domingo, 30 de setembro de 2012

Morre a apresentadora Hebe Camargo



Morreu a apresentadora Hebe Camargo que vai deixar muitas saudades aos seus fãs. Hebe recuperava-se de um câncer que terminou ceifando a sua vida, contudo, fica a imagem de uma guerreira, feliz com a vida, feliz com os muitos amigos que fez. Que descanse em paz!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Pesquisa mostra que homens não participam do tratamento de câncer de mama das mulheres próximas

Dos 400 homens ouvidos pela pesquisa do Data Popular, 38% consideram que o diagnóstico de câncer de mama pode acabar com um relacionamento e 75% acham que a doença acaba com a vaidade de qualquer mulher. A psicóloga Camila Araújo, que atende pacientes com câncer de mama no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, conta que já viu muitos casos de maridos que acabam se separando de suas mulheres quando elas chegam ao fim do tratamento. "Para algumas pacientes, o baque é muito forte e a autoestima acaba afundando mesmo depois de uma separação", diz. As mulheres, por outro lado, elegem o companheiro como a primeira pessoa para quem contariam sobre a doença, caso fossem diagnosticadas: 42% assim o fariam, antes da mãe (24%) e dos filhos (20%). O levantamento também põe em xeque a participação do homem no estímulo à prevenção do câncer de mama: 36% não citam a mamografia ou o raio X de mama como exames importantes a serem realizados pela mulher com regularidade. Outro achado é que 45% nunca estimularam ir com elas ao ginecologista ou fazer exames ginecológicos. Dos que têm contato com a mãe, 55% também não desempenharam esse papel em relação a ela.

Para a mastologista Rita Dardes, a pesquisa mostra que o homem deve estar mais presente na prevenção do câncer de mama. "O homem tem um papel superimportante como disseminador de informação para a mulher. Se a mulher tiver um parceiro ponta firme, que a lembre de fazer os exames, é um estímulo." Ela aponta que esse papel deveria ser estimulado em campanhas. "Os homens, no Brasil, não estão ligados nem com a saúde deles, o que dirá da esposa. Há de ter um trabalho para estimular essa comunicação."

A mastologista Maira Caleffi, da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), conta que a maioria dos homens tem muita dificuldade de comparecer às consultas com a companheira no início. "Depois a gente explica que é importante o companheiro ficar junto e eles começam a aderir. Alguns fogem e nunca mais aparecem. Mas a maioria adere. Tem de haver uma sensibilização do patologista, que deve convencer o casal da importância da presença do companheiro."

http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

"TUDO COMO DANTES NO QUARTEL DE ABRANTES""


SE EU ACREDITO NO RESULTADO APONTADO PELA POLICIA FEDERAL
QUE REITEROU A TESE DE SUICIDIO DE FERNANDA LAGES?!
 
NÃO, EU NÃO ACREDITO.
 
ASSIM COMO NUNCA ACREDITEI QUE OUTRO SERIA O RESULTADO.  

"TUDO COMO DANTES NO QUARTEL DE ABRANTES"


Se eu acredito nos resultados apresentados pela
POLICIA CIVIL DO ESTADO DO PIAUI ?!

NÃO 

domingo, 23 de setembro de 2012

Projeto cria Sistema Única de Segurança Pública

A Câmara analisa o Projeto de Lei 3734/12, do Poder Executivo, que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e disciplina a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública. A proposta integra o Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania (Pronasci).

O eixo do sistema, de acordo com a proposta, será garantir a segurança pública e os direitos fundamentais, individuais e coletivos do cidadão. A União terá o papel de coordenação e definição das regras gerais do sistema, que devem ser respeitadas pelos estados e pelo Distrito Federal na instituição de suas políticas de segurança pública.

Os princípios que devem reger todo o sistema são a proteção dos direitos humanos; respeito aos direitos fundamentais e promoção da cidadania e da dignidade do cidadão; resolução pacífica de conflitos; uso proporcional da força; eficiência na prevenção e repressão das infrações penais; eficiência nas ações de prevenção e redução de desastres; e participação comunitária.

Entre as principais linhas de ação do sistema estão a unificação dos conteúdos dos cursos de formação e aperfeiçoamento dos policiais, a integração dos órgãos e instituições de segurança pública e a utilização de métodos e processos científicos em investigações, por exemplo. Entre as principais mudanças de procedimento, a proposta prevê a criação de uma unidade de registro de ocorrência policial e procedimentos apuratórios e o uso de sistema integrado de informações e dados eletrônicos.

Composição
Segundo o projeto, o Sistema Único de Segurança Pública é composto pelas polícias Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal, civis e militares; pelos corpos de bombeiros militares; e pela Força Nacional de Segurança Pública. As guardas municipais poderão colaborar em atividades suplementares de prevenção.

Arquivo/ Ivaldo Cavalcante
Segurança pública- Policiais - Força Nacional
Proposta inclui a Força Nacional de Segurança Pública entre as entidades que compõem o Susp.

A Força Nacional de Segurança Pública poderá atuar, entre outras situações, na decretação de intervenção federal, de estado de defesa ou de sítio, antes das Forças Armadas; em eventos de interesse e de repercussão nacional; em apoio aos órgãos federais, com anuência ou por solicitação dos governadores. A convocação e a mobilização da Força Nacional serão prerrogativas da Presidência da República.

A proposta ainda prevê que os órgãos do Susp realizarão operações combinadas, planejadas e desencadeadas em equipe; aceitarão os registros de ocorrências e os procedimentos apuratórios realizados por cada um; compartilharão informações e farão intercâmbio de conhecimentos técnicos e científicos. Esse intercâmbio se fará por meio de cursos de especialização, aperfeiçoamento e estudos estratégicos.

Gestão do Susp
O Ministério da Justiça será o responsável pela gestão do Sistema Único de Segurança Pública. O órgão deverá orientar e acompanhar as atividades integradas; coordenar as ações da Força Nacional de Segurança Pública; promover programas de aparelhamento, treinamento e modernização das polícias e corpos de bombeiros; implementar redes de informação e troca de experiências; realizar estudos e pesquisas nacionais; consolidar dados e informações estatísticas sobre criminalidade e vitimização; e coordenar as atividades de inteligência da segurança pública.

Para participação da sociedade civil, o projeto faculta a criação de ouvidorias e corregedorias, que ficarão encarregadas de ouvir a sociedade e verificar o adequado funcionamento das instituições policiais em todos os níveis da Federação. As ouvidorias poderão ser instituídas pela União, pelos estados e pelo Distrito Federal.

Esses órgãos ficarão responsáveis pelo gerenciamento e pela realização dos processos e procedimentos de apuração de responsabilidade funcional, por meio de sindicância e processo administrativo disciplinar, e pela proposição de subsídios para o aperfeiçoamento das atividades dos órgãos de segurança pública.

Metas de excelência
O projeto prevê a definição de metas de excelência para todas as instituições pertencentes ao sistema. A aferição se dará por meio da avaliação de resultados.

As metas serão apuradas, por exemplo, pela elucidação de delitos, identificação e prisão de criminosos, produção de laudos para perícias, no caso das polícias civis; pela redução da incidência de infrações penais e administrativas em áreas de policiamento ostensivo, no caso das polícias militares; e pela prevenção e preparação para casos de emergências e desastres, índices de tempo de resposta aos desastres e de recuperação de locais atingidos, no caso dos corpos de bombeiros.

Segurança Cidadã
Para garantir a segurança com inclusão social, a proposta estabelece que a prevenção da violência e da criminalidade seja feita a partir de cinco níveis: primário, voltado para fatores de risco; secundário, com foco em pessoas mais vulneráveis para cometer ou sofrer crimes; terciário, para reabilitação de criminosos; situacional, centrado na redução de oportunidades para praticar os crimes; e social.

O projeto que cria o Susp teve origem no PL 1937/07, enviado pelo Executivo em 2007, e que foi desmembrado em duas propostas, a pedido da Comissão de Educação e Cultura da Câmara. O segundo texto (PL 3735/12) institui o Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal (Sinesp).

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Educação e Cultura; de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: sinpolpi.com.br

sábado, 22 de setembro de 2012

Sead anula concurso da Polícia Civil

IRREGULARIDADE - Segundo secretária, perícia feita em pacotes de provas atesta que houve violação. Novo edital será aberto em outubro.



A Secretaria de Estado de Administração (Sead) anunciou na tarde de ontem a anulação do concurso público C-160, da Polícia Civil (PC). A perícia feita em um dos pacotes de prova que chegaram à sala de aula atesta que houve violação, pondo em xeque a credibilidade do processo seletivo. Será aberto outro edital, no qual poderão se inscrever novos candidatos. Os participantes do certame interrompido não precisarão pagar a taxa de inscrição. Quem não quiser mais concorrer a uma das 620 vagas oferecidas poderá pedir o reembolso do valor pago. A medida muda o destino de 26 mil inscritos para pleitear cargos de delegado, escrivão e investigador.


De acordo com a titular da Sead, a secretária Alice Viana, o governo do Estado chegou à conclusão de que a prova teve a segurança prejudicada pelos fatos relatados e registrados pelos candidatos. "Depois de várias irregularidades observadas, nada nos garantia que as outras etapas do concurso público seriam executadas sem nenhum problema. Por isso, para evitar mais incertezas, decidimos pela anulação".


A recisão contratual com a empresa MSConcursos, sediada no Mato Grosso do Sul, sairá no Diário Oficial do Estado na próxima segunda-feira, 24. A partir de então, duas providências serão adotadas, a contratação de outra empresa e o reembolso dos candidatos que não desejam mais participar do concurso. A data da primeira etapa poderá ser marcada para o final de outubro. "Vamos fazer um concurso novo. As inscrições serão novamente abertas, mas quem estava concorrendo no outro não pagará nada para fazer este. Vamos mandar uma carta pelo correio informando a todos os candidatos o que eles precisarão fazer para pedir a restituição", informou a secretária.

Fonte: oliberal






sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Polícia Civil de Alagoas produz 1º inquérito virtual do País

Dentro do plano de gestão do delegado-geral, Paulo Cerqueira, que visa o processo de Modernização e Virtualização dos Procedimentos Policiais e Administrativos, a Polícia Civil de Alagoas remeteu à Justiça, nesta quarta-feira (12), o primeiro inquérito policial totalmente virtualizado do país, por meio da certificação digital.

“Trabalhamos para inserir a PC na era digital e esta é mais uma etapa no processo de desenvolvimento organizacional que estamos implementando, visando modernizar todos os procedimentos da polícia. Esta é a concretização de um trabalho que começou com a certificação digital dos delegados e escrivães”, esclareceu Paulo Cerqueira.

Segundo o diretor da Deinfo (Diretoria de Informática e Estatística), delegado Medson Maia, esta é a primeira vez que um inquérito é concluído totalmente de forma digital no Brasil. “Na área civil já é uma prática trabalhar virtualmente, mas na área criminal, este é o 1º projeto, que começa a funcionar no Brasil”, esclareceu.



Medson Maia ressaltou ainda que, dentro dos inúmeros benefícios está a economia de tempo, consumo de papel e também de combustível, uma vez que não é mais necessário, descolar um policial para a entrega física dos inquéritos à Justiça alagoana.

O primeiro inquérito foi remetido eletronicamente para a 9ª vara criminal, ao juiz Geraldo Amorim.

A delegada do 10º Distrito Policial (DP) da capital, Luci Mônica, que conduziu as investigações e a confecção do procedimento de forma virtual, ressaltou a facilidade de usar os meios eletrônicos.

“A ferramenta inovadora é muito rápida e simples. O procedimento oferece mais agilidade e maior economia de tempo e até financeira às atividades policiais”, afirmou.



De acordo com Luci Mônica, o caso investigado foi uma tentativa de homicídio, ocorrido no último dia 03, deste mês e ano, na localidade conhecida como “Boca do Inferno”, no Village Campestre, em Maceió, quando Maria do Carmo da Conceição atentou contra a vida de seu esposo, Severino Quaresma dos Santos Filhos.

Segundo Medson Maia, até o final do ano, todas as delegacias do Estado estarão prontas para usar as novas ferramentas tecnológicas. A intenção é abolir o uso de papel na comunicação oficial em todos os tramites da instituição.

“Já começamos a trabalhar assim entre diretorias, delegacias e todas as unidades policiais e agora já iniciamos a remessa dos inquéritos da capital totalmente virtualizados”, informou.

Nas últimas semanas, técnicos da diretoria de Informática e Estatística, realizaram treinamentos sobre os procedimentos de virtualização, digitalização de documentos e certificação eletrônica, nas delegacias regionais de São Miguel dos Campos, Penedo, Arapiraca e Palmeira dos Índios, para o uso da nova ferramenta tecnológica. O trabalho nas regionais prossegue até o mês de outubro. As informações são do portal da Polícia Civil do Estado de Alagoas.


[Foto: Reprodução/ portal da Polícia Civil de Alagoas]

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Delegadas “Superpoderosas” do Piauí estão na capa Revista Cidade Verde

A Revista Cidade Verde chega a sua 40ª edição e destaca na capa desta quinzena as “delegadas superpoderosas”. A reportagem aborda o dia a dia das mulheres que comandam postos importantes, com atuação destacada seja nos bastidores ou até em grandes operações da Polícia Civil. A publicação estará nas principais bancas e disponível para assinantes a partir deste domingo (9).

 Entre as entrevistadas estão Andrea Magalhães, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e Daniela Barros, do Suporte de Operações Especiais (SOE), ambas atuantes na Operação Aspásia, deflagrada contra crimes de exploração sexual em Teresina. Fernanda Paiva, hoje corregedora, e Eugênia Villa, diretora da Academia de Polícia Civil do Piauí, falam de suas carreiras até chegarem a dois dos cargos mais importantes da corporação. Por fim, Vilma Alves, da Delegacia da Mulher, fala de outro desafio que teve na vida: ser a primeira delegada negra do Piauí.

Também é destaque de capa a entrevista com duas ex-garotas de programa que trabalharam na boate de Beth Cuscuz, presa pela Operação Aspásia, da Polícia Civil. Hoje vivendo fora do Brasil, elas contam como começaram a se prostituir e as regras a serem seguidas na casa no bairro Cristo Rei.

A capa ainda fala do aumento assustador das queimadas, que levou o Piauí a ser o quinto no País em focos de incêndio até agora em 2012.

Outra reportagem fala do Caso Styllos e a repercussão do golpe dado pela empresa no mercado de eventos no Piauí.

Nas páginas verdes, o entrevistado desta quinzena é Horácio Almendra, piauiense que foi um dos maiores executivos da Philips na América Latina e hoje preside o Instituto de Qualidade no Ensino (IQE).

A Revista

Cidade Verde é uma publicação quinzenal da Editora Cidade Verde, disponível nas principais bancas de Teresina e outros municípios por apenas R$ 8. Assinaturas são feitas pela internet: www.revistacidadeverde.com.br.

Fonte: cidadeverde.com

PÉROLA DO JORNALISMO PIAUIENSE

A veiculação da matéria acima não tem como objetivo fazer publicidade da revista ridícula que traz o assunto, mas mostrar aos policiais civis que não costumam ler todos os “sites” da capital, essa PÉROLA DO JORNALISMO PIAUIENSE. Abstenho-me de fazer qualquer comentário neste momento para não correr o risco de cometer injustiça ou ser deselegante com pessoas por quem tenho tanta estima e consideração, todavia, peço – OLHEM BEM, JULGUEM VOCÊS MESMOS e evitem comentários. Amém.

Wagner Leite

Fonte: sinpolpi.com.br