segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A Policia Civil registra mais um fato inusitado: Mulher passa veneno na vagina para matar o marido

Por Wagner Leite

Lendo o site do Sinpol-ma vi a manchete "Mulher passa veneno na vagina para matar marido durante sexo oral" e como todo bom curioso por fatos policiais inusitados decidi ler a matéria, pois sou sabedor que em delegacia de polícia aparece de tudo. De toda delegacia é costume aproximar-se um "doido" que vai chegando devagarzinho, devagarzinho e por aí vai ficando, principalmente à noite, por acreditar que o ambiente é mais seguro que a própria rua. Contudo, não é essa a história que pretendo mostrar, mas a que foi veiculada no sinpol-ma. Por isso, segue aí a matéria e depois volto com a minha história.

"Homem procurou a polícia e contou que após uma briga a mulher passou uma substância tóxica 

Imagem Ilustrativa

Uma ocorrência incomum foi registrada no 4º Distrito Policial de Rio Preto, na última semana. Trata-se de “averiguação de tentativa de homicídio”. O inusitado da história é o teor da denúncia: um homem procurou a polícia e contou que após uma briga a mulher passou uma substância tóxica (veneno) da vagina e o convidou para sexo oral. Esperto, o maridão deu uma cheiradinha no produto antes de saborear o veneno e desconfiou da intenção perversa da mulher. A ocorrência foi registrada pelo delegado Walter Colacino Júnior, que diante da versão inusitada, determinou a apuração dos detalhes do caso antes de adotar qualquer providência."

***

Voltei

Outro dia, estava em uma delegacia quando chegou um rapaz querendo registrar um BO por desrespeito, contra o filho de seu patrão. O policial perguntou em que consistia o desrespeito e o rapaz insistia em não dizer. O policial insistiu que precisava saber de que se tratava realmente porque somente o desrespeito não era crime. O policia disse que tinha que saber para poder averiguar se a conduta consistia algum tipo de crime. O rapaz disse, então, que o filho de seu patrão não o respeitava e todas as vezes que ia comer, o filho do patrão "peidava" em cima dele. O policial esboçou acanhado sorriso e disse: senhor, é melhor o senhor falar com o patrão, pois acredito que ele não ficará muito satisfeito ao saber que o senhor registrou um BO contra o filho dele por causa de um simples "peido". O rapaz, então, disse: não é um simples "peido"; são vários. O policia disse: que seja, senhor. Fale primeiro com seu patrão e se não resolver, retorne nesta delegacia para falar com o nosso delegado, pois ele terá prazer em recebê-lo e ouvir a sua história, mas fale antes com seu patrão. Assim, o caso foi resolvido e o rapaz até hoje não retornou.