segunda-feira, 8 de outubro de 2012

(...)


Em tom de conformação sempre escuto alguns colegas que na tentativa de conter minha indignação me aconselham a ter calma sob justificativa de que a culpa é do sistema. O sistema tem culpa de tudo e a ele é atribuído inclusive uma omissão que é de muitos. Minha gente, não quero incitar ninguém a tocar fogo em delegacia, mas daí ficar calado diante de algumas situações absurdas que se estabelece como normal no nosso dia a dia .... Aí é demais! Ou será que fazer Segurança Pública é isso mesmo, atender apenas a quem tem poder, padrinho político, dinheiro, quem pode e sabe a quem se dirigir quando não tiver serviço prestado? Brincadeira!!! Odeia a profissão? Pede pra sair! Gosta ?! Então não esculhamba, não atrapalha, honra teu compromisso e para de dizer que a culpa é do sistema. Não estamos aqui para atender interesse próprio, curtir preguiça, deixar de fazer o que nos é atribuído pelo dever do cargo. A natureza da nossa atividade é difícil mesmo, desafio diário, combater o crime não é para qualquer um. São tantas as qualidades exigidas. Estar sempre disposto ao bom combate exige sacrifícios, muitas vezes sem qualquer reconhecimento. Talvez por isso quando a tristeza bate e o desânimo chega o desabafo traduz vontade de desistir, de calar, de deixar as coisas acontecerem a Deus dará. Como não acredito que essa seja a melhor opção para nós, nem para a Instituição, muito menos para quem precisa do nosso melhor na Instituição digo que esse silêncio gerador de cumplicidade não ajuda em nada nas mudanças que se deseja, pelo contrário... por isso, digo....CHEGA!!         

Márcia Pereira.
EPC/Bacabal