terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Estudante piauiense é atropelada em Imperatriz (MA) e está na UTI

Motorista é acusado de atropelar casal de propósito. Ele já se apresentou para a polícia.

Uma estudante piauiense e outro jovem foram atropelados em frente de uma boate em Imperatriz (MA), na madrugada do último sábado (26). Rebecca Duarte Cordão, 23 anos, ficou em estado mais grave e continua internada na UTI de um hospital do município. O motorista teria atirado o carro de propósito contra as vítimas e fugiu em seguida. O caso foi destaque nos veículos de comunicação da cidade maranhense.

Rebecca e Davison: ela é piauiense e estuda Medicina no Maranhão

Acadêmica de Medicina, Rebecca é filha da médica Monica Cordão e sobrinha de Erlich Cordão, promotor de eventos de aventura como o Piocerá/Cerapió. Ela estava na frente da boate ITZ com Davison de Jesus Almeida, 22 anos. Segundo testemunhas, no final da madrugada uma Outlander preta atropelou os dois. O motorista seria Gessé Leite Filho. 

O delegado regional de Imperatriz, Assis Ramos, informou que a autoria já está definida. Ele acredita que o inquérito será concluído o mais rápido possível, com o indiciamento de Gessé Filho por homicídio doloso - quando há intenção de matar. Ele e Davison teriam se envolvido em uma discussão anteriormente, segundo a imprensa local. 

Rebecca Cordão está na UTI do hospital São Rafael, em Imperatriz. Ela teve de ser submetida a uma cirurgia para a retirada de um coágulo no cérebro. O delegado Assis Ramos já pediu a realização de exame de corpo de deligo na vítima. Davison já foi liberado do hospital. 

Gessé, o acusado

Gessé Filho já se apresentou espontaneamente na 10ª Delegacia Regional de Imperatriz, mas não foi preso por ter se passado o prazo do flagrante. No entanto, não está descartada a possibilidade de se pedir para a Justiça a sua prisão preventiva. O Ministério Público já está acompanhando as investigações.

O acusado também seria reincidente. "Ele já foi sentenciado há três anos por ter atropelado e matado uma pessoa também", diz o delegado Assis Ramos, acrescentando que o motorista não poderia estar dirigindo por determinação judicial. O delegado ainda pretende fazer uma perícia no carro. Gessé teria informado em depoimento que estava em outro veículo e o Outlander, ainda não localizado, estaria em São Luís.