domingo, 22 de janeiro de 2012

MULHERES DE BACABAL : AGREDIDAS, VIOLENTADAS E DESABRIGADAS.

* Policiais do 4º Distrito investigam um possível incêndio criminoso provocado no bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina. Um mulher, identificada como Adriana Vasconcelos da Silva, denunciou que o ex-marido teria tentado matá-la ateando fogo em sua residência. O incêndio aconteceu por volta das 2h40 da madrugada deste sábado (21). O acusado, Lívio Webert Pereira de Sousa, teria ateado fogo nas mesas de plástico e no teto da casa da ex-mulher. 
** Um homem, identificado apenas como Marquinhos, está sendo acusado de ter matado a esposa com golpes de faca na noite desta sexta-feira no bairro Poty Velho, zona Norte de Teresina. A vítima foi identificada como Carliene. Segundo depoimentos de vizinhos do casal, eles estavam juntos à 3 meses e teriam discutido por ciúmes. Um filho da vítima ter presenciado o crime.
*** Um dentista de 60 anos de idade está sendo acusado de ter incendiado o carro de sua ex-namorada porque não admite que ela dirija acompanhada de outros homens. O crime aconteceu na noite desta quarta-feira (18) em Vila Velha (região metropolitana de Vitória). O homem foi preso no centro de Vila Velha após o incêndio ter sido contido pelo porteiro do prédio da ex-namorada do dentista, com a ajuda de um rapaz que passava pelo local. 
 Sabemos que estes são só alguns exemplos de violência que estamparam os noticiarios dessa semana. Em Bacabal não acontece diferente. A motivação é sempre a a mesma: Ciúmes e inconformismo com o fim do relacionamento. E sob esta motivação as mulheres tem sido vitimas de agressões cada vez piores. Vidas interrompidas, ceifadas covardemente, destinos alterados. Os autores são os namorados, maridos, ficantes, a verdade é que as ocorrências policiais tem dado conta de uma realidade cada vez mais gritante de violências praticadas contra as mulheres. Culpá-las, acredito, não resolve o problema, pelo contrário, o mascara o suficiente para fazê-lo crescer diante dos nossos olhos.  
Em qualquer lugar do Brasil, o número de ocorrências não é pequeno. As vitimas quase sempre esperam que alguma providência seja tomada no sentido de protegê-las das ameaças que quase sempre dão inicio a essa pratica de violência.
Em Bacabal, só neste inicio de ano várias mulheres já foram atendidas. Três medidas protetivas já foram feitas, mas nenhum passo foi dado no sentido de viabilizarmos a casa abrigo, espaço imprescindivel para tantas mulheres vitimas que não tendo para onde ir, permancem em casa sob constantes agressões.A denúncia é apenas o primeiro passo. A medida protetiva a medida legal para coibir essa violência. Mas precisamos de muitos mais. 
Não é dificil verificar casos de mulheres dadas por desaparecidas quando na verdade são mortas e enterradas pelo próprio criminoso. Há poucos dias uma prisão foi efetuada pelo Delegado Regional, JADER ALVES, e sua equipe, acompanhados de policiais originários da cidade de Brasilia. O criminoso matou a companheira, enterrou seu corpo no quintal de uma casa e se homiziou do local do crime. Depois de preso, aqui nas proximidades da cidade de Bacabal, narrou sem remorso as cenas do crime afirmando o de sempre: não se conformou com o fim do relacionamento.  
 
Politicas Politicas de combate a violência são necessárias e não se resume ao atendimento na delegacia, ou à concessão de uma medida protetiva muitas vezes desrespeitadas pelo agressor. Nossa atitude e  compromissso frente a esse problema também faz parte dessa mudança. Para acabar com essa violência, essa covardia e essa impunidade não devemos nos omitir. COBRAR, DENUNCIAR, FAZER ACONTECER precisa fazer parte da nossa ação! 
E a gente pode começar agora, perguntando: CADÊ A CASA ABRIGO PARA MULHERES VITIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA ? NÃO EXISTE AINDA EM BACABAL, POR QUÊ ?