quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

DELEGACIA REGIONAL DE BACABAL - CRIME COM CARACTERISTICAS DE EXECUÇÃO

delegado regional Jader Alves
ACHADO DE CADÁVER - Compareceu no dia 30.01.13, nesta depol, a Sra. ANTONIA AMANDA comunicando o sumiço do seu companheiro ALEX SOUSA, 24 anos, mais conhecido como ALEX CHINÊS. Em informações prestadas ao Delegado Jader Alves, mostrou preocupação com o sumiço do companheiro diante das noticiais recebidas de que o veiculo em que ele andava, um corola, preto, havia sido encontrado abandonado na estrada que dá acesso a cidade de Alto Alegre/Ma, com a porta amassada como se alguém a tivesse chutado. 

Indagada sobre  suspeitas de quem teria interesse em matar seu companheiro, respondeu não ter suspeitos, mas ressaltou que seu companheiro não tinha boas amizades e já tinha se envolvido com clonagem de cartão, e por isso já tinha sido preso, mas que no momento estava trabalhando com comercio de veículos  não sabendo especificar exatamente que tipo de negócios fazia.    

HOJE (31.01) depois de receber comunicado de um achado de cadáver no Povoado Piratininga, a autoridade policial e sua equipe se deslocaram até o local indicado constatando tratar-se do cadáver de ALEX SOUSA. Conforme se pode verificar o corpo já estava em avançado estado de decomposição. O corpo foi encontrado na beira da estrada e em seguida  encaminhado para realização de exame necroscópico. As investigações seguem no intuito de esclarecer o crime em todas as suas circunstancias e autoria delitiva. 







       
A única coisa bem distribuída no mundo é a burrice. 
George Bernard Shaw

(...)

QUINTA-FEIRA. Colorido brasileiro e um pulinho logo cedo até à Ilha para conduzir dois adolescentes infratores acusados de prática de roubo na cidade. Ficarão internados sob determinação judicial por 45 dias no Centro de Juventude Canaã, em São Luis/Ma. Além da condução dos adolescentes, um pulinho no Icrim, no Ident, e por fim uma rápida parada na SPCI. Vamos eu, Bruno e Pedro. Até a volta!  


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

(...)

 Juíza visita a Delegacia Regional e a Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz
 
Delegado regional Assis Ramos.
A juíza Ana Beatriz Jorge Maia realizou, nessa terça-feira (29), visita na Delegacia Regional de Imperatriz e na Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz, ex-CCPJ.  Segundo informações, a magistrada, que é titular da 2ª Vara Civil da Comarca de Imperatriz, mas atualmente respondendo pela Vara de Execuções Penais em função da titular, Janaína Araújo de Carvalho, estar de férias, recebeu denúncias de advogados dão conta de que os presos da Delegacia Regional, até ontem em número de 17, não estão com os seus direitos sendo cumpridos. Os detentos reclamaram para os seus advogados que não estão tendo banho de sol e principalmente visitas, como determinam as leis de execuções penais. O delegado Assis Ramos, questionado sobre o problema, se defendeu dizendo que, com poucos recursos humanos, não tem condições de cumprir o que determina a lei e, além disso, os agentes da Polícia Civil não têm treinamento específico para cuidarem de presos. Assis Ramos informou à magistrada que, com a transferência de presos feita para a UPRI, todos os agentes penitenciários foram retirados da Regional. “Estamos com 17 detentos, incluindo o sequestrador Sebastião Soares, um homem de alta periculosidade, e hoje pode ser que tenhamos muito mais e isso não é possível”, disse Assis Ramos. Depois da visita feita à Delegacia Regional, a magistrada também visitou a UPRI. A magistrada informou que vai fazer um relatório e enviar ao secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Aluísio Mendes, para que providências sejam tomadas. Não foi ventilada, pelo menos no momento, a ideia de uma interdição na Delegacia Regional, mesmo porque não está tendo superlotação. Mas, se providências não forem tomadas, isso poderá ocorrer em poucos dias. Durante toda a visita feita na Delegacia Regional, a magistrada Ana Beatriz esteve acompanhada pelo promotor Joaquim Júnior e pelo delegado regional Assis Ramos.

Fonte:  http://oprogressonet.com/noticiario

Mais três PMs são condenados por participar de morte de juíza no RJ

Justiça do Rio condenou, nesta quarta-feira (30), três policiais militares acusados de participar da morte da juíza Patricia Acioli, em agosto de 2011. Os cabos Jovanis Falcão e Jefferson de Araújo Miranda, e o soldado Júnior Cezar de Medeiros vão cumprir pena pelos crimes de homicídio e formação de quadrilha.

No caso do policial Jefferson Miranda, a condenação foi de 26 anos pelos crimes de homicídio triplamente qualificado – motivo torpe, mediante emboscada e para ocultar crimes anteriores –  e formação de quadrilha. 

Já Jovanis Falcão recebeu a pena de 25 anos e seis meses pelos mesmos crimes. O soldado Junior Cezar de Medeiros teve a menor pena de todos: 22 anos e seis meses de prisão por homicídio duplamente qualificado e formação de quadrilha, já que os jurados excluíram a qualificadora de motivo torpe no caso dele.
 
O julgamento dos réus durou dois dias e eles negaram envolvimento na morte da magistrada. A defesa  dos três recorreu da sentença. Em dezembro de 2012, o cabo Sérgio da Costa Júnior também já havia sido condenado a 21 anos de prisão. Na ocasião, o assassino confesso da juíza foi beneficiado pela delação premiada e teve a pena reduzida em um terço. Outros sete réus, incluindo o então comandante do 7º BPM (São Gonçalo), tenente-coronel Cláudio Oliveira, apontado pelo MP-RJ como o mandante do crime, ainda serão julgados.

De acordo com o promotor Leandro Navega, dificilmente eles serão julgados ainda este ano. Os PMs recorreram da sentença de pronúncia e o recurso ainda será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). "O recurso é protelatório. O que eles querem é ganhar tempo na tentativa de serem absolvidos", disse o promotor.

CRIMES SÃO COMO QUEBRA-CABEÇA: QUANTO MAIS LIGAÇÕES,  MAIS FÁCIL ENCONTRAR A SOLUÇÃO.  


CONTINGENTE POLICIAL


Nem é preciso dizer que a insuficiência do contingente policial do Maranhão é histórica. São Luís cresceu para todos os lados, cresceu a população, ultrapassando 1 milhão de habitantes. Assim, manter a ordem e controlar as relações sociais de tanta gente não é uma tarefa fácil e exige muita, muita vontade politica. 

No intuito de amenizar esta situação, o Estado acaba de realizar concurso público para policia civil, militar e bombeiro. Se o número de vagas a ser preenchido resolve essa realidade de insuficiência já sabemos que não. E não precisa fazer muitos cálculos para ter essa certeza. O último concurso da policial civil aconteceu em 2006, com os policiais tomando posse apenas em 2009. Desse último grupo de policiais, escrivães e investigadores, muitos já deixaram a policia. Salário nada animador é a principal causa, para escrivães e investigadores, claro!.

A situação dos delegados de policia não é diferente em relação a sua infima quantidade, tanto é que muitas cidades do estado contam apenas com a presença da policia militar. 

Exemplo claro dessa insuficiência de profissionais se pode verificar aqui mesmo em Bacabal. No momento, apenas UM DELEGADO respondendo pelas cidades de BACABAL, LAGO VERDE, LAGO AÇU, BOM LUGAR e OLHO D'ÁGUA DAS CUNHÃS. 

E olha que só a cidade de Bacabal tem mais de 100.00 00  (cem mil habitantes), com um índice de criminalidade crescente.  

As equipes de policiais aqui são compostas:  1º DP (1 escrivão, 2 investigadores); 2º DP (1 escrivão, 2 investigadores); DEAM (3 investigadores, 1 escrivão) Delegacia Regional (05 investigadores, 2 escrivães e um 1 comissário). 

Se com todas as equipes presentes já é uma tarefa díficil, imagina com apenas UM DELEGADO. 

QUE DEUS PROTEJA A TODOS, PORQUE OU FALTA POLICIA, OU POLICIA MORRE DE TRABALHAR !!!  Salve Jorge !!!! 


Funcionário de hospital é preso suspeito de estuprar paciente dentro da UTI


Vítima é deficiente visual e, segundo a polícia, homem teria se aproveitado da condição  frágil da mulher

 Um funcionário de um hospital particular da Asa Norte, de 47 anos, foi preso em flagrante na terça-feira (29/1), suspeito de estuprar uma paciente que estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A mulher é deficiente visual. Segundo a polícia, o suspeito teria se aproveitado da condição frágil da vítima para cometer o crime de estupro. Mais informações sobre o caso serão passadas pela 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), em coletiva de imprensa, ainda na manhã desta quarta-feira (30/1).


TJMA determina prisão de acusado de atear fogo no corpo da esposa

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) reformou decisão do juiz de Dom Pedro, Thales Ribeiro, e determinou a expedição imediata de mandado de prisão contra Francisco Carlos Gomes Oliveira, acusado de assassinar sua companheira, ateando fogo no corpo da vítima. O magistrado havia revogado a prisão preventiva contra prisão Oliveira, arbitrando fiança de R$ 5 mil reais, revertidos em favor de duas escolas e uma igreja evangélica.
Inconformado com a decisão, o Ministério Público Estadual recorreu ao TJMA para reformar a determinação do magistrado, sob o argumento de que a prisão preventiva ocorreu em benefício da instrução criminal e da reconhecida periculosidade do acusado. O MP questionou ainda a destinação da fiança para as escolas e a igreja, já que esses valores pertencem ao Fundo Especial de Modernização e Reaparelhamento do Judiciário (FERJ).

 Cleonice Freire determinou a expedição de mandado de prisão contra o acusado
Em juízo de retratação, o juiz Thales Ribeiro reconsiderou a destinação da fiança, determinando seu depósito em prol do Fundo.

Voto - A relatora do processo, desembargadora Cleonice Freire, deixou consignado que a matéria referente a destinação da fiança restou prejudicada, pelo fato do juiz ter reconsiderado parcialmente a decisão recorrida ao destinar os respectivos valores ao FERJ.

No que diz respeito a revogação da soltura do acusado, a desembargadora observou que assiste razão ao MP e destacou a materialidade delitiva comprovada nos autos pela confissão de Oliveira, que depois de assumir a autoria do crime para seu irmão, também o fez em seu depoimento prestado à autoridade policial.
“Conforme o parecer do Ministério Público, dou provimento ao recurso para, com fundamento no artigo 338 do Código de Processo Penal, cassar a fiança arbitrada nos autos, e com fundamento nos artigos 312 e 313, também do CPP, determinar, imediatamente, a expedição de mandado de prisão contra Francisco Carlos Gomes Oliveira”, assinalou.

De acordo com a relatora o modus operandi do crime evidencia que o acusado é pessoa fria, perigosa e que pode, em razão das peculiaridades do temperamento, por em risco a vida da criança fruto de seu relacionamento com a vítima. “Os autos indicam a sua indiferença ao bem-estar e segurança da criança”, apontou.

O FATO - Consta nos autos que Oliveira atraiu à vítima até uma estrada vicinal no município de Dom Pedro, onde travou possível luta corporal e em seguida, valendo-se da superioridade de sua força física, ateou fogo em seu corpo com uso de gasolina, abandonando-a para morrer queimada.

Fonte: (Ascom/TJMA)

(...)


terça-feira, 29 de janeiro de 2013

(...)

"Ofende os bons, quem poupa os maus"
 
A verdade inserida neste ditado foi muito bem analisada em uma palestra proferida pelo Professor Luiz Marins. Na sua fala ele diz que “quando somos complacentes com quem não é bom, estamos, na verdade, ofendendo os que são verdadeiramente bons”. Pura verdade! Termina por contaminar todo o ambiente porque vai envolvendo a todos e causando desânimo. Das várias situações que o ilustre professor apontou para mostrar os efeitos negativos dessa complacência com os maus no ambiente de trabalho nenhuma se fez tão adequada para a minha compreensão do fato do que imaginar a própria realidade: imaginemos dois escrivães sob o mesmo estatuto, tendo as mesmas obrigações e exercendo a mesma atividade, em local comum de trabalho e sob as mesmas chefias. Horas de trabalho diferenciadas. E muito! Um chega e sai no horário, o outro, não. Um procura ser competente, o outro não. Um procura ser responsável, o outro, ainda não sabe o que é isso. Um pode usar viatura até para prestar concurso público em outra cidade, o outro, se precisar da mesma, porque precisou trabalhar até mais tarde (flagrante não espera) escuta um não. Já pensou?! E o pior ainda é se por mais de uma vez já ocorreu de o trabalho não ser feito e um pegar a culpa pelo outro só porque as autoridades mesmo conhecendo a realidade decidem pela contínua e permanente complacência. O motivo?! Não sei. Já imaginou que ambiente?! Pessoas erradas sendo tratadas da mesma forma que pessoas certas. Pessoas desonestas com tratamento igual ao das pessoas honestas. Que isso ofende, ofende! O resultado todo mundo sabe. 

Márcia Gardênia Alves Pereira / EPC-MA  
Publicado em 02.02.11/Sinpol-Ma

(...)

(...)

As falsas imputações de racismo não podem passar impunes, como o racismo

Não me impressiona que certas coisas aconteçam. O que é estupefaciente é que a antes chamada grande imprensa — cada vez menor na sua dimensão, digamos, democrática — lhes dê trela. A que me refiro?
Em dezembro, aconteceu um assalto na região do Taquaral, em Campinas. As testemunhas descreveram os bandidos. Eram pardos e negros. A PM determinou que grupos de jovens de cor parda e negra fossem alvos especiais da atenção da polícia para a apuração daquele caso em particular. O que há de errado nisso? Se os assaltantes fossem pernetas, a polícia diria: “Especial atenção com os pernetas”. Se fossem louros de olhos azuis, “Cuidado com os louros de olhos azuis”. Trata-se de mera caracterização.
Não para Frei Davi, o chefão de uma ONG chamada Educafro e notório criador de caso, chegado a ver racismo também onde não existe. 
Venham cá: então é legítimo que alguém se identifique como negro ou pardo para ter direito a cotas, por exemplo — e ninguém vê nisso racismo —, mas é um absurdo quando se diz: “Os ladrões eram negros, os ladrões eram pardos?”. A polícia deveria ter omitido esse dado?
Estão fazendo um barulho bucéfalo nas redes sociais. E, claro!, lá foi a diligente imprensa meter o gravador na boca do governador Geraldo Alckmin. Ele disse o óbvio. Lê-se no Estadão:
“O que houve foi um assalto ocorrido num bairro. Você tem um suspeito feito pelas características. É como se dizer: ‘Olha, teve um assalto aqui, e o suspeito é um loiro, uma pessoa loira, ou o suspeito é uma pessoa japonesa, asiática’. Enfim, o suspeito era uma pessoa de cor parda (…) Mas (esse foi) um caso específico, onde havia um suspeito. Não há nenhuma forma de discriminação”. Afirmou ainda que, caso se tratasse de preconceito, a punição seria “rigorosíssima”.
Quem poderia endossar uma ordem da PM para tomar especial cuidado com negros e pardos? Ora… A acusação é absurda! Chegará um momento em que será preciso responsabilizar judicialmente as acusações infundadas de preconceito. Isso demoniza as pessoas e as instituições, deixa-as marcadas. 
É evidente que a Educafro está atribuindo à polícia o que ela não fez. O caso é de tal sorte estúpido que nem deveria ser objeto de notícia — ou, então, que se evidenciasse a estupidez da coisa. O politicamente correto — e estúpido — dita a pauta. De agora em diante, quando a polícia tiver de caracterizar um eventual suspeito pardo ou negro, terá de dizer: “Suspeito não é branco, não é amarelo nem é vermelho”.
Essa é a intolerância dos tolerantes.
Por Reinaldo Azevedo

Escrivã de Polícia lança livro sobre Formação Policial


A Diretora de Políticas de Saúde e do Trabalho da Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (ASPOL PB), Suana Guarani de Melo, acaba de publicar nesse mês de fevereiro o livro intitulado ‘Direitos Humanos na formação da Polícia Civil’. O livro apresenta um breve histórico das polícias no Brasil, o que são Direitos humanos, foca na educação como mecanismos de mudanças sociais, e analisa o enquadramento da malha curricular dos cursos de formação, aos documentos que orientam a formação dos profissionais da segurança pública: Matriz Curricular Nacional e Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. “Atualmente, nenhum curso de formação inicial ou continuada na área de segurança pública é aprovado sem que estejam em conformidade com esses dois documentos. Busca-se, dessa maneira, aprimorar a atuação dos policiais para uma intervenção crítico-reflexiva, como alternativa para melhorar as práticas cotidianas, ou melhor, conscientizar o policial sobre o seu papel como garantidor da paz e da ordem pública, evitando-se abusos desnecessários que só o tornam mais uma vítima do maior violador de Direitos, o próprio Estado”, afirmou Suana, autora do livro.

Assessoria de Comunicação ASPOL PB

Participe !!!


Polícia Militar do PI expulsou sete policiais durante o ano de 2012

Dois casos se referem a abandono de serviço da coorporação.

A Corregedoria da Polícia Militar do Piauí registrou durante todo o ano de 2012, sete expulsões de policiais e 69 punições disciplinares. De acordo com o tenente-coronel Sá Júnior, chefe do setor de comunicação da PM, foram registradas 524 denúncias que geraram 172 sindicâncias e 201 inquéritos. 


“Toda denúncia que chega à Corregedoria tem procedimento instaurado. No processo, apura-se se há culpa do policial denunciado e, se for comprovado, ele pode ser punido com uma advertência e até ser expulso da corporação”, descreve. 

Entre as expulsões, duas foram por deserção – abandono do serviço público. O coronel destaca ainda que os casos de corrupção na PM não foram registrados nos últimos anos. “Diminuíram muito. O último caso de corrupção que temos notícia foi na época do crime organizado”, pontua.

DELEGACIA REGIONAL DE BACABAL

CRIME DE ROUBO NA ZONA RURAL DE OLHO D'GUA DAS CUNHAS.
 
Esteve presente nesta Delegacia Regional a vitima JORGE LUIS GARCIA para prestar termos de declaraçãoes acerca de dois assaltos sofridos.
 
O PRIMEIRO  DELES, ocorrido no dia 13.08.2012, quando dirigia um FIAT UNO VERMELHO, de propriedade da empresa TRANSPORTADORA REAL LTDA., nas imediações da Fazenda Havana, depois do Povoado Zé Chicão, zona rural de Olho D’água das Cunhãs/MA, por volta das 15h40, quando foram tomadoa de assalto 51 malotes de documentação bancária, depois de abordagem realizada por dois homens em um FOX verde, ocasião em que um dos homens portava arma de fogo.  O SEGUNDO, ocorrido cerca de três meses após o primeiro assalto, quando conduzia veículo da mesma empresa, isto, por volta das 15h30, entre os povoados Zé Chicão e Telêmagos, também zona rural de Olho D’água das Cunhãs/MA. Sendo que desta vez a interecepatação do veiculo foi feita por  três indivíduos em um veículo CORSA SEDAN de cor cinza escura, tendo dois destes individuos adentrado no veículo conduzido pelo declarante, tendo o outro comparsa os seguido, conduzindo o CORSA; QUE ambos os assaltantes que entraram no FIAT UNO portavam armas de fogo. Tendo nesta ocasião, os individuos roubado cerca de 50 malotes, contendo documentações administrativas bancárias. QUE em ambos os assaltos levava malotes para a cidade de Santa Inês/MA.  Ao descrever  os assaltantes a vitima diz que no primeiro assalto, os individuos tinham as seguintes características:  alto, magro, branco, usava camisa de mangas cumpridas e chapéu. Sendo que no segundo assalto um dos assaltantes era baixo, cabelos lisos, forte, de cor morena, de aproximadamente 35 anos, sendo seu comparsa magro, branco, calvo, aparentando 45 anos de idade, olhos grandes (bem redondos).
CRIME DE ROUBO NO POVOADO ALTO ALEGRE DO ACELINO.

EZEQUIAS LOPES DE SOUSA SOBRINHO, que trabalha como motorista para a Empresa de Transporte Real LTDA, que presta serviço ao Banco do Brasil no transporte de malotes, informou nesta depol que ontem, 28.01.13, por volta 15:20 levava vários malotes bancários para a cidade de Santa Inês no veículo da empresa, um FIAT UNO MILE, Vermelho, Placa NXM 0160, quando nas imediações do povoado Alto Alegre do Acelino, foi surpreendido por um Siena Prata que “encostou emparelhado” com o veículo do declarante e o passageiro do lado do motorista lhe apontando uma arma de fogo e determinando que encostasse o veiculo, tendo em seguida o passageiro do veículo Siena prata entrado no FIAT UNO e se dirigido para uma estrada de chão, onde pegram os malotes e sairam levando consigo a chave do FIAT UNO, deixando a vitima em local esmo. Foram levados aproximadamente 47 malotes (documentos e cheques) Em descrição feita pela vitima, o indivíduo que lhe rendeu apresenta porte médio, cerca 1,70m, moreno claro. Esclareceu ainda a vitima que esta não é a primeira vez que é assaltado quando transporta malotes e que em 2010 ou 2011 também fora assaltado e os criminosos do mesmo modus operandi. 

Termo de entrega - Já na manhã de hoje, a policia foi acionada com a informação de que na entrada do assentamento Vila Nova Esperança, um veiculo suspeito, GOL PRETO, estava parado no acostamento da BR 316, de portas abertas e com alguns malotes. Que ao se deslocar para o local os policiais encontraram os malotes abandonados. Sendo os mesmos reconhecidos 
pela vitima  EZEQUIAS LOPES DE SOUSA SOBRINHO e em seguida entregues para a pessoa de GLAUCO RODRIGUES MIRANDA.

DILIGÊNCIA NO POVOADO SÃO SEBASTIÃO DO SALGADO, municipio de Bom Lugar - Vitima de tentativa de homicidio, ocorrido no dia 13.12.12, NILO DA COSTA SILVA FILHO, prestou esclarecimentos acerca do fato. Continua convalescente e impossibilitado de se locomover. O acusado foi preso na data do fato em flagrante delito e encontra-se custotidado na Unidade Prisional de Ressocialização de Bacabal.          

ENCAMINHAMENTO DE INQUERITO - Encaminhados ao forum criminal os Procedimentos de pratica de FURTO QUALIFICADO e LESÃO CORPORAL GRAVE. IP nº 02/2013 e IP nº 03/2013. 
 

PARTICIPE DO ABAIXO-ASSINADO




O abaixo assinado REAJA SP!!!

Tem como objetivo, coletar de assinaturas para, apresentar ao Congresso Nacional projeto de lei de iniciativa popular que TORNE HEDIONDOS OS CRIMES PRATICADOS CONTRA AGENTES DA LEI  aumentando também as penas cominadas...

Pelo texto do projeto, além de policiais, são considerados agentes da lei, guardas municipais, bombeiros, defensores públicos, membros do ministério público, juízes e servidores do judiciário, agentes e guardas prisionais.



Mulher engessa as mãos da filha para impedir que a criança chupe o dedo

Segundo o pai, a mãe já teria até passado pimenta e fezes nas mãos da criança para evitar que a menina coloque o dedo na boca

Uma criança de um ano e 11 meses teve as duas mãos engessadas pela própria mãe. Segundo a mulher, ela fez isso para que a menina parasse de chupar o dedo.

O pai denunciou o caso no Departamento de Polícia Especializada. A mãe vai prestar depoimento na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, na tarde de terça-feira (29/1).

Segundo o pai, a mãe já teria até passado pimenta e fezes nas mãos da criança para evitar que a menina chupe o dedo. A criança perdeu quase 5 kg sem conseguir comer direito.

 A mãe disse que estava arrependida e que o pai estava certo em tirar o gesso da mão da garota de um ano e 11 meses, segundo o delegado chefe adjunto da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Rogério Borges Cunha.

A polícia está satisfeita com as informações coletadas até o momento, pois a autoria do crime está comprovada. Dessa forma, o caso agora será encaminhado à Justiça, e se a mãe for condenada por maus-tratos, pode pegar de dois meses a um ano de reclusão, além de poder ter um aumento de um terço na pena porque a filha é menor de 14 anos.

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/


Triste coincidência.

Estudante, uma das vítimas de Santa Maria, postou na internet a foto, poucos dias antes da tragédia




'Não aprendemos com as tragédias, por isso repetimos as lágrimas'

Estudante piauiense é atropelada em Imperatriz (MA) e está na UTI

Motorista é acusado de atropelar casal de propósito. Ele já se apresentou para a polícia.

Uma estudante piauiense e outro jovem foram atropelados em frente de uma boate em Imperatriz (MA), na madrugada do último sábado (26). Rebecca Duarte Cordão, 23 anos, ficou em estado mais grave e continua internada na UTI de um hospital do município. O motorista teria atirado o carro de propósito contra as vítimas e fugiu em seguida. O caso foi destaque nos veículos de comunicação da cidade maranhense.

Rebecca e Davison: ela é piauiense e estuda Medicina no Maranhão

Acadêmica de Medicina, Rebecca é filha da médica Monica Cordão e sobrinha de Erlich Cordão, promotor de eventos de aventura como o Piocerá/Cerapió. Ela estava na frente da boate ITZ com Davison de Jesus Almeida, 22 anos. Segundo testemunhas, no final da madrugada uma Outlander preta atropelou os dois. O motorista seria Gessé Leite Filho. 

O delegado regional de Imperatriz, Assis Ramos, informou que a autoria já está definida. Ele acredita que o inquérito será concluído o mais rápido possível, com o indiciamento de Gessé Filho por homicídio doloso - quando há intenção de matar. Ele e Davison teriam se envolvido em uma discussão anteriormente, segundo a imprensa local. 

Rebecca Cordão está na UTI do hospital São Rafael, em Imperatriz. Ela teve de ser submetida a uma cirurgia para a retirada de um coágulo no cérebro. O delegado Assis Ramos já pediu a realização de exame de corpo de deligo na vítima. Davison já foi liberado do hospital. 

Gessé, o acusado

Gessé Filho já se apresentou espontaneamente na 10ª Delegacia Regional de Imperatriz, mas não foi preso por ter se passado o prazo do flagrante. No entanto, não está descartada a possibilidade de se pedir para a Justiça a sua prisão preventiva. O Ministério Público já está acompanhando as investigações.

O acusado também seria reincidente. "Ele já foi sentenciado há três anos por ter atropelado e matado uma pessoa também", diz o delegado Assis Ramos, acrescentando que o motorista não poderia estar dirigindo por determinação judicial. O delegado ainda pretende fazer uma perícia no carro. Gessé teria informado em depoimento que estava em outro veículo e o Outlander, ainda não localizado, estaria em São Luís. 

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013




Armadilhas fatais, iguais às de Santa Maria, no Brasil todo.



A presidente Dilma Rousseff presta apoio aos familiares das vítimas do Incêndio, em Santa Maria


Nada que se escreva,  mostre ou fale consegue consegue exprimir a barbaridade, a comoção e o sofrimento da morte de mais de 230 jovens no incêndio da Boite Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na madrugada deste domingo. Uma conjunção de irresponsabilidades causou a morte de tantos, a dor em suas famílias e a emoção nacional e internacional. Primeiro, creio, foi o uso absurdo de um sinalizador dentro do ambiente da boite, que leva ao segundo fator crítico: o revestimento acústico altamente inflamável. Decisivo foi também haver uma só saída na Kiss (que era também a entrada). Sem saídas de emergência, a aglomeração e o tumulto causados pelo pânico foi fatal (com o agravamento da atitude de impedir a saída das pessoas, pelos seguranças da casa, que exigiam o pagamento das  contas para deixar sair). Também foi grave haver mais de 1.500 pessoas, num ambiente com capacidade para 500, assim como a permissão de funcionamento da casa com alvará vencido.

Nada trará de volta tantos jovens mortos. Nem a severa punição de todos os culpados desta tragédia. Resta orar pelos falecidos e ofertar conforto às suas famílias e amigos, com atitudes severas das autoridades municipais, estaduais e federais, em todo o Brasil, para que estes trágicos eventos nunca mais ocorram.

Ideias são muitas e há experiências anteriores no mundo sobre como evitar que isso se repita. Nos Estados Unidos, por exemplo, casas noturnas e de eventos não funcionam sem alvarás, que exigem uma série de providências de segurança. Casas que recebem mais de 200 pessoas, por exemplo, têm que possuir brigadas de incêndio treinadas e equipamentos testados cotidianamente. Diversas saídas de emergência são obrigatórias, assim como o uso de sprinklers (espargidores de água, em caso de incêndio) no teto, colocados de forma tecnicamente aprovada (como é nos hotéis).

Punir os culpados e responsáveis por esta tragédia é fundamental, como exemplo, mas é muito mais importante, agora, prevenir futuras situações de risco de morte nas casas noturnas e de espetáculos (e mesmo em shows, bufês,  restaurantes e clubes que recebem grandes públicos) que são verdadeiras armadilhas fatais.

Não há como não ficar comovido com o que aconteceu em Santa Maria e a nossa comoção deve ser transformada em indignação e cobrança das autoridades públicas e dos empresários destes setores de entretenimento, para acabar com estas verdadeiras armadilhas nas quais nossos filhos e netos, e nós mesmos, entramos inocentemente, confiando na segurança que estas casas deveriar oferecer – mas não oferecem.

Armadilhas fatais nunca mais!
BLOG DO JJ

Fotos da noite do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria
A boate Kiss  após o incêndio, em Santa Maria, Rio Grande do Sul
Brigada de incêndio no combate às chamas, na boate Kiss, em Santa Maria, na madrugada deste domingo
Familiares durante o velório das vítimas do incêndio em Santa Maria, no Rio Grande do Sul
Familiares das vítimas do incêndio em Santa Maria, no Rio Grande do Sul
Corpos de vítimas de incêndio em boate são velados em ginásio de Santa Maria

COBRAPOL combate assédio moral no trabalho

 
A COBRAPOL disponibilizará nos próximos dias às suas entidades filiadas uma cartilha com esclarecimentos sobre o assédio moral. O objetivo é combater a prática cada vez mais comum nas Delegacias de Polícia de todo o País e incentivar os policiais a denunciarem a situação. A cartilha “Assédio Moral dentro da Polícia Civil é Crime” é resultado de uma nova parceria da Confederação com o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (SINDPOL/AL) que elaborou a cartilha e cedeu os direitos de publicação e divulgação em todo o Brasil à COBRAPOL e seus sindicatos filiados. Em 2011, o SINDPOL/AL também cedeu os direitos de publicação da cartilha “Operação Cumpra-se a Lei”, que integrou a campanha nacional de mesmo nome promovida pela Confederação.
    
São 15 páginas totalmente ilustradas e que trazem de maneira clara e direta informações sobre como o assédio moral ocorre no ambiente de trabalho, quem são os agressores e como caracterizar as situações de assédio. A publicação ainda traz uma relação dos problemas de saúde física e psicológica que o assédio moral pode provocar no trabalhador. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o assédio moral é a causa da angústia e da depressão de muitos trabalhadores e é considerado o grande mal do século XXI.
   
Uma parte do texto também é destinada a esclarecer as situações de assédio sexual nas relações de trabalho e indicar as formas de defesa disponíveis ao trabalhador para os dois assédios. Na apresentação da cartilha, o presidente da COBRAPOL, Jânio Bosco Gandra, lembra que não é apenas o assediado que pode denunciar a prática, mas qualquer policial civil que flagrar a situação.
   
A COBRAPOL irá disponibilizar eletronicamente a cartilha para todos os seus sindicatos filiados, para que sejam impressas e distribuídas nas unidades policiais.
   
    Por Giselle do Valle
    Fonte: Imprensa Cobrapol

sábado, 26 de janeiro de 2013

Proposta quer tornar os crimes hediondos imprescritíveis

A Câmara analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 229/12, da deputada Keiko Ota (PSB-SP), que torna os crimes hediondos imprescritíveis. A PEC também especifica que esses crimes são inafiançáveis, o que já está previsto na Lei 8.072/90. Atualmente, a Constituição somente considera imprescritíveis o crime de racismo e a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado democrático.
Keiko Ota afirma que as maiores reclamações da sociedade sobre a legislação penal se referem à falta de rigidez das normas e à impressão de que o criminoso não responde da forma como deveria. “Essa PEC visa justamente diminuir essa sensação de impunidade. É imperativo o enrijecimento da legislação para agravar a punição desses atos criminosos, para que possamos ver reparados, mesmo que minimamente, o direito das vítimas e de seus familiares”, diz a deputada.
A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio, latrocínio, genocídio, extorsão qualificada por morte, extorsão mediante sequestro, estupro, disseminação de epidemia que provoque morte, falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais. Esse tipo de crime deve ser cumprido inicialmente em regime fechado e é insuscetível de anistia, graça, indulto e fiança.

Tramitação
A proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania quanto à admissibilidade. Depois, será analisada por uma comissão especial e, em seguida, encaminhada para votação em dois turnos no Plenário da Câmara.

Fonte: Da Agência Câmara

Policial Militar pode ser punido por ter feito poesia em Boletim de Ocorrência

Faz duas semanas que um Boletim de Ocorrência (BO) feito por um policial militar do município de Contagem, em Minas Gerais, tem ganho destaque nas redes sociais. O soldado do 18º BPM foi submetido a uma investigação porque seus superiores não gostaram da forma como ele escreveu o relatório preenchido para entregar uma arma na delegacia. O problema é essa moda pegar em outros batalhões e a Polícia Civil passar a não entender o que os militares estão querendo informar. Confira matéria sobre a polêmica:


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Delegado da Polícia Civil do estado vence prêmio literário com romance policial

O delegado da Polícia Civil de Pernambuco Pablo de Carvalho, que está na função há mais de 12 anos, foi um dos vencedores do programa Bolsa Funarte de Criação Literária, promovido pelo Ministério da Cultura. Pablo conseguiu a boa colocação com a publicação do livro Catracas púrpuras, e foi o único representante do Nordeste a obter a premiação.
Catracas púrpuras é um romance policial com linguagem lírica, que mescla as técnicas investigativas da polícia com a literatura.
O lançamento do livro aconteceu no mês de novembro do ano passado, no Rio de Janeiro, na sede da Funarte, no Centro Cultural. Pablo de Carvalho mora no Recife há cinco anos. Alagoano de Maceió, o escritor também é autor do romance Iulana (2006), publicado pela Universidade Federal de Alagoas, e dos livros O Eunuco (2002) e O Canteiro de Quimeras (2000).

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

(...)


Inquietantes reflexões sobre o que somos.

 
 “tinha de ter tempo e espaço para poder crescer por si próprio sem se apoiar noutros. (…) Sou a favor da emigração, de que as pessoas se movam, se cruzem. E sou a favor da depressão normal, com revolta e revolução! Devemos zangar-nos com os tipos que nos fazem mal”.

Mulheres poderão atuar em frentes de combate nos EUA

Cap. Zoe Bedell
As americanas poderão, em breve, atuar na linha de frente dos combates das Forças Armadas dos Estados Unidos, segundo decisão do secretário de Defesa, Leon Panetta. A  medida, que ainda não foi formalmente anunciada, acaba com a proibição imposta em 1994 que impedia a presença de mulheres na linha de frente e em comandos especiais das forças militares em ação do país. A decisão poderia abrir mais de 230 mil postos femininos, boa parte deles em unidades de infantaria. Elas terão, no entanto, que esperar um pouco mais para atuar no campo de batalha. Os comandos militares terão até 2016 para apresentar eventuais grupos ou postos específicos que ainda considerem inapropriados para as mulheres. A expectativa é que alguns postos já possam ser preenchidos por elas ainda este ano.
 As restrições às mulheres começaram a ser relaxadas no ano passado, quando o Pentágono abriu 14,5 mil postos femininos em unidades próximas ao front – vagas que até então eram preenchidas exclusivamente por homens. Em novembro, um grupo de quatro mulheres contestou a proibição na Justiça, em um processo contra o Departamento de Defesa. Uma delas, Zoe Bedell, integrante do Marine Corps, disse que tais regras bloquearam sua ascensão profissional nos meios militares. Nas guerras do Iraque e do Afeganistão muitas mulheres atuaram como médicas, enfermeiras ou em outros postos próximos ao front, mas nunca em função de combate. Até 2012, mais de 800 militares americanas foram feridas nas duas guerras e 130 foram mortas. Hoje elas representam 14% do total dos militares do país.

EM BELÉM (PA), AULA DE KARATÊ VIRA CASO DE POLICIA


Uma adolescente conta que foi agredida pelos professores de karatê durante as aulas na associação de moradores do Conjunto Pedro Teixeira, no bairro do Coqueiro, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. "Quando tinha as lutas, ninguém podia beber água durante uma hora e meia de treino. Ninguém podia encostar a coluna na parede. Nós tínhamos que ficar com as pernas trançadas, o que causava até muitas vezes dormência, dores. A forma de correção dele era o kiba-dachi, que eram os famosos socos na barriga. Ninguém podia bocejar. Eu não podia bocejar que ele já perguntava se eu queria que ele me acordasse. E o exame de faixa, depois de eu ter lutado com duas meninas, já estava cansada, ele veio com sequência de cinco socos", revela.

Na associação de moradores do conjunto Pedro Teixeira, os professores davam aulas há cerca de dois anos para mais de 30 alunos a partir de 4 anos de idade. Segundo a comunidade, eles chegaram ao local informando que faziam parte de um projeto social chamado "Karatê na minha vida". Mas, em vez de aulas, os alunos pareciam participar de sessões de pancadaria. Nas imagens feitas por um cinegrafista amador, um deles aparece levando um chute no rosto de um dos professores. Em outra, um deles pisa na cabeça de um rapaz. Tudo é assistido por crianças.

Assim que tomaram conhecimento do que acontecia nas aulas, pais de alunos ficaram revoltados. "A gente vê que realmente é uma violência contra a criança, contra menores. Eu acho que isso é um ato de covardia que dois professores fazem contra os alunos", conta um dos pais, que não quis se identificar. Os professores que representam a Associação Shin Hagakure de Karatê foram identificados como os irmãos John e Jonivaldo Santa Rosa. Eles também dão aulas no conjunto de moradores Bela Manoela, no bairro do Tenoné, em Belém, onde 60 alunos fazem karatê.

Em um dos vídeos, em um exame de troca de faixa, um dos professores aparece dando socos nos alunos, que parecem não aguentar a dor. Esse adolescente, que teve aulas no local por mais de quatro anos, relata o terror vivido durante esses anos. "Socos na barriga, o que nós chamávamos de boken, que é uma espécie de madeira que ele tinha. Ele acertava na barriga dos alunos também. Às vezes, socos no braço, na posição de flexão de apoio. Chute na perna. Violência na luta também era comum lá. Eu tenho vários dedos fraturados. Se eu fizer qualquer esforço, dói. O estômago, às vezes, doía um pouco. Inclusive eu adquiri até um cisto por força, fazer muita força lá", conta.

Fonte:  g1.com/Pará

Partido político indiano distribui facas para autodefesa das mulheres

Mumbai - Um partido de extrema direita começou a distribuir milhares de facas a mulheres de um estado do oeste da Índia para ajudá-las a se defender em caso de agressão, depois que o estupro coletivo de uma estudante de Nova Délhi em dezembro comoveu o país.

O partido de Shiv Sena, conhecido por declarações e ações violentas, começou a distribuição na quarta-feira à tarde em Mumbai, dia em que se lembrava o aniversário do fundador do partido, falecido em novembro, Bal Thackeray. "Da mesma maneira que vocês cortam as verduras, cortem a mão da pessoa que as toca", disse aos seus seguidores um líder local do partido, Ajay Chowdhary, que informou que as mulheres deverão guardar em seus bolsos esta faca com uma lâmina de 7 centímetros.

O Shiv Sena tem a intenção de distribuir 21 mil armas brancas no estado de Maharastra, cuja capital é Mumbai. Este estado é o principal bastião do partido.

No dia 16 de dezembro, uma estudante de 23 anos foi estuprada por seis homens em um ônibus quando voltava do cinema com seu namorado. Morreu treze dias depois em um hospital de Cingapura. Uma comissão criada pelo governo recomendou na quarta-feira o endurecimento da legislação para crimes sexuais, embora tenha descartado a pena de morte.

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/

(...)

 
 E haja papel minha gente. Se não pararmos para dar aquela arrumadinha, os papéis nos vencem. São procedimentos de toda ordem e natureza. E uns fazem questão de ir se escondendo, se perdendo entre os mais antigos. Situação comum de cartório onde a demanda de trabalho é grande e a quantidade de papel maior ainda. Mas, hoje, a vitória será nossa. Dia de arrumação. Cada coisa vai ficar no seu devido lugar, ou então, quem fica fora do lugar é o nosso juízo. Cartório ai vamos nós !!! Depois a gente compartilha a arrumação. Ora de botar a mão na massa, ou melhor nos papéis !!! E para quem também tá começando o dia com muita arrumação, nosso Bom dia!!!