quinta-feira, 17 de julho de 2014

Homicidas e estelionatários são detidos pela Polícia


SÃO LUÍS(MA) - Em entrevista coletiva, o subdelegado geral da Polícia Civil do Maranhão, Augusto Barros, apresentou, nesta quinta-feira (16), os suspeitos de cometer um homicídio contra uma idosa, na Vila Riod, em São Luís. São eles: Edson Soares Maramaldo, o Coelho, 28 anos; e Markus Vinicius Soares do Nascimento de 23 anos. Durante a coletiva foram apresentados, também, os sócios da empresa Sudbook, Ancleuton Holanda Dias de 28 anos, e Anderson de Jesus Silva Miranda, 20 anos, suspeito de estelionato, presos no estado do Pará.

Presentes na coletiva, o superintendente de Polícia Civil da Capital (SPCC), Leonardo Diniz; o adjunto da SPCC, Armando Pacheco; e o titular da Delegacia de Defraudações, Paulo Aguiar.

Segundo o delegado adjunto da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), Armando Pacheco, a prisão dos homicidas foi resultado de uma operação deflagrada pela SPCC e pelo Departamento de Narcóticos (Denarc), ocorrida, na terça-feira (15), com o objetivo de localizar e identificar os autores do crime hediondo.

Conforme explicou o delegado, no dia do crime, por volta das 19h, Edson e Maramaldo se dirigiram armados em um Palio prata, de placa NXC-3758, até a Vila Riod, a fim de executar um homem identificado como Thiago. Ao perceber a chegada dos elementos, Thiago empreendeu fuga e invadiu a casa de uma idosa. Na ocasião, os três trocam tiros. Um dos disparos alvejou a vítima na região da cabeça.

De posse das informações, a SPCC e Denarc deram início às diligências na tentativa de capturar os autores. A polícia recebeu uma denúncia que os suspeitos estavam no bairro Angelim. As equipes se deslocaram para o local, onde montaram campana e conseguiram prender a Edson e Maramaldo.

Durante a operação, os investigadores apreenderam, dentro do veículo, uma pistola israelense de calibre 9 mm, que teria sido utilizada no crime e cinco munições de calibre 38.

“Edson tem uma lista extensa de processos na Polícia. No dia 14 de maio, o homicida foi beneficiado com a saída temporária do Dia das Mães e não retornou. Ele tem, também, um mandado de prisão na 1ª Vara de Execuções Penais e participou da rebelião em Pinheiro que culminou com a morte de seis detentos. Na ocasião, participou da extorsão de familiares dos presos”, frisou Armando Pacheco.

Edson e Markus foram encaminhados para a sede da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), autuados por homicídio qualificado pelo delegado do Denarc, Cláudio Mendes.

Prisão dos sócios da empresa Sudbook

No dia 27 de junho, explicou o delegado da Delegacia de Defraudações, Paulo Aguiar, o presidente e o vice-presidente do Sudbook, Ancleuton e Anderson foram detidos, pelo Serviço de Inteligência da Policia Militar do Estado do Pará, em uma residência na cidade de Breu Branco, pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

Ao chegar à delegacia do município, a PM descobriu que, contra os sócios proprietários da rede social, tinham dois mandados de prisão preventiva expedidos pelo juiz José Gonçalo de Sousa Filho da 1ª Vara Criminal de São Luís, pelos crimes de formação de quadrilha, estelionato e crime contra a economia pública.

No ano de 2013, a empresa Sudbook, construiu a sua sede em São Luís, no intuito de realizar uma pirâmide financeira. O grupo realizava palestras com objetivo de convencer pessoas a investirem quantias que variavam de R$3 mil à R$ 20mil, com a promessa de que o dinheiro seria aplicado na bolsa de valores, com retorno de R$ 60mil.

O golpe foi detectado no dia 9 de janeiro de 2014, depois que um grupo de investidores invadiu a sede e constatou que o imóvel estava vazio. Desde então eles não conseguiram mais contato com os responsáveis pelo negócio.

Os investigadores ofereciam às pessoas físicas, parte de ações de uma empresa denominada Sudbook – Serviços Online do Brasil Ltda- EPP. A princípio, eles se apresentavam aos clientes como uma rede social, semelhante ao Facebook. Antes da legalização da empresa, ocorrida em 13 de novembro de 2013, os suspeitos usavam a Empresa Ancleuton Holanda Dias, domiciliada na cidade de Bréu Branco-PA.

Em fevereiro, foi preso pela polícia de São Luís, Luís Antônio Santos Paixão, 37 anos, que também é sócio do Sudbook.

“Em três meses o grupo criminoso desviou a quantia de R$10 milhões. Enganou mais de mil pessoas nos estados da Bahia, Piauí, Pará, Maranhão e no Distrito Federal. Em geral, a quantia arrecadada dos investidores foi mais de R$20 milhões”, afirmou o delegado Paulo Aguiar.

Com o presidente e vice-presidente da empresa, a polícia apreendeu a quantia de R$ 10 mil e 12 netbooks. Foram recapturados também três caminhonetes e cinco carros, na cidade de Imperatriz. Estes foram entregues as vítimas dos golpes. A Polícia Civil continua com as investigações, a fim de prender o quarto sócio do Sudbook, Antônio de Paula, pai do Ancleuton.

Fonte: http://imirante.globo.com/