terça-feira, 22 de outubro de 2013

EX POLICIAL É MORTO PELA TERCEIRA VEZ


Um boato na tarde desta segunda-feira (21) mobilizou policiais de Teresina (PI) e Timon (MA) para confirmar se o ex-policial civil Francisco Carlos de Araújo, o Carlão, havia sido assassinado. Tudo não passou de alarme falso, reforçado por um trote de quem atendeu o telefone do próprio Carlão, confirmando a notícia. Enquanto toma refrigerante e ri de toda a história, ele nega estar com o aparelho.

Francisco Carlos de Araújo, o Carlão, trabalhava no 1º Distrito Policial, no Centro de Teresina, até ser expulso da Polícia Civil em 2012. Preso dois anos antes acusado de sequestrar e extorquir um investigado por falsificação de dinheiro, ele negou as acusações na época. A pedido, uma fonte do Cidadeverde.com ligou para o telefone de Carlão após a notícia de que ele teria sido morto. Do outro lado da linha, alguém respondeu que o ex-policial havia sido assassinado na Ceasa (Central de Abastecimento S.A.). Depois disso, a ligação foi encerrada e o telefone só deu sinal de desligado.

O comandante de policiamento da capital, coronel Alberto Menezes, vistoriou a Central de Abastecimento do Piauí (Ceapi) e não encontrou caso de homicídio. Viaturas das PMs do Piauí e Maranhão seguiram para a Ceasa de Timon (MA), com sirene ligada e até mesmo na contramão quando preciso. Também não havia nenhum morto.
Enquanto isso, Carlão estava próximo a um hospital da zona Sul, onde trabalha como chefe de segurança. E ficou surpreso ao ser localizado pelo Cidadeverde.com. "Que diabo de macacada é essa?", questionou. "A pessoa ser famosa é f...".
Carlão confirmou o número, mas negou estar com seu telefone celular. Ele explica que o aparelho caiu na água no último final de semana e foi levado para uma oficina. Por isso, estaria sinalizando como desligado. Porém, o ex-policial não soube explicar como alguém atendeu seu telefone informando seu "assassinato".
Mesmo assim, Carlão revelou que um cunhado, por volta de 11h de hoje, chegou na casa da irmã narrando ter ouvido comentários de que ele teria sido morto. O ex-policial afirmou ter achado que era brincadeira do cunhado. Informado da ligação e questionado sobre sua presença na Ceasa, o ex-policial respondeu: "Onde é que fica isso?". Perguntado se tem sofrido ameaças, ele desconversou. Carlão se divertiu com a história. Posou com os dedos levantados para mostrar que está bem e ainda pediu que o fotógrafo o registrasse no bar tomando refrigerante. 
O ex-policial lembrou que essa não é a primeira vez que ele é dado como morto. Nas outras duas, ele teria sido confundido com outros policiais homônimos que foram baleados, um na cidade de Luzilândia e outro na zona Norte de Teresina. 

Fonte: http://www.cidadeverde.com