quarta-feira, 4 de setembro de 2013

AÇÃO POLICIAL NA CIDADE DE IMPERATRIZ

Bando que planejava assalto a banco em Imperatriz é preso 

Policiais do Serviço de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, núcleo de Imperatriz, comandados pelo delegado Tiago Bardhal, prenderam no fim da tarde dessa terça-feira (3) um bando acusado de planejar assalto a banco na cidade. A ação contou com apoio de policiais civis da equipe da Delegacia Regional, sob o comando do delegado regional Assis Ramos.

Os componentes do bando presos são: Cledson Gomes Alves dos Santos, 31 anos, Rua Resistente, Qd. 01, lote 39, CPA, Cuiabá (MT); Geovane da Silva Sousa, vulgo “Esquerdinha”, 33 anos, morador de Imperatriz; Heleandro Mota de Deus, vulgo “Dodô”, 26 anos; Ocivaldo da Silva Santos Barros, 23 anos, Rua Graciliano Ramos, 545, Planalto, Redenção (PA); Genesson Gomes da Silva, 26 anos, Avenida Tiradentes, 1462, Eldorado, Araguaína (TO); e Fernando de Sousa Silva, vulgo “Gordinho”. Um sétimo componente do bando, que pode ser identificado por Francisco Otávio Silva, de 26 anos, fugiu ao perceber a presença da polícia.

Segundo o delegado Assis Ramos, o alvo era Geovane da Silva Sousa, que tem dois mandados de prisão no estado do Pará, sendo um em Tucuruí e outro em Novo Repartimento, por assaltos a bancos na modalidade “sapatinho”, o mesmo que essa quadrilha planejava fazer em Imperatriz. Através do Geovane, a polícia chegou nesse bando. Com o bando, os policiais apreenderam dois veículos alugados. Um Volkswagen modelo Voyage 1.6, cor preta, placa NSY-9422 Marapanim (PA), e o Chevrolet Celta LT, cor prata, placa OIU-9338 Imperatriz. Foram apreendidos ainda dinheiro, celulares, um carregador de pistola 7.65, porta-cédulas, joias e outros objetos.

O bando foi conduzido à Delegacia Regional de Imperatriz, onde foi autuado em flagrante delito pelo delegado regional Assis Ramos, e encontra-se à disposição da Justiça. As investigações continuam e o delegado Assis levantou a hipótese de alguns acusados estarem identificando-se com nome falso. “Com exceção de Geovane, que já é nosso velho conhecido, os demais podem estar usando nomes falsos”, afirmou.

Além de um assalto praticado em um posto de combustível em Imperatriz, a polícia vai investigar o envolvimento do bando no “sapatinho” registrado na semana passada. Na última quarta-feira (28), os bandidos fizeram a família do tesoureiro da agência do Banco do Brasil da Bernardo Sayão como reféns e no dia seguinte roubaram mais de R$ 500 mil. Eles podem ter sido também os autores do assalto frustrado ao Bradesco de Estreito, em que o mesmo método foi usado. 

Fonte: http://oprogressonet.com/