quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

SEM RECURSOS DELEGACIA DA MULHER DE BACABAL SEGUE NO COMBATE AO CRIME DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

O ano de 2013 chegou ao fim na Delegacia da Mulher de Bacabal com instauração de 97 procedimentos criminais. Muitos deles foram originários de medidas protetivas já concedidas, outros encontravam-se sem movimentação.
 
O trabalho de atualização desses procedimentos tem exigido esforço e muito compromisso diante das condições de trabalho oferecida e da ínfima quantidade de escrivães. É  verdade que pudemos contar com um reforço extra de mais um escrivão nos últimos meses do ano de 2013.  Atualizar o que ainda se encontra fora do prazo é trabalho que tem merecido uma força tarefa, pois além dos trabalhos que já se encontravam acumulados, todos os dias novos procedimentos surgem.
 
Isso sem falar nas audiências que precisam ser realizadas. Atender as pessoas também se constitui ação de prioridade da delegacia da mulher. Em 2013, de maio a dezembro, foram realizadas cerca de 200 audiências, pois todos os dias tem alguma mulher procurando a delegacia. Toda procura precisa ser considerada importante, pois acreditamos que ninguém sai da sua casa e vai a uma delegacia passear. Um motivo há e merece ser conhecido. O papel que aqui se procura desenvolver também tem sentido final de prevenção, daí a importância de maior e melhor interação, daí o valor do papel proativo de interlocução que precisamos assumir. Essa é nossa obrigação! O ano de 2014 mal começou e já nos surge como grande desafio. Mas, tudo bem, desafio aceito. Agora é pedir forças, arregaçar as mangas e continuar tentando desenvolver um trabalho de combate ao crime respaldado na legalidade, na justiça e com bastante senso de humanidade.
 
Del. Ironeide Elvira de Melo
Aos vinte e dois dias do primeiro mês do ano de 2014, quinze procedimentos criminais já foram instaurados através de portaria e mais três por meio de prisão em flagrante delito. Os crimes mais comuns foram ameaça (04), lesão corporal (09) e estupro (02).  Para 2014 o que a gente deseja mesmo é dispor de uma rede de atendimentos para as mulheres vitimas de violência, também de uma casa abrigo, espaço de vital importância para proteção da mulher vitima. Mas, enquanto a gente sonha com o que não dispõe vai fazendo o que pode com o pouco que se tem.
DIALOGAR PARA PREVENIR
APROXIMAR PARA CONSTRUIR