sábado, 8 de junho de 2013

Juíza assassinada pelo ex-marido em Mato Grosso

Glauciane Chaves de Melo, 42 anos

Evanderly de Oliveira Lima

Juíza é assassinada pelo ex-marido em Alto Taqueri (MT)


A juíza Glauciane Chaves de Melo, do Fórum da Comarca de Alto Taqueri (MT), a 509 quilômetros de Cuiabá, foi assassinada pelo ex-marido, Evanderly de Oliveira Lima, na manhã desta sexta-feira, (7), por volta das 11h, dentro do Fórum da cidade, durante o horário de expediente. Segundo testemunhas, o ex-marido entrou no gabinete da juíza sem causar nenhum alarme, já que mesmo com a separação, ele ainda mantinha contato com a ex-esposa. Após uma discussão, ele sacou o revólver e deu dois tiros no peito de Glauciane e depois fugiu. A vítima foi socorrida e encaminhada para o hospital da cidade, mas não resistiu. Testemunhas relataram que o ex-marido saiu da sala falando que ia até a casa da mãe da juíza para matá-la. O policial, que fazia a guarda do local, chegou a disparar tiros contra o indivíduo, mas não conseguiu atingí-lo. Evanderly atua como enfermeiro no Hospital Municipal de Alto Taquari. A polícia já montou um esquema de realização de buscas do suspeito. O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), Orlando Perri, e o juiz auxiliar da presidência, Luiz Octávio Sabóia, foram para a cidade para acompanhar as investigações. 

Já foi solicitada ajuda do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Polícia Militar da região Araguaia, além disso as rodovias de acesso aos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul foram bloqueadas pela Polícia Rodoviária Federal. Todos as providencias foram tomadas para evitar a fuga do assassino. 

O prefeito da cidade, Maurício de Sá, já decretou luto na cidade de três dias e os órgãos municipais já estão fechados.

O velório de Glauciane ocorreu em clima de muita emoção. Desembargadores, magistrados e a maior parte dos juízes aprovados no último concurso público que ingressaram na carreira juntamente com a magistrada compareceram à cerimônia. A presença da mãe da juíza comoveu os presentes.


Tempos bons aqueles em que terminar namoro ou casamento significava apenas fim de relacionamento ... . não é à toa que nossas delegacias estão lotadas de mulheres se dizendo vitimas de ameaça de morte ao primeiro sinal de que desejam largar seus companheiros... se mulher agisse assim diante de traições, indiferenças e abandonos todas as delegacias seriam das mulheres. E é com base nessa realidade de violência  estatística de crimes que não consigo de jeito nenhum desconsiderar a gravidade de uma denúncia de violência contra mulher. DENUNCIOU se apura. UMA VEZ APURADO, punição. TODO AGRESSOR EM DELEGACIA TEM CARA TRISTE!     


Fonte: http://arquivo.dm.com.br/texto/gz/119331