quinta-feira, 5 de junho de 2014

MP-AC pede prisão preventiva de suspeito de filmar surra em mulher

A promotora de Justiça Dulce Helena Franco pediu, por meio de denúncia do Ministério Público do Acre, a prisão preventiva do lutador de MMA, Wemerson Ferreira de Araújo, de 31 anos, denunciado pelo crime de tortura. Ele é suspeito de filmar agressões físicas e verbais que Cidelmar Silva Gama, de 30 anos, cometeu contra sua namorada no início de maio. O caso repercutiu após o vídeo do espancamento ter sido divulgado na internet. De acordo com o MP-AC, Cidelmar cumpre prisão preventiva na penitenciária, enquanto Wemerson permanece em liberdade. Wemerson chegou a ser preso no dia 22 de maio, mas depois de ficar 5 dias preso foi liberado.

"Eu pedi a prisão preventiva por entender que ele solto está violando a ordem pública e a integridade das vítimas e testemunhas", explica a promotora. Ela acredita ainda que a liberdade do suspeito pode abrir espaço para ajuda de terceiros em uma possível fuga.

A denúncia oferecida pelo MP-AC foi encaminhada para o Poder Judiciário e está sob apreciação. Dulce Helena explica que este tipo de procedimento é rápido e que a Justiça deve obedecer a prazos. " O caso está para apreciação do Judiciário, mas este procedimento não demora muito. Vamos aguardar o julgamento", enfatiza.

Entenda o caso
No vídeo, postado em um canal de vídeos do YouTube no dia 19, Cidelmar espanca a namorada com um facão, após descobrir uma suposta traição, enquanto Wemerson Araújo filma toda a ação.O material foi retirado do ar por violar a política do site, que proíbe conteúdo cujo intuito seja assediar, intimidar ou ameaçar.
Nas imagens, os suspeitos obrigam a jovem a repetir o porquê de ela estar apanhando. "Fala, por que que é isso? Porque tu (sic) traiu ele", diz.Em outro trecho do vídeo, Cidelmar expressa a intenção de divulgar o vídeo na web. "É pra botar na internet, para ficar na história (sic)", diz.

A vítima é obrigada a dizer ainda que estava sendo agredida porque havia traído 'malandro' e que nunca mais irá 'trair bandido'. A mulher ainda é forçada a dizer que o homem com quem ela teria traído o suspeito de agressão merece morrer.

Fonte: http://g1.globo.com/ac