sábado, 31 de maio de 2014

(...)


MEGAOPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL PRENDE NOVE PESSOAS E APREENDE DROGAS, ARMAS, VEÍCULO E DINHEIRO

Com intuito de coibir e combater a criminalidade em cidades do interior do Estado, cerca de cinquenta homens da Polícia Civil com apoio de equipes do Grupo Tático Aéreo (GTA), realizaram uma megaoperação no município de Barreirinhas, que resultou na prisão de nove pessoas envolvidas diretamente com o tráfico de drogas e na apreensão de entorpecentes, arma, dinheiro e veículo. 
A ação policial foi em decorrência de um mandado de busca e apreensão expedido pela Juíza Larissa Tupinambá da Comarca de Barreirinhas. 

A operação foi coordenada pelo superintendente de Polícia Civil do Interior, delegado Jair Lima de Paiva Junior e contou com o apoio dos delegados Carlos César Veloso e Maria de Jesus da SPCI, além dos delegados George Antônio Silveira Marques Regional de Itapecuru Mirim, e Cristiano Antônio Morita Nock,

Também participaram da megaoperação, policiais civis das cidades de Timon, Caxias, Cururupu e Itapecuru Mirim. 

Foram detidos: Carlos Ramos da Costa, 21 anos; Gleydson Araújo de França, 38 anos; Adeilson Costa Dutra, vulgo “Louro”, Genivaldo Nunes da Silva, vulgo “Piaba”, 19 anos, Alan Kardec Pereira da Rocha, 29 anos, que foi localizado na Rua do Fio, bairro Boa Fé; Maria das Graças Ramos da Costa, 46 anos, Mayzza de Lourdes Costa Dias, 23 anos; Francilene Garcês da Costa e outro criminoso identificado como Paulo.

Já José Melquias Lima Reis, vulgo “Melc”, companheiro de Francilene, tido como um dos fortes distribuidores de drogas na cidade, já foi preso duas vezes pelo crime de tráfico de entorpecentes, inclusive possui mandado de prisão em aberto pela comarca de Barreirinhas. Segundo a Polícia, no momento das prisões ele não estava em sua residência, localizada no município, mas a Polícia trabalha no sentido de recapturá-lo. 

Jair Lima de Paiva Júnior
Para o superintendente de Polícia do Interior, delegado Jair Lima de Paiva, “há um mês estávamos levantando informações e investigando o paradeiro deles. Essa ação foi fruto de um extenso trabalho de investigação da Polícia Civil”.

“Conseguimos retirar de circulação várias pessoas que estão ligadas diretamente com o trafico de entorpecentes. Com estas prisões vamos dar tranquilidade à região de Barreirinhas. A SPCI e todas as equipes que estiveram presentes, inclusive o GTA, estão de parabéns pelo serviço realizado. Vamos intensificar mais ainda o combate ao tráfico de drogas,” avisou Jair Lima. 

Apreensão

Na residência de Francilene Garcês a polícia fez a apreensão de 21 pedras de crack, duas trouxinhas de cocaína, R$ 463 reais e três dólares em espécie, além de uma caminhonete Hilux, cor prata de placa NHO – 8648. 

Eles foram apresentados na delegacia e autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, por ilegal de arma de fogo. Eles permanecerão detidos aguardando a decisão judicial.

Fonte: https://www.ssp.ma.gov.br

Realidade de trabalho do policial escrivão do Maranhão deverá ser conhecida através de pesquisa

Com objetivo de diagnosticar a realidade de trabalho do policial escrivão do estado do Maranhão, o policial Antonio Carlos Ribeiro elaborou um questionário que já está sendo encaminhado à categoria para as devidas sugestões. Mas, para torná-lo meio eficaz de informações importantes e necessárias acerca do nosso dia a dia no que cinge as imperiosas mudanças que precisam ser implementadas para melhoria das nossas condições de trabalho se faz imprescíndivel a participação de todos, inclusive opinando sobre a necessidade e o interesse pela criação de uma Associação de classe. 

Os colegas policiais que tiverem interesse em participar da pesquisa e não tiverem recebido o referido questionário devem encaminhar e-mail para:  ac_ribeirosoares@yahoo.com.br.

"Durante o Curso de Formação, ocorrido em 2008, fui o Gestor Adjunto e Professor da turma da referida escrivã e um dos questionamentos dos novos policiais era sobre como deveria ser a conduta do policial no dia a dia. Em resposta eu disse que em todas situações o policial deve agir com integridade e acrescentei que 


PARA AGIRMOS COM INTEGRIDADE NÃO É PRECISSO OLHAR PARA FRENTE, ATRÁS, NEM OLHAR PARA A ESQUERDA OU PARA DIREITA, MAS SIM É NECESSÁRIO OLHARMOS PARA DENTRO DA NOSSA CONSCIÊNCIA E FAZER O QUE É CERTO MESMO QUANDO NÃO HÁ NINGUÉM POR PERTO NOS VIGIANDO. 

Esta frase na época foi copiada no quadro pela então aluna LOANE MARANHÃO e seus efeitos nunca devem ser apagados das nossas mentes, pois se cada um de nós agíssemos com integridade, crimes poderia até acontecer vitimando policiais, mas o cenário seria bem diferente daquele em que uma escrivã estava sozinha diante de um investigado.


Porém, para não fugir aos princípios de integridade, não devo emitir nenhum juízo de valor, precipitado, sobre os cenários em que se encontram os Escrivães de Polícia Civil no seu local de trabalho. Mas, sem demora, devemos colocar em ação nosso sensor identificador dos raios de luz da verdade. Sensor esse chamado CIÊNCIA e através do método científico captar outros GRITOS DE SOCORROS, até então inaudíveis aos ouvidos de quem deve ouvi-los. 


Motivado pelas palavras de João 8,32, que no seu evangelho diz “e conhecerão verdade, e a verdade vos libertará”. Elaborei um questionário intitulado de “ConsCIÊNCIA”, para ser respondido exclusivamente por Escrivães de Policia Civil"



Antonio Carlos RIBEIRO Soares – Escrivão de Policia Civil

Avó é indiciada por morte de criança em suposto ritual satânico, em RO

A Polícia Civil de Machadinho D'Oeste (RO), distante cerca de 350 quilômetros de Porto Velho, indiciou a avó do menino de 5 anos morto, no último dia 28 de abril, por Daniel dos Santos Costa, de 30 anos, em um suposto ritual satânico. O inquérito foi concluído, as investigações apontam que ela estaria na residência e nada fez para impedir o crime. Segundo o delegado Sérgio Seizo Toma, o depoimento da avó foi contraditório e ela responderá por homicídio na conduta omissiva.

O delegado explica que durante o interrogatório, o depoimento da mulher apresentava informações desencontradas. Na ocasião do crime, a avó contou à polícia que o suspeito teria chegado à residência alegando que o proprietário das terras o havia contratado para colher café e que precisaria de abrigo. No entanto, após dar abrigo ao homem, ele teria começado a agredi-la.

Ela disse ainda que tentou fugir levando as duas crianças, seus netos, que estavam na casa, mas o suspeito impediu que levasse o menino de 5 anos e foi ao vizinho pedir ajuda. “Há um intervalo grande, a morte da criança aconteceu por volta das 20h e ela chegou ao vizinho as 23h30. Além disso, o vizinho relatou que ela disse com tranquilidade ‘o Negão vai matar o meu neto’. O vizinho perguntou se precisava chamar a polícia e ela teria dito que não”, explica o delegado.
saiba mais

Conforme as investigações, a testemunha não acreditou na versão da mulher. Segundo o delegado, quando ainda estava na casa do vizinho, o suspeito chegou e teria dito “o corpo já está pronto”. O suspeito e a avó da vítima teriam caminhados juntos até outro vizinho, onde a mulher conseguiu uma carona e foi dormir na casa de conhecidos. Já o suspeito foi até uma propriedade próxima, furtou uma motocicleta e fugiu.

“Em um novo interrogatório, o suspeito conta que fez tudo sozinho, mas que a avó estava dentro de casa. Mesmo sem ter capacidade física, ela tinha o dever de intervir, saindo para procurar ajuda. Chamada novamente, ela manteve o mesmo depoimento de antes”, ressalta Sérgio.

A Polícia Civil ouviu vizinhos e o avô da criança, todos disseram que ela nunca apresentou problemas psiquiátricos. Além disso, a polícia afirma que não foi constatado estupro na criança. O inquérito foi relatado e o Ministério Público já apresentou denúncia contra a avó, que está em liberdade. Além da vítima, a mulher cuidava de mais três netos. Todos foram encaminhadas para um abrigo da cidade.

O crime
De acordo com a polícia, a criança foi encontrada de manhã sobre uma mesa, com as mãos amarradas para trás e com um fio feito de papel de bala amarrado no pescoço, onde também havia um corte. Em volta da vítima havia temperos, como cebola, alho, uma imagem sacra e um espelho quebrado. Conforme apurado pela polícia, a criança era criada pelos avós, que trabalhavam como caseiros em uma propriedade rural. O avô estava na cidade, e segundo a polícia, não tem envolvimento no crime.

Fonte: http://g1.globo.com/ro/rondonia

Criança de 9 anos sofria violência sexual desde os 4, em Indiara, GO.

Quatro parentes estão presos suspeitos de abusar da garota de 9 anos
A mãe de uma menina de 9 anos, que teria sido abusada pelo avô materno e mais três parentes, está revoltada por não ter desconfiado dos familiares, que moram em Indiara, no sul goiano. Muito abalada, a dona de casa de 26 anos afirma que nunca imaginou que a filha fosse vítima de violência sexual, pois só descobriu ao ler o diário da criança. “Meu coração está doendo muito. Se não posso confiar nem no meu próprio pai, em quem confiar? Jamais pensei nisso”.

A descoberta da dona de casa ocorreu há cerca de dois meses. Após conversar com a filha, ela denunciou o caso à Polícia Civil, que prendeu, na quinta-feira (29), os suspeitos de cometer os abusos: o avô materno, de 52 anos, o marido da avó, de 42, o padrinho da garota, de 54, e o padrinho da irmã dela, de 52, único que negou o crime. A criança relatou que sofria abusos há cinco anos.

De acordo com a dona de casa, ela não desconfiava do comportamento da filha e afirma que pegou o diário apenas para saber mais sobre a menina. “Ela começou a escrever há pouco tempo. Pensei que lá pudesse ter algo que eu não sabia, e tinha. Coração de mãe não falha”, lamentou.

A mãe relatou que logo após ler o diário e saber dos abusos foi conversar com a menina para tentar que ela contasse por vontade própria. No entanto, a garota negou e só confirmou os abusos após a mulher contar o que leu. “Ela chorou muito e ainda está chorando bastante, mas temos conversado muito”, relata a dona de casa.
Abusos
O primeiro a abusar da menina, segundo a criança contou à mãe, foi o avô materno, quando ela tinha quatro anos e não entendia o que se passava. O crime aconteceu na própria casa da família: “Ele morou aqui perto de casa por dois anos. Sempre vinha na minha casa. Os abusos aconteciam aqui dentro e eu não percebi”.

A mãe da vítima queria saber o motivo que levou o pai a abusar da neta. Mas, por enquanto, ela não quer vê-lo: “A mágoa e a raiva são grandes demais". Os avós maternos da garota são separados.

Conforme a criança, depois do avô, os abusos foram cometidos pelo padrinho da garota, pelo padrinho da irmã e pelo atual marido da avó materna. Alguns deles ocorreram na mesma época. A menina relatou que, atualmente, apenas o padrinho cometia os crimes. “O padrinho e madrinha dela vinham aqui em casa sempre. Confiava neles, tanto que minha filha ia muito ficar na casa deles. Os estupros aconteciam lá, enquanto eles assistiam televisão”, contou a mãe.

Fonte: http://g1.globo.com/goias

Homicídios caíram 23,8% em 2013 no Amazonas, aponta anuário da SSP

Dados mostram aumento de crimes de lesão corporal e violência doméstica. 

No ano de 2013, 722 pessoas foram vítimas de homicídio.

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), nesta sexta-feira (30), apontam a redução de 23,8% nas taxas de homicídios de 2013, se comparado com o ano anterior, em Manaus. 

Em 2012, foram registrados 947 homicídios, enquanto em 2013 o número caiu para 722, segundo a secretaria.

O estudo apontou também a redução nas ocorrências, quando comparado 2012 e 2013, dos crimes de latrocínio, que caíram 10,3%; furto (-2,7%); roubo (-1,7%); e tentativa de homicídio (-11,5%). Os dados indicaram aumento dos crimes de lesão corporal dolosa e violência doméstica, 5,2% e 3,8% mais frequentes, respectivamente. "Infelizmente houve a tendência de alta, mas estamos implementando programas com psicólogos e assistente social para tentar amparar estes casos", comenta. De acordo com a SSP, a média de homicídios a cada 100 mil habitantes em todo o estado caiu de 29 para 22,9. Porém, na capital, os casos passaram de 50,9 para 36,4 homicídios a cada 100 mil habitantes, segundo os dados da SSP. "Os números foram o dobro das expectativas, então creio que estejamos no rumo certo", frisou o secretário de Segurança Pública, Paulo Roberto Vital.

A comissão que elaborou o anuário teve coordenação de Antônio Gelson Nascimento, doutor em Demografia e professor na Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Com base nos índices de homicídios desde o ano de 2013, a projeção para a taxa de homicídios em 2013 seria entre 1.118 e 1.353.

O secretário destacou os investimentos em policiamento, como o Ronda no Bairro e também nas ações sociais em escolas da Zona Sul, como o Caravana da Cidadania. "Na primeira fase do programa, alcançamos 32 mil alunos na Zona Sul, em 35 escolas. Agora iremos à Zona Leste para interagir com 61 mil pessoas, em 60 unidades de ensino", explicou. "Os investimentos passaram de cerca de 600 milhões para 1,2 bilhões de reais".

Zonas
Segundo o anuário, a Zona Leste de Manaus, que junto com a Zona Norte concentra metade dos moradores da capital, em 2012 teve um alto crescimento de homicídios (224 casos) e em 2013 teve queda, chegando a 102 vítimas. No geral, as seis zonas geográficas de Manaus tiveram queda no número de homicídios no ano de 2013: Sul (-38), Oeste (-28), Centro-Sul (-10), Centro-Oeste (-24) e Zona Norte (-23), o que representa 24% da redução.

Fonte: http://g1.globo.com/am/amazonas

Entidade acusa PM de racismo após lançar cartazes em ônibus de Ribeirão


Cartazes de uma campanha da Polícia Militar fixados nos ônibus do transporte público de Ribeirão Preto (SP) foram alvo de crítica de representantes da Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen) no município. Segundo a entidade, o material, que traz dicas de segurança para a prevenção de roubos, incita o racismo.


A figura mostra uma mulher branca com um telefone celular mão e outro personagem, escondido atrás de um poste, observando-a. A ilustração do suposto criminoso é preenchida com a cor preta, deixando somente os olhos e a boca do personagem em branco. No pé do cartaz, mais uma mulher branca, caracterizada como policial militar, atende os telefones de emergência da PM.

A Polícia Militar informou que a percepção foi "equivocada e exagerada", uma vez que o personagem alvo das críticas foi representado pela caracterização de uma "silhueta". A Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp), parceira na campanha, afirma que não foi responsável pela elaboração do material e que abomina condutas racistas.

Conen

De acordo com Sílvia Seixas, coordenadora estadual da Conen em Ribeirão Preto, o caso é interpretado pela entidade como racismo institucional. "Não queremos saber quem desenhou ou colou os cartazes. Precisamos que a PM assuma que há um racismo institucional. Se a PM nega que o cartaz é racista, ela nega a existência do racismo institucional e não contribui para qualquer solução", diz.

Nesta sexta-feira (30), a coordenadora se reuniu com representantes da executiva nacional do Conen em São Paulo (SP), e afirmou que a entidade estuda entrar com uma ação no Ministério Público Estadual ou Federal para pedir esclarecimentos sobre o caso. "Vamos entrar com uma representação pedindo a imediata retirada dos cartazes e a responsabilização da PM do Estado de São Paulo. Para nós, racista é a instituição", diz.Sílvia também discorda da justificativa dada pela corporação de que a figura ilustrada em preto se trata de uma silhueta. "Se você prestar atenção nas características físicas, inclusive o cabelo do personagem, vê-se que é um cartaz extremamente racista. Estamos falando de senso comum. De uma questão sociológica, e não semiótica. Quando um menino olha e se enxerga com aquela figura preta que está lá, ele não pensa que aquilo é uma silhueta. Ele pensa no cotidiano", explica.

Polícia Militar e Acirp

Em nota, a PM informou que lamenta a percepção da entidade, classificando-a "equivocada e exagerada". De acordo com a corporação, na arte do material impresso o "criminoso" foi representado "pela caracterização de uma 'silhueta', por estar na penumbra, observando a sua vítima à espreita atrás de um poste, usando, para tanto, da sombra existente no local."

Já a Acirp informou que, apesar de parceira da PM na campanha, não foi responsável pela elaboração do material. A associação disse ainda que considera que o racismo, além de crime, "é conduta abominada pela Acirp e não condiz com o perfil democrático e de livre iniciativa sempre defendido pela entidade.".

Fonte: http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Licínio Nunes de Araujo, advogado maranhense, faleceu em Teresina

Faleceu hoje em Teresina o advogado Licínio Nunes de Araújo que advogava tanto em Teresina como em Timon, cidade maranhense, vizinha da capital piauiense. O corpo será velado na OAB/PI em Teresina a partir das 16 horas e será sepultado em Caxias-MA na terça-feira de manhã. Lamentamos o falecimento do advogado e aqui deixamos nossos pêsames à família e aos amigos do causídico.

(...)


quinta-feira, 29 de maio de 2014

A Família Bosco visita Teresina e sente o frio de 40ºC da capital piauiense

Tivemos o prazer de receber em Teresina uns bons amigos do Maranhão que durante a estada na capital piauiense puderam sentir o grande frio daquela parte do Brasil. Passar pelo Piauí é como passar pelas portas..... do "paraíso". Quando foi? Já faz tempo, mas o Piauí aguarda-os novamente. E quanto as fotos podemos dizer que estão do jeito que eram para ser. Não estão vendo direitinho? É uma pena, pois era um dia claro e de muito alegria.








terça-feira, 27 de maio de 2014

Estão abertas as inscrições para a III Jornada de Ciências Sociais da Uema


Estão abertas as inscrições para a III Jornada de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), que será realizada entre os dias 03 e 06 de junho, no Teatro João do Vale - Centro Histórico, com o tema “Democracia, Desenvolvimento e Conflitos Sociais”.

A III Jornada tem o intuito de fomentar um amplo debate, envolvendo a comunidade acadêmica e a sociedade em geral, acerca de conceitos centrais como “democracia” e “desenvolvimento” que inspiram e norteiam as políticas governamentais e os investimentos econômicos nas últimas décadas no país, propondo a criação de um espaço público de socialização de experiências e de pensamentos que analisam as formas atuais de mobilização política.

A jornada objetiva, ainda, fomentar o debate teórico metodológico sobre três grandes eixos conceituais para o pensamento social contemporâneo, seus dilemas e encruzilhadas. A perspectiva é examinar, a partir da realidade sócio espacial, os desafios das ciências sociais no século XXI diante da globalização neoliberal e dos impactos produzidos sobre os territórios.

A programação contará com conferências, mesas redondas, sessões de vídeos, colóquios, minicursos e lançamento de livros e a presença de inúmeros professores, estudiosos e pesquisadores da área.

As inscrições podem ser feitas no departamento de Ciências Sociais- Campus Universitário Paulo VI ou online. Para se inscrever online é necessário preencher o formulário disponível no link abaixo, depositar o valor da inscrição na Conta Corrente: 209067-8, Agência: 8618-5,  Banco do Brasil, em nome de José Domingos Cantanhede Silva, e posteriormente enviar o comprovante para o email jornadacienciassociaisuema@bol.com.br.

Os valores da inscrição: para estudante de graduação - R$ 20,00; estudante de pós-graduação - R$ 30,00; profissionais - R$ 50,00; professores da Educação Básica - R$ 30,00 e dos minicursos: R$ 20,00 (Vagas limitadas: 20 por minicurso).

Fonte: http://www.uema.br/

Ministério Público Estadual (MPE) vai investigar o certame para delegado de Polícia Civil do Tocantins

O Ministério Público Estadual (MPE) vai investigar o certame para delegado de Polícia Civil do Tocantins, devido a denúncias de candidatos que fizeram as provas no último domingo, em Palmas. Ao todo, 12.155 pessoas se inscreveram para as 126 vagas ofertadas pelo concurso.

Conforme a Fundação Aroeira, o índice de abstenção foi de 29,9%, e as provas foram realizadas sem incidentes e seguindo o cronograma estabelecido no edital. No entanto, a escolha de uma empresa sem experiência na área gerou desconfiança por parte de muitos dos candidatos.

INSEGURANÇA

Para Gleydson Lopes, que veio do Recife (PE) para prestar o concurso, a falta de experiência da fundação dificultou os estudos. “Como eles nunca realizaram provas desse tipo, não temos uma referência de provas anteriores, por exemplo”, justificou.

Já a candidata Renata Póvoa, que veio de Brasília, também disse não estar confiante na banca avaliadora. “Meu medo é de que o concurso seja suspenso e a gente tenha que voltar para fazer uma nova prova, ou ainda de que o certame seja cancelado”, disse.

DENÚNCIAS

Por nota, o MPE informou que já recebeu denúncias, ontem, de candidatos do certame e que o promotor de Justiça Edson Azambuja está instaurando procedimento investigatório e ouvindo testemunhas .

No entanto, a assessoria da Fundação Aroeira afirmou que não houve ocorrências em nenhum dos locais de aplicação de provas, e que não há motivos para insegurança dos candidatos. Para aqueles que desejam interpor recursos, o prazo vai até as 18 horas de hoje, pelo site www.fundacaoaroeira.com.br, onde também pode ser consultado o gabarito provisório.

Fonte: http://www.jornaldotocantins.com.br/


Triste e lamentável o comportamento de alguns, ou melhor, de muitos candidatos...atitudes desonestas a olho nu ... E o pior é que esse povo desonesto e sem escrúpulo nenhum quer ser delegado de policia. Torço para que aqueles que usaram de meios fraudulentos, do jeitinho brasileiro onde os meios justificam os fins sejam todos reprovados e que jamais alcancem resultado positivo em qualquer concurso público que seja, quanto mais delegado. Não merecem. E não adianta culpar somente quem realizou o certame não. Cada um que se indignou e não se dignou a fazer a devida denúncia colabora com essa vergonha reiterada que se tornaram os nossos concursos públicos....LAMENTÁVEL MESMO!!!! Mas, sobre esse concurso eu ainda tenho muito a dizer ...

Márcia Gardênia. 

Secretário Sebastião Uchoa assina convênio para implantação da Apac em Timon



O secretário de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária, Sebastião Uchoa, assinou em seu gabinete, na manhã desta segunda-feira (26), o convênio de implantação da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) no município de Timon. As ações serão direcionadas aos internos da Unidade Prisional de Ressocialização Jorge Viera, situado naquele município. No Maranhão, unidades de Coroatá, Pedreiras e São Luis já realizam o trabalho com o método.

A partir do convênio, caberá a Apac atuar na unidade mantendo assistência à saúde, odontológica e serviço social, além de ofertar cursos de capacitação profissional para 310 presos do Sistema e gerenciar e fiscalizar, em parceria com o poder judiciário, 40 internos do trabalho externo prestando ainda assistência aos familiares. Atualmente, 10 recuperando trabalham na empresa de limpeza pública que presta serviços para a Prefeitura Municipal. A iniciativa é uma das medidas voltadas para a reinserção social dos internos.
A partir do convênio, a Apac de Timon recebe a quantia de R$ 350 mil que serão entregues de duas parcelas e deverão ser empregados, exclusivamente, para atender as demandas da Apac e custear os gastos com o trabalho desenvolvido pela associação.

O secretário Sebastião Uchoa ressaltou a importância da institucionalização da Apac em mais uma cidade. “É um grande avanço para o Governo do Estado. Uma promessa que tem como meta fomentar esse projeto em todas as unidades. Ainda neste primeiro semestre, serão firmados, pelo menos, mais dois convênios, em Viana e Imperatriz.O próximo passo da nossa equipe técnica é fazer a observação e analise para implementação das políticas do método Apac na humanização do Sistema Carcerário”, declarou o secretário de Justiça e da Administração Penitenciária.

Com o convênio caberá a Sejap repassar a Apac os recursos financeiros e o Plano de Trabalho, bem como de acompanhar e supervisionar a execução do plano.

Durante a assinatura, o presidente da Apac de Timon, José Augusto Rego, lembrou que os internos para ingressar no método Apac, passam por uma rigorosa seleção. “Além do interesse espontâneo em ingressar na entidade, nós levamos em consideração um parecer técnico emitido por psicólogos, assistentes sociais e da direção da unidade. Trata-se de um método com resultados bastante satisfatórios e em que a reincidência criminal é quase zero”.

Além do convênio firmado com a Sejap, a Apac de Timon em uma parceria com a prefeitura municipal de Timon, a Apac recebeu um terreno com área total de 15.840 m2 para a construção de um Centro de Reintegração Social onde funcionará a sede da Apac de Timon.

Na próxima quarta-feira (28), ocorrerá a assinatura do convênio para implantação da Apac em Viana.


Método Apac

A Apac é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Opera como entidade auxiliar na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade nos regimes fechado, semiaberto e aberto.

Com uma disciplina rígida, caracterizada por respeito, ordem, trabalho e o envolvimento da família do sentenciado. Todos têm trabalho e educação, aproximação com a família e com a sociedade, e estímulo à valorização da autoestima.

Fonte: http://www.sejap.ma.gov.br/

PROPAGANDA MENTIROSA SOBRE O BRASIL NA COPA, QUE O GOVERNO DILMA VEICULA, TEM DE SAIR DO AR, POR DETERMINAÇÃO DO MPF.


O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás instaurou ação civil pública e requereu a concessão de liminar para a suspensão imediata da campanha publicitária “Todos ganham (Hexa)”, que promove a marca “A Copa das Copas”, executada pelo governo federal para divulgar o Mundial Fifa 2014.

Também foi requerido que outras campanhas do governo sobre a Copa obrigatoriamente se restrinjam a um “caráter educativo, informativo ou de orientação social”.

A propaganda foi avaliada como comunicação positiva de compromissos que a União não conseguiu cumprir. Para o autor da ação, o procurador da República Ailton Benedito, a campanha de propaganda “não condiz com a verdade”. A ação foi instaurada na quinta-feira, 22, e divulgada na tarde de ontem.

No entendimento do MPF o conteúdo de propaganda da atual campanha atinge inadequadamente o inconsciente coletivo, de forma subliminar, com mensagens de que o governo federal cumpriu tudo que estava compromissado. O que está longe da verdade.

Ele discorreu também que a propaganda do governo federal sugere que a organização do evento transcorreu sem problemas; que todas as ações, programas e políticas públicas necessárias foram planejados e executados completa e adequadamente; que não se utilizaram recursos públicos no evento; que a Copa proporciona, exclusivamente, resultados positivos para o país; que existe unânime aprovação do evento. Afirmações que são absolutamente irreais e mentirosas.

“Enfim, que todos os brasileiros já estão unidos, vestindo a camisa amarela da seleção e calçados de chuteira, esperando apenas o momento de comemorar, sambar, festejar a vitória do Brasil”, citou.

O procurador requereu a aplicação de multa diária de R$ 5 milhões à União e de multa diária pessoal de R$ 1 milhão aos agentes do governo, no caso de retardamento no cumprimento da decisão.

Cita Ailton Benedito, que a campanha do governo vem anunciando que o torneio trará grandes benefícios aos brasileiros, em função de investimentos públicos que teriam sido realizados na infraestrutura urbana e nos serviços públicos, benefícios que, segundo a narrativa oficial, serão permanentes. “Entretanto, essa não é a realidade que se verifica”.

Ele recorre ao noticiário sobre problemas em vários empreendimentos projetados para aeroportos, o transporte público e trânsito, sendo que vários foram cancelados ou substituídos por outros de menor impacto e, ainda assim, não serão concluídos a tempo.

“A situação evidencia os efeitos da desorganização, da falta de planejamento, da incompetência em executar o que se planejou quanto à infraestrutura e aos serviços voltados à realização da Copa”, destaca ele.

Tempo e dinheiro

Para o MPF/GO, como o Brasil foi homologado no ano de 2007 para sediar a Copa, contando com sete anos para se organizar, teve grande oportunidade e tempo suficiente para executar planos de investimento que efetivamente investissem e corrigissem as mazelas da infraestrutura e dos serviços públicos, principalmente nas cidades-sede.

No entanto, se baseando em notícias do início de maio, especialmente reportagem da Folha de São Paulo, o país tinha concluído menos da metade daquilo que se comprometeu fazer.

Das 167 intervenções anunciadas, apenas 68 estão prontas, ou seja, 41%. Outras 88 obras (58%) ainda estão incompletas ou ficarão para depois da Copa. Por fim, 11 obras foram abandonadas e não sairão do papel.

-

Estava mais do que na hora de alguém enfrentar a propaganda mentirosa do Governo Dilma e do PT (envolvendo inclusive estatais, como a Caixa, a Petrobras e outros – de forma impune.

Penso que o Conar perdeu uma bela oportunidade de agir contra a propaganda mentirosa do governo…mas ainda há tempo, pois os desmandos e as mentiras não se restringem à Copa do Mundo

Fonte: Blog do JJ

domingo, 25 de maio de 2014

Lei que altera a aposentadoria especial de policiais contem inconstitucionalidades

Foi publicado no DOU a Lei Complementar 144, de 15 de maio de 2014 que altera a Lei Complementar 51/85 concedendo aposentaria especial de 25 anos para mulher policial. Parabenizamos às mulheres pela conquista, mas já esclarecemos que tal lei traz consigo vício de inconstitucionalidade quando coloca a mulher em condição privilegiada em detrimento dos homens. Não bastasse a própria Constituição Federal do Brasil dizer que os homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, o próprio Supremo Tribunal Federal colocou, inclusive, os homossexuais em igualdade de condições a homens e mulheres opondo-se a este tipo de discriminação, segundo o STF com base na Magna Carta do Brasil. Ainda que A ou B não concorde com a posição do STF, a verdade é que ela está firmada na jurisprudência e a Lei Complementar 144/2014 agora aprovada não só fere a CFB/1988 como o que já disse o STF. Não bastasse a inconstitucionalidade, o machismo que vigorou até o século XIX está de volta com a LC 144/2014 protegendo o que era até aquele século o sexo frágil. O protecionismo vil materializado na inconstitucionalidade não encontra respaldo nem mesmo nas estatísticas de expectativa de vida dos brasileiros, uma vez que as mulheres vivem mais de 10 anos que os homens. Esta é mais uma aberração que vai encher os tribunais. Outras aberrações existem na LC 144/2014, mas não trataremos com detalhes neste momento. Ainda assim, convido os caros leitores para refletirem sobre o estrago que a referida lei vem fazendo tanto aos Estados como aos policiais que são obrigados a deixar o serviço público aos 65 anos de idade. Novamente uma discriminação sem obediência a nenhum princípio. Para piorar, esta famigerada lei não traz nenhuma regra de transição, o que é normal quando há uma alteração muito grande em qualquer legislação, com a retirada de conquistas, que afeta direitos já pacificados no meio social. Não precisa ser doutor em Direito ou sociólogo para ver que o que estava ruim, agora ficou pior. Imaginem só o baixo efetivo das polícias antes desta lei e como a situação piorou e ainda vai piorar bem mais. Imaginem as delegacias que tinham dois policiais e agora vão ter apenas um, ou quem sabe, vão ter mesmo que fechar as portas. Imaginem só os institutos de previdência dos Estados arcando com essa enorme despesa não prevista, não desejada e nem mesmo sonhada no pior dos pesadelos. A Segurança Pública capenga, a Previdência Social dos Estados e os próprios Estados agora levaram um tiro de misericórdia do PT. Esta forma de administrar e legislar do PT empurra os Estados, a sociedade e os policiais para o fundo do poço, assim como fez com a PETROBRAS. Se quiserem ver a lei diretamente no DOU basta clicar AQUI, mas voltem seus olhares para além da alardeada aposentaria de 25 anos e não deixem que a emoção, a ideologia idiotizante ou o feminismo ridículo impeçam-no de ver o que está ocultado nas entrelinhas, o que está escondido na letra fria da lei.
Wagner Leite

sábado, 24 de maio de 2014

Forças nacionais fazem simulação ridícula

Por Wagner Leite

Ontem, vi no Jornal do SBT uma simulação que teria sido feita, segundo o jornal, pelas Forças Nacionais. A simulação seria por conta da copa da FIFA e a situação simulada seria a abordagem a um pequeno barco
que teria passado os limites marcados por boias postas na água pela polícia. Para um circo e um bando de tolos foi perfeita, mas quem sabe o que significa fogo cruzado, fogo amigo, foi risível, ou colocando melhor, foi ridícula. O pequeno barco invasor foi cercado por três barcos de polícia, o que em uma situação real de reação e troca de tiros, terminaria sem dúvida com a morte de vários policiais por fogo amigo. Se a segurança da copa for feita pelos mesmos que fizeram a demonstração, podemos ter certeza que o resultado será uma tragédia em caso de confronto. Por outro lado, também no mesmo dia assistindo ao Jornal Nacional da Globo, ouvi o Ministro da Justiça mentir ao dizer que o Brasil está investindo maciçamente em segurança pública. Ora, bem que eu gostaria mesmo de saber onde o Brasil tem investido em segurança, além da segurança financeira dos membros do governo e dos altos salários dos delegados, verdadeiros marajás, em detrimento de todos os policiais do Brasil. Tenho certeza que o povo brasileiro desconhece esse tal "investimento" de que falou o ministro. Tomara que esse "alto investimento" se traduza ao menos na aquisição de alguns relógios de ponto eletrônico, quem sabe de ouro ou pelo menos foliado, para que suas excelências desidiosas usem os seus dedinhos para pelo menos bater o ponto, além de contar seus milhares de reais. Quem sabe assim não permaneçam no órgão público fazendo o seu trabalho e consigam evitar com que algum policial tenha a vida ceifada fazendo o trabalho deles. Eu sei que isso não vai acontecer, mas supondo que isso algum dia se torne real, com certeza aparecerão muitos dedos de silicone com a digital de suas excelências  para bater o ponto. Alguém duvida? Então, espere.




sexta-feira, 23 de maio de 2014

Reflitamos sobre a não adesão à paralisação nacional das polícias

Por Wagner Leite

Por vezes, consigo permanecer calado diante de certos absurdos, mas nem sempre consigo. Permitam-me uma rápida manifestação sobre a não convocação para decidir sobre uma possível paralisação das policias civis do Piauí e do Maranhão que acompanho mais de perto. Quanto ao Piauí, li no site da categoria uma nota esfarrapada que vocês podem ver clicando AQUI "assinada" pela diretoria. Quanto ao tempo hábil de que fala a nota é fácil perceber que esta argumentação não se sustenta, pois todo o Brasil que lê e acompanha jornal sabe muito bem que há tempos isso vem sendo propalado nos meios de comunicação. Outro ponto, igualmente relevante a ser posto, é a "autoria" da nota atribuída à diretoria. Posso garantir-lhes, neste momento, que a tal nota não é de autoria da diretoria. Aliás, isso já virou uma prática nociva em que alguém unilateralmente ou acompanhado de um ou outro decide uma coisa e manda que se publique uma nota em nome de uma diretoria que não foi sequer consultada. Quanto ao Maranhão, vejo uma nota ridícula em forma "pop up" dizendo que a "diretoria" decidiu pela não adesão ao movimento de paralisação nacional das polícias. Ora bolas! Essa é uma atribuição da categoria ainda que não estivesse prevista nesse ou naquele estatuto. Não cabe à diretoria decidir isso. Motivo?! Porque é de interesse coletivo, dentre outros. Portanto, erraram as "instituições sindicais" do Piauí e do Maranhão. Os motivos?! Já não me importam mais, uma vez que eles nada vão mudar neste momento. A propósito, quem sou eu? Apenas uma pessoa que sonha e luta para que tudo melhore para os policiais e para a sociedade. Não falo descansando em uma zona de conforto, seja no facebook ou sob o manto de um gabinete ou mesmo de uma especializada ganhando grandes gratificações. Aliás, por conta de meu empenho no último combate perdi uma chefia e mereci uma "atenção especial" da administração pública, que por meio de seu gestor, negou-me as férias de 2010 e ainda empenhou-se em interceder junto ao instituto de previdência para me negar uma licença médica que só consegui na Justiça depois de ter despesas com um processo contra o instituto de previdência. Achando pouco, a administração ainda me retirou  de meu local de trabalho sem nenhuma justificação, o que motivou um mandado de segurança em que o operário venceu novamente o patrão. Todavia, isso não foi tudo e nem a história para por aqui. Por aqui mesmo encerro apenas o texto desejando que Deus proteja todos os policiais e livre a sociedade dos maus gestores, lembrando ainda que não há vitória sem sacrifícios e que tudo na vida tem um "preço" - uns pagam pela covardia, pela desonestidade; outros, pela coragem, pela determinação. E você? Com qual "moeda" vai pagar?

Poeta de Caxias, Naldson Carvalho, foi lembrado em missa de Loane Maranhão em Teresina

A missa de "sétimo dia" por Loane Maranhão foi celebrada ontem em Teresina onde estiveram presentes a família e os amigos. Na ocasião, foi lido um belo poema de Naldson Carvalho, poeta de Caxias que comovido pela tragédia escreveu uma bela obra que pode ser lida logo abaixo.

A Rosa Loane

o ferro
podou a rosa
na audácia nunca vista
de um sem tudo
no jardim da vida.

sem vida
a rosa perfumada
e linda
foi ao paraíso
levar mais cor
e beleza.

o mundo sem a rosa
mudou
e o céu fez chover
uma chuva confortante
para banhar a todos
e lavar, a cada dor,
com o perfume
que a rosa tem.

foste rosa Loane,
e teu perfume
estava na chuva
como gotas da vida
que Deus nos deu
de ti... da tua eternidade
entre nós.

o teu perfume
é a saudade
da tua bondade,
do teu poder
de ser amada e querida,
só, pelo exemplo de vida.




quarta-feira, 21 de maio de 2014

NOTA DE PESAR


+ LESLIE RODRIGUES DE MELO

 Só agora tomei conhecimento do falecimento ocorrido na tarde de ontem (20.05) do querido colega policial. Esteve conosco na Academia de Polícia, desde então conversa não faltava nos rápidos encontros pelos corredores da Secretaria. Nosso último encontro foi recheado de risos. Quando me encontrava já vinha sorrindo e dizendo: "Gardênia, tu vai ficar doida, tu vai ficar doida ..." Para em seguida, muitas histórias... 

Despedidas são sempre tristes, mas descanse em paz meu colega e olha por nós daí. 

Neste momento de profundo pesar nos solidarizamos com familiares e amigos.



TJ manda soltar delegado que teria recebido propina no Piauí

A Justiça determinou, na manhã desta quarta-feira (21), a liberdade do delegado Clayton Doce Alves Filho, preso em 19 de março deste ano, acusado de peculato, falsificação de documentos públicos e particulares e corrupção ativa. Os crimes teriam acontecido enquanto ele era delegado regional de Piripiri.

De acordo com o advogado Hilton Júnior, que defende Clayton Doce, o pedido de Habeas Corpus impetrado foi considerado procedente por votação unânime na 2ª Câmara Especializada Criminal, do Tribunal de Justiça do Piauí.

No pedido de liberdade, a defesa argumentou ausência de provas fundamentadas e o fato do acusado ser primário, ter bons antecedentes, residência fixa e trabalho definido. A ação pediu também a substituição da prisão preventiva pela domiciliar, mas os desembargadores não consideraram necessário. 

"A decisão considerou que houve falha na fundamentação do decreto prisional. Foi expedido o alvará e ele vai ser solto ainda hoje, sem nenhuma medida cautelar, para aguardar o julgamento em liberdade", explicou o advogado Hilton Júnior. A data do julgamento ainda não está definida no processo.

Polícia discorda

O delegado que preside o inquérito, Adolfo Henrique, declarou que discorda das alegações da defesa e que possui provas concretas das acusações feitas sobre Clayton Doce.

"Temos provas técnicas concretas, investigadas pelo Instituto de Criminalística, que comprovam fraude e notas fiscais frias expedidas na delegacia de Piripiri, enquanto ele era titular", enfatizou Adolfo Henrique, que atualmente está lotado na Corregedoria de Polícia Civil.

A decisão

Antes da decisão dos desembargadores, o procurador de Justiça Luís Francisco Ribeiro deu parecer favorável ao pedido da defesa, deixando a cargo do relator decidir sobre a possibilidade de medidas cautelares. 

O relator do processo é o desembargador Joaquim Dias de Santana Filho, que atualmente está presidindo a 2ª Câmara Especializada Criminal. Os desembargadores Sebastião Ribeiro Martins e José James Gomes também participaram da votação que decidiu pela liberdade de Clayton Doce.

O advogado de defesa acrescentou que o acusado está afastado do serviço público por licença médica, que se encerra em junho. "Depois disso, se ele não conseguir renovar a licença, ele deverá voltar ao trabalho", completou Hilton Júnior.

De acordo com o advogado, na decisão da Justiça não há informações sobre qualquer restrição de direitos ao delegado Clayton Doce, nem mesmo com relação à obrigatoriedade da presença do acusado no Piauí.



Fonte: http://www.cidadeverde.com

ACUSADOS DE TRÁFICO DE DROGAS SÃO PRESOS NA CIDADE DE ZÉ DOCA

Ontem, 20/05/2014 por volta das 18 horas uma equipe da Delegacia Regional de Zé Doca composta pelos Investigadores Sizino, Mex, Evaldo, Samia, Fernando e o Delegado Jader Alves, prenderam JOSIVALDO NASCIMENTO LIMA “Sapo”, Ana Paula Roseno Conceição, Jose Francisco Araújo Nascimento e Domingos Pinto Sodré, por tráfico e associação ao tráfico. A operação teve início quando policiais faziam o monitoramento da residência de Sapo, e observaram viciados comprando drogas, sendo que a venda era feita da seguinte forma: o casal recebia o dinheiro na própria residência e os viciados iam pegar a droga em uma casa vizinha a de sapo, com um Francisco que fazia o papel de avião. No momento da abordagem o casal dispensou a droga em um terreno vizinho, mas foi encontrada pelos policiais que conduziram o quarteto para delegacia. Sapo é um dos maiores traficantes de Zé Doca e passou uma grande temporada preso em pedrinhas, mas ao ser colocado em liberdade condicional varias denuncias e viciados que eram presos davam conta de que ele havia voltado a traficar.

Enviado por IPC SIZINHO MUNIZ, da Regional de Zé Doca.
 

Missa em Teresina por Loane Maranhão será quinta-feira (22)


Informamos que por motivo de força maior a missa em Teresina pela alma de Loane Maranhão será celebrada somente na quinta-feira, dia 22 de maio de 2014. Convidamos novamente todos os policiais e amigos para mais este ato de fé cristã.

HOMICIDA É PRESO NA CIDADE DE ZÉ DOCA.


 Na madrugada do dia 20/05/2014 os policiais civis Sizino, Mex e Evaldo da 8ª Delegacia Regional de Zé Doca, sob o comando do Delegado Jader Alves, prenderam João Pereira, que matou com golpes de foice no dia 5 de abril de 2014, no Bairro São Francisco, no município de Zé Doca o homem conhecido por Bata. O crime ocorreu no interior da residência da companheira do acusado. A vítima foi atingida quando estava descansando em uma rede, com golpes de foice na região do pescoço, após cometer o crime o acusado evadiu-se. Através denuncias foi informado que o acusado havia retornado a cidade e estaria na residência de sua companheira, mas ao chegarem na referida casa os policiais não o encontraram, mas segundo o informante disse que ele havia saído para beber, mas iria retornar. Então foi montada uma campanha onde os policiais ficaram em um determinado ponto a espera do foragido, que ao se aproximarem da residência de sua companheira foi abordado pelos policiais que deram lhe voz de prisão. Na delegacia, João Pereira disse ao delegado que matou Bata, pois ele teria tentado molestado sua companheira, chegando até a rasgar o vestido dela.


Enviado por IPC SIZINO MUNIZ, da Regional de Zé Doca.

Polícia Civil do Maranhão decidiu se juntar ao movimento. Mobilização mais intensa é esperada em Brasília, onde haverá passeata às 14h


Com a adesão dos policiais civis do Maranhão, em assembleia realizada nesta terça-feira, estão confirmados catorze Estados, mais o Distrito Federal, na paralisação nacional das polícias, nesta quarta-feira. A decisão foi tomada mesmo sem o apoio da liderança do sindicato local, que preferia resumir a participação a uma passeata. Até as 20h, a convocação feita para todas as forças policiais do país tinha efeito principalmente sobre as instituições civis – uma liminar impede a PF de aderir a paralisações. As decisões sobre a forma de participação são dos sindicatos locais. 
 
"Cada unidade decidiu seu movimento, nós não interferimos", disse ao site de VEJA Jânio Bosco Gandra, presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) - que convocou a paralisação.

No Distrito Federal, uma votação unânime de cerca de 2.000 policiais decidiu pela participação no ato. Brasília deve concentrar a maior mobilização da categoria, calcula Gandra, que espera de 8.000 a 10.000 pessoas em uma passeata, com concentração marcada para as 14h, em frente à Biblioteca Nacional. De lá, eles caminham até o Palácio do Planalto, onde pretendem protocolar um documento de reivindicações. "Receberemos apoio de comitivas de Goiás e de algumas regiões de Minas Gerais", acrescentou o presidente da Cobrapol.

Os outros Estados com paralisação confirmada são: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Amazonas, Pará, Paraíba, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Rondônia, Bahia e Pernambuco.

Por meio de nota, a Delegacia Geral de Polícia Civil de São Paulo afirmou que está em "processo de ampla negociação com os representantes das entidades de classe" para tentar evitar a paralisação. "Não estão sendo poupados esforços", enfatizou. Mas a categoria se mantinha a firme na decisão até o início da noite. No Rio, os grevistas se reúnem na Cidade da Polícia, na Zona Norte, e seguem até o bairro da Tijuca, onde realizam uma nova assembleia.

Fonte: http://veja.abril.com.br

Missa de "SÉTIMO DIA", será amanhã, quinta-feira, 22.05.14

Convidamos todos os policiais e amigos de Loane Maranhão para a missa de "sétimo dia" em sufrágio de sua alma que será celebrada na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, na avenida Barão de Gurguéia, no bairro Vermelha em Teresina, às 18:30 horas.



Atualização

Informamos que por motivo de força maior a missa em Teresina será celebrada somente na quinta-feira, dia 22 de maio de 2014.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Definida missa pela alma de Loane Maranhão

Convidamos todos os policiais e amigos de Loane Maranhão para a missa de "sétimo dia" em sufrágio de sua alma que será celebrada na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, na avenida Barão de Gurguéia, no bairro Vermelha em Teresina, às 18:30 horas.

Atualização

Informamos que por motivo de força maior a missa em Teresina será celebrada somente na quinta-feira, dia 22 de maio de 2014.


(...)

 
“Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes.”

Abraham Lincoln

Negligência ao próximo

Assim como o trágico fato em si ocorrido com a colega escrivã me revoltou, revoltou-me também a FALTA da Previsibilidade Objetiva de vários colegas, alguns já com vários anos de polícia e quanto mais aos novatos. Recordo que advertia quanto a deixar objetos e instrumentos em cima da mesa do Delegado e até mesmo por trás em estantes VISÍVEL para quem chega. Recordo o cuidado de SEMPRE acompanhar ao lado do Delegado ou escrivão/escrivã quando em depoimento de algum infrator da lei, mas a MAIORIA PENSA....É UM SÓ UM DEPOIMENTO!! Não acompanha, Não dá cobertura, AFINAL, ESTÁ DENTRO DE UMA DELEGACIA...Todo mundo DUVIDA!! Mas aí é que vai uma vida e com este pensamento..Várias Outras. Ao ler a notícia foi como uma facada no coração...Pensei nos pais dessa jovem e na alegria quando passou no concurso e justo no local onde se pensa estar protegido(a). Lembro de uma audiência em Pedreiras quando o promotor solicitou que tirasse a algema do preso e subitamente foi atingido com um soco no rosto...Tudo Inesperado, está tudo sob controle...AFINAL estamos dentro do fórum, estamos na Delegacia. A mente (des)Humana é imprevisível. Mas Nós, PROFISSIONAIS que DEVEMOS/DEVERÍAMOS SER, ESTAMOS APANHANDO PELA CONFIANÇA! E Delegado tem que acompanhar interrogatório também. NÃO DEIXEMOS NOSSOS COLEGAS À SÓS... Não é mais uma VÍTIMA não, não a conhecia...MAS PRECISA CONHECER? Nossa colega de profissão, uma vida inteira tirada por este psicopata...MAS A MENSAGEM NÃO É ESTA! Vamos redobrar nossa mente, ACORDAR! será que é SEMPRE esperar acontecer para MUDAR ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS?? Tudo bem...Neste exato momento em que estou digitando este TEXTO, alguém pode entrar aqui e ME MATAR...estou só, não tem ninguém na porta, é uma Delegacia de UM policial Civil só e quando saio vem outro que vai FICAR SÓ TAMBÉM E ASSIM VAI NO DIA A DIA! A Deus, peço proteção..... 

Enviado em 15.05.14, por Marco Marines. IPC Pastos Bons/MA.





VÁ COM DEUS COLEGA!!!!

Portal da Globo aborda novamente assassinato de Loane Maranhão enquanto tomava depoimento dentro de delegacia em Caxias-MA

Por Wagner Leite

Hoje, pela manhã, como é de nosso costume verificamos o que tem de notícia na internet e para nossa surpresa encontramos no portal da globo uma notícia sobre o assassinato de Loane Maranhão com a seguinte manchete "Faltou cuidado, diz superintendente sobre a morte da escrivã no MA". Na reportagem do portal da globo também tem um vídeo editado, é claro, e o caro leitor pode ver clicando AQUI, onde o senhor superintendente diz:  "um, que faltou cuidado à equipe que estava na delegacia; dois, que não sabe precisar se a escrivã estava sozinha tomando o depoimento de seu algoz; três, que a delegada estava na delegacia com duas investigadoras, mas não sabe se ela estava com a Loane Maranhão; quatro, que entre as atribuições do escrivão está tomar por termo o que o delegado produz; cinco, que todo policial deve seguir um procedimento de revista em qualquer suspeita, e outras coisas mais". Bem, vamos analisar cautelosamente o que foi dito na reportagem editada sabendo que nem tem tudo que reluz é ouro. O superintendente como sempre muito educado preferiu calar a verdade à dizer o que a Teoria do Silogismo de Aristóteles nos permite concluir "a Loane Maranhão estava desacompanhada da delegada" o que é óbvio, pois a delegada está vivinha da silva e o protecionismo em torno do cargo é tão grande e a mídia cúmplice tão canalha que a delegada não tem nome, só tem cargo. Se a Loane estava armada ou não - tenho certeza que já sabem, mas não ouvi ninguém questionar ou explicar porque o algoz ainda fugiu e se a delegada também estava ou não armada e porque não atuou como devia, inclusive, em legítima defesa de Loane. Tudo muito bem posto, inclusive, a parte que diz que faltou cuidado à equipe, por isso sou obrigado a perguntar: Que equipe? Ah, o povo que estava na delegacia. Entendi. Esqueceu que o escrivão trabalha como escravo e por isso é conhecido como escravão, mas cá entre nós, é um super humano que trabalha na solidão de sua senzala, de seu paiol, de seu cativeiro, fazendo o seu trabalho, o de seu delegado e por vezes o de um colega investigador - tudo isso armado somente com caneta, papel e computador, e quando não é assassinado no trabalho ou fora dele, por vezes é injuriado e processado administrativamente quando o trabalho de seu delegado não é feito. Ouvi também falar de um tal procedimento padrão de busca em suspeita. Ora, ora, até aquele momento o algoz era suspeita de estupro e na delegacia havia somente mulheres, o que me faz imaginar qual a importância da revista para encontrar a arma usada para o cometimento da violência da qual o assassino era interrogado por Loane e quem poderia se submeter a tal constrangimento. Procedimento padrão de busca em delegacia nunca existiu e nem existe e talvez nunca chegue a existir com tamanho amadorismo com que a policia trabalha e que o seu sucesso é mérito individual de alguns policias como Loane Maranhão. A lei permite a busca quando há fundada suspeita e naquele momento, qualquer busca só poderia ser arrimada na Teoria de Lombroso, hoje tida como preconceituosa. A verdade é que Loane Maranhão foi assassinada quando fazia o seu trabalho e o de seu "delegado" desacompanhada de qualquer policial como já é de costume nas polícias.

(...)


(...)


Márcia Gardênia