lima Filho, titular da 7ª Vara Cível de Teresina, julgou procedente Ação Ordinária com pedido de Antecipação de Tutela para suspender as eleições do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Piauí (SINPOLPI).
A ação foi movida por Gerson de Assis Sousa em face do sindicato por meio dos advogados Luciê Viana e Alex Noronha.
Segundo o juiz entendeu que na eleição do SINPOLPI há irregularidade e que estão acontecendo sem qualquer respaldo normativo, o que fere o Estatuto dos Policiais Civis do Estado do Piauí.
Dentre as irregularidades, estaria o fato de a comissão que comanda a eleição ser formada basicamente por membros do sindicato da atual gestão.
A eleição estava prevista para acontecer dia 08/08.
 Fonte: http://180graus.com/


Tomei conhecimento desta notícia ontem pela manhã. Como me encontrava de plantão e, também procurando entender melhor a motivação para esta ação que tem como desiderato a suspensão da eleição para o próximo dia 08.08.2014, esperei até agora para me manifestar sobre o assunto. Necessidade minha! Claro que para me posicionar contrária a essa provocação que analiso sem sentido, ou melhor, com sentido apenas de chamar atenção da categoria na sua pior forma. Ou será que alguém acredita que a verdade demora a aparecer quando ela existe? Ledo engano de quem assim crê. Muito cedo aprendi a dar crédito a um adágio popular que diz que a verdade sempre vem à tona. Só espero sinceramente que ela não tarde, para que sua morosidade não resultado no objetivo pretendido e que acredito seja criar confusão naqueles que de longe veem mas não enxergam a realidade como de fato ela é. Isto, porque indiferentes aos detalhes terminam vivendo uma realidade muito diferente da que de fato existe. Participei de uma eleição em dezembro de 2013 para presidência de um sindicato que me exauriu muita energia, pois vivi um processo absolutamente desconhecido e que me fez renascer como uma leoa, embora também seja verdade ter renascido mais amadurecida, cautelosa, desconfiada e desacreditada de muita gente e muitas coisas. Ainda me reconstruo naquele que digo, tenha sido um dos momentos de maior amadurecimento pessoal e profissional. Foi um momento de grande experiência que só quem vive sabe do que estou falando... De nada me arrependi! E do meio dessa guerra saí com um colorido, com um perfume e com uma emoção que só eu vejo e sinto! Ganhei família nova, novos irmãos que eu não conhecia pelo interior de um Estado que aprendi a amar na dor. Muitas críticas, ajuda escassa, poucos firmes e muitos portadores de uma postura natural para a maledicência e para o ataque a honra do seu seu próximo às vezes a custa de nada, sem o mínimo pudor. No começo sentimos, depois nos preparamos, embora preparados jamais estejamos. Essa exposição que poucos se dispõem a aceitar traz bônus, meus amigos, mas também ônus. Quem aceita um, ganha o outro. Ganhamos simpatia, amizade e confiança de quem nem conhecemos, por outro lado, despertamos a inimizade e as duras ofensas de que também não conhecemos e de quem pensávamos conhecer. E assim o jogo da vida vai se fazendo, ora ganhando, ora perdendo. É assim! Ora se alegrando, ora se entristecendo. Hoje, pouca importância e tempo disponho para desfazer uma imagem de mim criada que não consigo enxergar. E nenhum espanto me causa encontrar colegas que me cumprimentam dizendo: "não votei em você porque pensei que você era louca". "não votei em você porque pensei que era jogo seu para isso... para aquilo... ; Tranquila escuto de tudo, mas com minha consciência mais tranquila ainda digo que tudo valeu à pena! Ademais, acredito piamente que DEUS não erra nunca, nós é que temos dificuldade de entender seus desígnios. Mas, com o tempo, quando é do nosso desejo, aprendemos a enxergar os detalhes e neles verificar o que essencial se precisa saber para melhor decidir, escolher... A imperfeição faz parte da natureza humana; mas, melhor será se essa imperfeição for vivida em busca do melhor agir. Assim penso... Quanto aos conflitos e às divergências, se não motivadas pela má fé, são válidas e devem existir como combustível essencial às mudanças que precisam ser evitadas, também para àquelas que precisam acontecer. A todos que desejem realizar um trabalho de representação sindical desejo sentimento humano e dedicação honrosa ao compromisso assumido perante sua classe. Acima dos interesses pessoais e de grupos minoritários deve o trabalho ser pautado no compromisso assumido com a maioria. Boa sorte minha gente, só não posso dizer que tanto faz vencer um quanto outro grupo, porque assim não é! Tem diferença e muito!!! Mas, se preferirem vê a enxergar ...fiquem à vontade! 
Márcia GARDÊNIA, Escrivã de Polícia do Maranhão