terça-feira, 20 de novembro de 2012

Homem ateia fogo ao próprio corpo e morre na cidade de Altos/Pi


Um homem identificado como Agnelo Clementino de Sousa, 61 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (19) após atear fogo no próprio corpo. O caso foi registrado na localidade Cuntrinda, localizada no município de Altos (37 km de Teresina). 

Segundo a polícia, a família informou que ele estaria sofrendo de depressão, após descobrir que estava com a doença de Mal de Parkinson.

Segundo o chefe de investigação Francisco Carlos, da delegacia de Altos, o homem que residia em Teresina no bairro Dirceu Arcoverde, teria informado à família que iria passar alguns dias em uma fazenda de sua propriedade na cidade de Altos.
“Uma filha dele informou que o senhor Agnelo estaria sofrendo de depressão após ter descoberto que estaria com a doença Mal de Parkinson e que não aceitava que estava doente. Uma testemunha declarou que pessoas ouviram um estrondo e quando foram ver o que era já viram ele em chamas. Até tentaram apagar, mas não adiantava mais”, relatou Francisco Carlos.
A perícia foi acionada e confirmou que a vítima teria realmente ateado fogo no próprio corpo. O Instituto Médico Legal também foi chamado e fez a remoção do corpo até a cidade de Teresina.



MAL DE PARKINSON

O que é ?É uma doença neurodegenerativa provocada pela perda de células nervosas presentes na região da substância negra do cérebro. Essa região é responsável pelos estímulos dos movimentos, funcionando como uma espécie de facilitadora dos mecanismos de ação e reação do nosso organismo. Se há uma redução do número de células, há uma alteração desses mecanismos e acontecem os tremores e a rigidez característicos da doença. "A pessoa deixa de responder por seus movimentos, de acordo com o estágio da quadro clínico", explica Cícero Coimbra.

Principais causas
A hereditariedade pode ser uma das causas da doença, porém, a principal causa do Mal de Parkinson encontra respaldo nas alterações emocionais do organismo. "A dor emocional provoca um aumento na produção de salsolinol, substância que mata as células nervosas responsáveis pelo controle dos movimentos. Situações traumáticas, ansiedade, angústia, cobrança excessiva e pessimismo aumentam a produção dessa substância e são grandes indicadores de um possível paciente com Mal de Parkinson".

Sintomas
Os sintomas que caracterizam o Mal de Parkinson são os tremores intensos e a rigidez muscular, porém, a intensidade e a região afetada por eles variam de acordo com o estágio da doença em que o paciente se encontra. São essas:

Fase 1: em sua primeira fase, a doença atinge só um lado do corpo.

Fase 2: atinge os dois lados do corpo, e os sintomas podem aparecer inclusive na região da linha média do corpo (coluna).

Fase 3: aparecem as primeiras alterações no equilíbrio em consequência da rigidez muscular: "o paciente se sente preso em uma armadura dura e pesada. Quando perde o equilíbrio, não tem o apoio dos músculos do corpo, que o evitem de cair. Ele fica preso pela rigidez muscular".

Fase 4: o paciente passa a necessitar de auxílio para desempenhar atividades simples do dia a dia, como os cuidados pessoais: colocar roupas, pentear os cabelos e tomar banho tornam-se tarefas difíceis.

Fase 5: a intensidade dos tremores e da rigidez muscular impede o paciente de se levantar e até de realizar atividades como comer.

Fase 6: nos casos mais graves, pode ocorrer demência.

No Brasil, estima-se que a doença atinja 250 mil pacientes.Segundo a Organização Mundial da Saúde, 1% da população acima dos 65 anos possui essa doença, sendo que a prevalência é de 150 a 200 casos a cada 100.000 habitantes. De acordo com a ONU, existem cerca de 4 milhões de pessoas no mundo com a doença de Parkinson. Com o aumento da expectativa de vida e o envelhecimento da população, estima-se que esse número dobre até 2040. 

FONTE: mulheres-sarl.blogspot.com/2009/10/mal-de-parkinson.html