sábado, 19 de outubro de 2013

Começou assim...

Brasileira presa na Rússia queria ser do Greenpeace desde os 15 anos

Ana Paula está presa desde o dia 19 de setembro na Rússia

Ana Paula Alminhana Maciel, 31, presa na Rússia desde o dia 19 de setembro por uma ação de protesto contra a exploração de petróleo no Ártico abraçou a causa ambiental logo na infância e, aos 15, colocou na cabeça que seria uma ativista do Greenpeace. ainda estudante de biologia na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), no começo dos anos 2000, Ana Paula frequentemente viajava a cidades do interior do Rio Grande do Sul para dar palestras sobre ecologia e natureza em escolas públicas. Dava as aulas de graça, às vezes ganhando só a passagem de ônibus.a ativista converteu para DVD mais de 200 fitas cassete que colecionou durante a adolescência e juventude com vídeos de documentários sobre natureza e ecologia, aos quais ficava horas assistindo quando estava em casa. Segundo a mãe, Ana Paula “não desperdiça tempo vendo novela”.

Eu nunca questionei a vocação dela, nunca critiquei as opções que fez e nem usei a minha preocupação, de mãe, para estimulá-la a mudar de ideia. Sempre dei força para que seguisse o seu caminho, fosse qual fosse', diz a mãe.

O diretor de Campanhas do Greenpeace, Sérgio Leitão, também descreve Ana Paula como uma ativista determinada e destemida.

'É uma pessoa que não merece essa provação, de jeito nenhum. Ela precisa voltar para casa porque só estava lutando por seus sonhos e por aquilo em que acredita, e isso não pode ser crime em lugar nenhum no mundo', afirmou.

A família prepara um ato público em Porto Alegre pela liberdade da ativista. A manifestação está prevista para o último fim de semana de outubro, no parque Farroupilha, e contará com o apoio do Greenpeace.

Fonte: http://www.orm.com.br/