quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Familia morta por disputa de herança, filho é suspeito.

Três homens foram presos suspeitos de envolvimento no assassinato de três pessoas de uma mesma família. Dois confessaram o crime e apontaram como mandante o filho de uma das vítimas.

 O publicitário Jimmy Robert, 30, filho de Roberval Roberto de Brito, 60, uma das três vitimas da família Belota encontradas mortas na manhã desta terça-feira (22/01), em Manaus, foi entregue por quatro comparsas que confessaram, esta noite, participação nos assassinatos. Em depoimento na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), os quatro confirmaram os homicídios e apenas Jimmy negou envolvimento.
Um amigo de Jimmy identificado como Rodrigo e outros três suspeitos de serem cúmplices no crime foram detidos, já durante a noite, e encaminhados à DEHS, onde confirmaram que mataram Maria Gracilene e a filha Gabriela Belota, primeiramente, e em seguida, o pai de Jimmy. Eles foram identificados como Raphael, Bruno e Wellington - este último chefe de uma boca de fumo e que confirmou ter fornecido a arma para a execução da família.
Rodrigo, 19 - cujo sobrenome não foi revelado - e Jimmy foram presos pela polícia nas proximidades da Avenida Sete de Setembro, no Centro, onde o veículo modelo Ford Fiesta, de outra das vítimas, a universitária Gabriela Belota, o qual foi levado do apartamento da vitima após o homicídio, foi localizado abandonado. A mãe do suspeito informou que ele conhecia Jimmy há três meses, aproximadamente, e que o pai de Rodrigo também será ouvido.
A assessoria da Polícia Civil informou que, antes deles, três suspeitos dos crimes haviam prestado depoimento à polícia, entre eles, a empregada do apartamento onde a Maria Gracilene Belota, 59, coordenadora-geral de comércio exterior da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), e a filha Gabriela moravam. A doméstica foi quem encontrou os corpos, na manhã desta terça.
Os corpos de mãe e filha já foram periciados e o do tio, seria analisado no início desta noite. Já o veículo de Gabriela foi encontrado na avenida Sete de Setembro, no Centro, nas proximidades do Prosamim, e foi encaminhado ao Instituto de Criminalística, ao lado do Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte de Manaus. 
Vingança
Segundo informações de familiares, Jimmy estava se desentendendo com o pai porque era homossexual e levava parceiros sexuais para a residência, motivo que o levou à expulsão da casa de Roberval. Após ter sido acolhido na residência da tia, o mesmo problema ocorreu, o que pode ter motivado os assassinatos por vingança. A polícia não confirma a informação.
Segundo o delegado à frente da investigação, Emerson Negreiros, o crime já estava sendo planejado há três semanas. A desconfiança de que Jimmy e Rodrigo estariam envolvidos começou com a ida dos dois, juntos, ao local onde foram mortas mãe e filha. Os participantes, com exceção de Jimmy, alegam que as mortes foram motivadas por uma herança da família. Nesta quarta-feira (23), pela manhã, os suspeitos serão apresentados pela polícia, junto ao laudo conclusivo. "Tudo leva a crer que o crime tenha sido motivado por herança", afirmou.
O delegado-geral de Polícia Civil, Josué Rocha, informou que Jimmy, Bruno e Rodrigo, serão autuados em flagrante por homicídio qualificado, porte ilegal de armas e formação de quadrilha. Os mesmos crimes devem ser atribuídos aos dois outros acusados, que ainda não terminaram de prestar depoimento. O secretário de Estado de Segurança Pública, Paulo Roberto Vital, disse que foram encontrados com eles uma arma calibre 38 e um estilete. "Esse é um crime que foi planejado", garantiu em coletiva.

Fonte: http://acritica.uol.com.br/manaus/