domingo, 19 de janeiro de 2014

Alunos e professores da UESPI criam aplicativo para tornar a administração menos inoperante

Encontramos a reportagem a seguir que trouxemos para este espaço a fim que a administração pública do estado do Maranhão e das suas cidades tomem conhecimento tomem conhecimento e procurem de alguma forma conhecer o assunto para aplicá-lo de forma eficaz na resolução dos problemas que afetam todos que habitam no Maranhão ou passam por este estado. Outro objetivo que nos motivou a trazer para este espaço a postagem seguinte, foi mostrar ao povo esta importante ferramenta que pode ser usada para pressionar o gestor público a sair de sua zona de conforte e trabalhar para fazer jus ao salário que recebem. Leiam, por favor, e vamos a luta.

* * *

Estudantes do curso de computação da Universidade Estadual do Piauí – UESPI desenvolveram um aplicativo que tem o objetivo de aproximar o cidadão da administração pública. 

O aplicativo “De olho na cidade”, desenvolvido pelo Laboratório de Sistemas Onipresentes e Pervasivos (OPALA), da UESPI, é produto de um projeto em andamento desde abril de 2012 e foi lançado recentemente no Google Play e já possui cerca de 500 apoiadores e 100 usuários em todo o Brasil.
Imagem: DivulgaçãoGrupo OPALA(Imagem:Divulgação)Grupo OPALA
O Prof. Dr. José Bringel Filho, docente de Computação e idealizador do projeto, explica que o aplicativo funciona como uma espécie de ouvidoria inteligente interligada a uma rede social, o que segundo ele possibilita maior envolvimento da população com o cuidado da sua cidade. 

“Este aplicativo visa propiciar uma administração pública mais participativa. Com o aplicativo qualquer cidadão pode postar problemas, sugestões e apontar necessidades através da criação de causas. Uma vez criada a causa, ela se torna visível a todos os participantes darede social do aplicativo, que poderão então comentar, apoiar e compartilhar entre amigos”, pontua.
Imagem: DivulgaçãoO aplicativo foi inteiramente criado e desenvolvido por docentes e alunos de Computação da UESPI.(Imagem:Divulgação)O aplicativo foi inteiramente criado e desenvolvido por docentes e alunos de Computação da UESPI.

As causas possuem status indicando o andamento do seu tratamento: 1) cor branca: causa recém criada; 2) cor laranja: causa em andamento para resolução; 3) cor verde: causa resolvida e confirmada pela população; 4) cor vermelha: causa relevante e esquecida/ignorada pela administração pública. A administração pública também pode propor projetos, programas e ações buscando o apoio da população para a execução. 

“A ideia principal do aplicativo é indicar para a administração pública as prioridades das ações de acordo com a participação popular, pois permite medir o nível de relevância das postagens (causas) através do número de apoiadores, compartilhamentos e comentários. Quanto maior for o nível de importância da causa, mais atenção ela deve receber da administração pública para resolvê-la”, afirma Bringel Filho.

O aplicativo foi inteiramente criado e desenvolvido por docentes e alunos de Computação da UESPI, um grupo formado pelos professores José Bringel Filho, Constantino Neto, Marcus Vinicius, e pelos alunos Misael Costa Júnior, Caio Alves (Aluno de Especialização -UESPI/IFPI), Lorenzo Cunha, Gleydson Rocha e Henrique Motta. O grupo também contou com a colaboração dos professores Anchieta Araujo, Liliam Barroso e Giovanni Carvalho.

Este projeto possui ainda a parceria internacional com a Universidade de Grenoble – França (Laboratório STEAMER), que é conceito A. A fan page do aplicativo pode ser acessada através do endereço: https://www.facebook.com/olhonacidade?fref=ts . O Aplicativo está disponível para dispositivos móveis da plataforma Android por meio do link: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.opala.eyesonthecity, e em breve também para iPhones. 

Keywords: uespi, administração pública, aplicativo, bringel filho

Fonte: www.gp1.com.br