sexta-feira, 27 de setembro de 2013

COSME E DAMIÃO: A HISTÓRIA DOS SANTOS QUE PROTEGEM AS CRIANÇAS


Desde menina adoro a festividade. Nas proximidades da minha casa havia um terreiro de umbanda onde todos os anos se comemorava a data em grande estilo. Eram bolos, tortas, bombons, chocolates, guloseimas das mais variadas. Era um colorido de dar água na boca tantos crianças e adultos. Claro que eu esperava o ano todo pela festa. No dia que antecedia a festa a criançada do bairro não pensava em outra coisa. Bela tradição! E não tinha ameaça por parte da mamãe que impedisse de prestigiar os santos... Se eu ia apanhar ou não, pouco importava para mim... O que lembro é que chegava em casa empanzinada de tanto beber chocolate e comer doces... e ainda levava doces para comer a semana inteira... Tempos de infância que deixam saudades. Do que recordo a lembrança que me vem à mente além dos doces são de mulheres bem vestidas, alegres, dançando com vestidos esvoaçantes e muita, muita criança do lado de fora espionando a festa e esperando a hora da distribuição das guloseimas... Foi assim que aprendi a gostar das festividades desse dia ... daqui há pouco festa de Cosme e Damião...Só que agora eu também distribuo os doces...

MAS, AFINAL, COMO TUDO ISSO COMEÇOU?!
COSME e DAMIÃO foram gêmeos médicos que passaram a vida ajudando os mais pobres sem cobrar nada. Eles são conhecidos como os protetores dos farmacêuticos, dos médicos, dos gêmeos e também das crianças.
*
Gêmeos eram meninos médicos
Há muito tempo, havia uma senhora sem filhos. Vivia cercada de riqueza, mas sentia falta da alegria das crianças. Durante um ano, nos dias pares, ela subiu a uma montanha e fez orações pedindo a Deus a graça de ter filhos. Seu desejo foi realizado e, no dia 27 de setembro, nasceram dois meninos, gêmeos idênticos, a quem ela chamou Cosme e Damião.

Aos 7 anos, Cosme e Damião já exerciam a medicina e faziam muitas curas. Não cobravam para atender os doentes e ofereciam doces para diminuir a tristeza deles. Os médicos do reino, que exploravam os pobres, não gostavam daquilo, e a notícia chegou ao imperador. O rei mandou persegui-los. Mas até os 17 anos Cosme e Damião continuaram curando o povo das doenças e não foram capturados.

Filho do rei adoece
Certo dia, o filho do imperador ficou doente e foi desenganado pelos médicos do reino. Sabendo que o menino ia morrer, o rei mandou que seus soldados fossem buscar Cosme e Damião. Os soldados acharam os dois médicos vestidos com uma roupa muito linda, azul e cor de rosa, com algumas folhas de palmeira na mão. Imediatamente levaram os gêmeos até o imperador. Cosme e Damião conseguiram o que parecia impossível, devolveram a saúde ao menino. 

O pagamento pela cura
Depois da cura, o imperador ordenou aos jovens que usassem seus dons apenas para ele e que o adorassem como a um deus. Cosme e Damião responderam que só reconheciam Jesus Cristo como Deus e que seus conhecimentos eram para ajudar o povo.
O rei não gostou da resposta e mandou torturar os médicos, para que negassem sua fé. Como isso não aconteceu, ordenou que os dois fossem decapitados. A mãe dos gêmeos ergueu um altar em casa em homenagem aos s us filhos, enfeitando com flores e doces. As pessoas doentes que iam visitar o altar ficavam boas e, assim, Cosme e Damião se tornaram santos.
Os dois santos e o candomblé

No candomblé, religião de origem africana, os orixás protegem as pessoas que acreditam neles. A religião diz que toda pessoa que tem santo também tem um erê, orixá menino. Os erês são confundidos com os ibejis, orixás meninos, sempre gêmeos. Os ibejis são cultuados na Nigéria, país com maior número de nascimento de crianças gêmeas no mundo. A festa dos erês acontece na mesma época da dos santos católicos Cosme e Damião. É comum em vários lugares do Brasil oferecer caruru a Cosme e Damião. Além de caruru, feito com quiabo, há outras comidas, como xinxim de galinha, vatapá, acarajé, banana frita no dendê. Na festa, a comida primeiro é servida às crianças.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br


Oração de São Cosme e Damião para dedicar os seus pedidos e rogar por suas bênçãos

“São Cosme e Damião, vós que dedicares as vossas vidas e o vosso tempo à cura do corpo e da alma. Vós que trabalhastes pelo próximo sem exigir nada em troca, além de sua gratidão. Peço-vos que iluminem aos médicos, enfermeiros e farmacêuticos, para que tenham a luz do vosso amor em seus corações e para que trabalhem no amor de Deus pelas enfermidades do homem. Que vosso amor ilumine a todos os corações, para que todos os homens trabalhem em função de sua fé. Que vossa inocência e vossa simplicidade protejam sempre a todas as crianças deste mundo. Que sua humildade e sua tranquilidade sempre acompanhe-as e que repouse o seu doce amor e seus pequenos corações. Eu lhes peço ainda, São Cosme e Damião que a sua proteção guie o meu coração. Que conserve-o sincero e paciente, para que eu saiba ajudar, espalhar o meu amor e auxiliar no zelo pelo futuro das nossas crianças. São Cosme e Damião rogai por mim, por nós e pelos pequeninos.”