terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Advogada agredida em delegacia tem nariz quebrado



A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) vai pedir a cassação do mandato do vereador de Paramoti, João Batista Félix de Castro, por falta de decoro parlamentar, pela agressão cometida contra a advogada Elizângela dos Santos Silva, que teve o nariz fraturado depois de ser agredida por ele em frente à Delegacia Regional de Canindé, município a 120,2 km de Fortaleza. O caso ocorreu na última sexta-feira, 10, quando a advogada compareceu à delegacia para providenciar a liberação de um veículo de um cliente que havia sido apreendido por Félix, que trabalha na delegacia como inspetor da Polícia Civil.
De acordo com Elizângela, o inspetor não aceitou a liberação do veículo, mesmo este tendo sido liberado pela delegada, Giselle Oliveira Martins, que não constatou qualquer irregularidade em sua documentação. E por essa razão, a agrediu com uma cabeçada. Segundo a advogada o caminhão havia sido comprado por seu cliente, mas que durante abordagem policial, ele estava sem a documentação da transação para apresentar.

Após a agressão, que a deixou com o nariz sangrando, Elizângela abriu um termo circunstancial de ocorrência (TCO) na própria delegacia, e passou por exame de tomografia, que constatou fraturas nos ossos do nariz. Ela passará por cirurgia de reconstituição na próxima quinta-feira, 16.

PEDIDO DE CASSAÇÃO

A decisão de pedir a cassação foi tomada na tarde desta segunda feira, 13, pelo presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro, depois de tomar conhecimento do caso, apresentado pelo Centro de Apoio e Defesa do Advogado da Ordem. Será instaurado ainda inquérito policial, com o acompanhamento de uma comissão de advogados a ser indicada pelo presidente da OAB-CE. O caso também será encaminhado à Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário do Estado com o pedido de imediato afastamento preventivo do inspetor Castro. A OAB vai oficiar ainda o delegado geral, Andrade Júnior, visando assegurar proteção à advogada agredida.

Fonte: http://www.opovo.com.br