terça-feira, 30 de agosto de 2011

REMIÇÃO PELO ESTUDO

Maranhão tem 4º pior percentual de detentos que estudam

Desde junho, os presos brasileiros têm direito a reduzir um dia da sua pena a cada três dias dedicados ao estudo. O objetivo é ajudar os detentos a conseguir emprego quando forem soltos e diminuir a reincidência, mas a medida corre risco de não sair do papel. Dos cerca de 500 mil presos no Brasil, apenas 8% estudam, segundo pesquisa inédita obtida pelo Estadão Online. No Maranhão, apenas 1,3% dos 5.517 presos que formam a população carcerária do estado estudam. O percentual significa pouco mais de 70 presos. O Maranhão só ganha de Paraíba (0,5% de 8.052); Roraima (0,2% de 1.695); Amapá (0,2% de 1.822); e Pará (0% de 9.680).
Fonte: http://www.jornalpequeno.com.br/

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

29 de Agosto - Dia Internacional contra Testes Nucleares

NÃO SEJA INDELICADA COM SEU FILHO!

Muitas cenas me entristecem nos atendimentos nesta delegacia, mas nenhum me impõe maior sofrimento do que presenciar tamanha indelicadeza das mães para com seus filhos. A relação entre mães e filhos são de uma estranheza! Afeto não é possível se perceber, de sobra muita mágoa, falta de compreensão e ausência de qualquer diálogo. Xingamentos, isso é o que prevalece! Mas, a mãe justifica seu comportamento numa narrativa triste dirigida ao filho ao dizer: “tu é uma desgraça, desde o dia que tu nasceu minha vida é um inferno, tu não presta desde pequeno, e eu já estou é cansada, pois se tu desaparecesse eu ia ter era paz...”. Em resposta a tanta agressão ressalta com olhar e sentimento de revolta o filho: “olha só o que ela diz, até parece....nunca cuidou dos filhos, deixou a gente com a vó para ficar com preso, nunca quis saber de mim, gosta é de ir para as pedrinhas ver o macho dela...eu não ligo de morrer, de ficar preso, quem sabe se eu for preso ela cuida de mim, ela não gosta de preso?!”. Deprimente diálogo. E o pior é que ele se repete entre mães e filhos que chegam nesta delegacia. Daí não ser difícil entender porque mesmo com tão pouca experiência de vida e tão pouca idade essas crianças e adolescentes apresentam discurso e ação de extrema agressividade e desprovidas de qualquer referência familiar que lhe transmita segurança e bem estar. Nesse caso, a rua acolhe, a droga vicia, o crime acontece, assim como um fim de vida precoce. Mais que indelicadeza o que presenciamos é falta de amor, de afeto. A essas mães sempre digo: sejam afirmativas na educação dos seus filhos, porém, jamais indelicadas!

Márcia Gardênia.
29.08.11
.              

domingo, 28 de agosto de 2011

MARCHA DAS VADIAS

Juro por Deus que eu não sabia desse MOVIMENTO....
 
De shorts curtos, minissaias, decotes e quem preferir pode ir até mesmo de calcinha e sutiã, mulheres organizadas sairão amanhã, por volta das 9:00h pelas ruas da cidade de Belém/Pa. A ideia é mostrar que as mulheres são livres para se vestir como quiserem em uma manifestação bem diferente.

Essa caminhada já ocorreu em várias cidades do mundo e teve início após um policial afirmar durante uma palestra em uma universidade em Toronto que as mulheres deveriam parar de usar roupas de vadias, "slut", em inglês, para evitar estupros.

A declaração do policial inspirou um movimento que tomou conta de cidades como Los Angeles, Chicago, Estocolmo, Amsterdã e Edimburgo, chegando ao Brasil, em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Brasília, Salvador, entre outras, e agora em Belém.

"É importante que a capital paraense participe desse evento, porque ele é também um protesto contra a violência. Estamos comemorando os cincos anos da Lei Maria da Penha pedindo que o Estado intervenha nessa questão, porque as estatísticas provam que, hoje, o Pará é o terceiro estado no ranking de queixas de violência contra a mulher. São mais de 237 queixas a cada 50 mil mulheres paraenses. Somando um total de mais de quinze mil queixas em menos de seis meses", denuncia Rafaela Rodrigues, à frente da Comissão Geral da Organização da Marcha em Belém.

Márcia Gardênia
27.08.11

Fonte: http://www.orm.com.br/amazonia/

sábado, 27 de agosto de 2011

Polícia Federal cria perfis no Twitter, Youtube e Facebook

A Polícia Federal (PF) se rendeu aos encantos das redes sociais e criou perfis no Twitter, no Facebook e no Youtube. A partir de agora, policiais federais vão interagir com os internautas.A Polícia deverá divulgar a deflagração de operações e outras importantes ações da corporação amplamente.
Os policiais esperam também receber informações úteis para investigar ou mesmo se antecipar a crimes e distúrbios sociais.
“Com essas ações a PF procura, além de divulgar as suas ações, manter um relacionamento direto com toda sociedade, que usa cada vez mais a Internet para fazer contato com os órgãos governamentais”, diz a PF.
O perfil no Twitter é @agenciapf.
No Youtube, conta com o canal PFnaTela.
Agora é esperar para que nós também possamos dispor do acesso a essas ferramentas, pois para nós é difícil trabalharmos com o blog quando não temos seu acesso liberado.
Esperamos em breve a compreensão por parte dos nossos gestores da importância dessas ferramentas de interação rápida. Polícia é isso: rapidez, interação, noticia.
Quaisquer outras justificativas hoje para impedir o acesso a essas ferramentas se configuram apenas falta de visão, resistência boba a um tempo que chegou para ficar.
Enquanto não temos liberdade de acesso a essas ferramentas vamos continuar fazendo o acesso unico e exclusivamente de máquinas pessoais.

Márcia Gardênia.
27.08.11 

Fonte: www.luiscardoso.com.br/

12ª Semana do Encarcerado é encerrada com termo de parceria.


SÃO LUÍS - A Secretaria da Justiça da Administração Penitenciária (Sejap) encerrou as atividades da 12ª Semana do Encarcerado em uma solenidade realizada no Presídio São Luís, . ressaltou que o documento possibilita que o sistema prisional seja atendido de forma mais eficaz pelas políticas sociais do Estado. 

O Termo de Parceira foi assinado pelas Secretarias de Estado da Mulher, Igualdade Racial, Desenvolvimento Social, Tribunal de Justiça, 1ª Vara de Execuções Criminais, 2ª Vara de Execuções Penais e Conselho de Direitos Humanos da OAB.

Oradora oficial do termo, a secretária da Mulher, Catharina Bacelar, destacou as ações da Semu em parceria com a Sejap. “Desde o início do ano realizamos um trabalho de reconhecimento das mulheres em situação de prisão e, por meio deste termo, será possível qualificar junto ao sistema prisional, mais medidas eficazes para reintegrar estas pessoas à sociedade”.

Integrando ainda a programação foi realizada na Penitenciária Feminina de Pedrinhas uma palestra com as mulheres apenadas. O objetivo da ação foi discutir a importância de cursos profissionalizantes para a reinclusão social da mulher apenada no mercado de trabalho. Na palestra, o secretário Adjunto de Desenvolvimento e Articulação Institucional, tenente-coronel Antônio Roberto dos Santos esclareceu às apenadas a relevância de cursos de alfabetização e profissionalizantes.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

EM ANO DE ELEIÇÃO, JORNAIS NÃO COBREM PROGRAMAS DE GOVERNO SOBRE DIREITOS DAS MULHERES.

 COBERTURA IGNORA POLÍTICAS PÚBLICAS.
Temas como a participação feminina na disputa partidária e as políticas públicas de promoção dos direitos das mulheres ficaram fora do eixo central de interesse dos meios, sendo que, no período monitorado, 41% das matérias avaliadas tinham como foco as eleições. A pesquisa integra uma série de levantamentos realizados pela ANDI – Comunicação e Direitos e pelo Instituto Patrícia Galvão, no âmbito de projeto desenvolvido com o Observatório Brasil da Igualdade de Gênero, da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Governo Federal.  As propostas de políticas e programas de governo voltados para as mulheres praticamente não aparecem no noticiário. Dos textos analisados, menos de 2% mencionam ações do poder público, como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres ou o Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial. Da mesma forma, os veículos deixaram em segundo plano assuntos como a destinação de 5% dos recursos do fundo partidário para promoção da participação das mulheres na política e a necessidade dos partidos preencherem a cota mínima de 30% de candidatos/as para cada sexo ”

Saiba mais: http://www.agenciapatriciagalvao.org.br

DELICTA FACTIS PERMANENTIS : MARCAS DE UM DELITO INVISÍVEL. Tese de Mestrado defendida por Flávia Melo da Cunha.

Em breve incursão pelas bibliotecas digitais das nossas Academias encontrei uma pesquisa interessante e que muito bem discute a temática da violência no âmbito prático da delegacia de polícia. A pesquisa propõe a análise da violência física na modalidade grave sob duas perspectivas. Na primeira, o processo de sua ocultação na prática da Delegacia Especializada em Crimes contra a mulher. Na segunda, a reconstrução da narrativa do fato criminoso pela mulher vitima.
O estudo analisa diferentes representações da violência contra a mulher, expressas no modo como esta é classificada nas práticas policiais: lesão leve, lesão grave ou gravíssima?  O resultado da pesquisa mostrou o quão ambivalente é a relação entre parâmetros legais de atuação policial, práticas policiais e expectativas das mulheres vítimas, diante do crime de lesão grave. A pesquisa verificou formas diversas de tratamento para os conflitos que resultam em lesões graves. Ora assim considerado, ora não. 
 
Como refletir a questão proposta, no âmbito prático da DEAM/Bacabal ? 

A lei é clara. Vários são os tipos de violência. E quando se configura lesão corporal (Art. 129, CPB) pode ser leve, grave ou gravíssima. Não nos escusamos do cumprimento legal do correspondente procedimento policial para o crime praticado, e para isto, é muito comum precisamos fazer um trabalho árduo de convencimento da própria mulher que teme as conseqüências de uma ação sua contra seu agressor. Não minimizamos as dores femininas, fazemos o nosso juízo de valor, mas não é nosso papel julgar, nem condenar. Para haver uma agressão física não é condição de imprescindibilidade marcas pelo corpo, como costuma pensar a vítima. O primeiro passo é o exame pericial. O segundo é a composição do procedimento policial. Não configurar o crime na tipicidade que lhe cabe pode acontecer por diversos fatores. Agora, minimizar o discurso da vitima para não fazer procedimento criminal, ignorado a real situação de violência sofrida, isso não pode! Por isso, se acontecer com você, mulher vitima, já sabe, DENUNCIE!

COMPRA PREMIADA. FIQUE DE OLHO!

Fazenda alerta sobre golpes da 'compra premiada'

Ministério da Fazenda divulgou um alerta nesta quinta-feira (25) a respeito da captação irregular de poupança popular. O Ministério da Fazenda divulgou um alerta hoje a respeito da captação irregular de poupança popular, em operações batizadas como "venda premiada", "compra premiada" e "quita já", entre outros. A prática, de acordo com o Ministério, não passa de um golpe antigo, conhecido como "pirâmide", mas com nova roupagem.

O golpe funciona da seguinte forma: as empresas atraem consumidores com a promessa de adquirirem um bem móvel, como motocicletas, por exemplo. Para isso, formam grupos de participantes que pagam parcelas mensais e concorrem a sorteios do bem contratado. Quando sorteado, o contemplado deixa de ser obrigado a pagar as demais parcelas e outro consumidor é inserido no grupo.

Operações com essa sistemática de funcionamento não serão autorizadas pela Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda por não serem reconhecidas como captação antecipada de poupança popular.

A análise da Seae é que essas operações não são viáveis financeiramente e que a exigência de substituição da pessoa contemplada por outro consumidor caracteriza uma fraude há muito tempo recriminada, conhecida como "pirâmide".

Esse tipo de fraude não está enquadrado na lei que disciplina as operações de captação antecipada de poupança popular.

A Seae detectou que essas operações são mais comuns nas regiões Norte e Nordeste, mas já começam a borbulhar em grandes centros urbanos.A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, órgão jurídico consultivo do Ministério da Fazenda, avaliou que essas práticas não constituiriam consórcios, mas "operações de captação de poupança antecipada atípica".

"A Seae esclarece que, no desempenho de suas atribuições de fiscalização, vem instaurando processos administrativos em desfavor de empresas que operam com a mecânica da "venda premiada", sem prejuízo das sanções penais e civis a que se sujeitam tais empresas".

Entre as cidades fiscalizadas, foram autuadas empresas em Camocim (CE), Imperatriz (MA), Bacabal (MA), e Colmeia (TO).
Fonte : http://www.liberal.com.br

MAIS UM CASO DE ABUSO SEXUAL

SÃO LUÍS – Mais um crime de abuso sexual no Maranhão. Desta vez, o fato aconteceu em um assentamento a 36 km do município de Sítio Novo do Maranhão. Edilson Cirqueira Paiva, de 40 anos, foi denunciado pela filha mais velha, de 18 anos, que disse à polícia que o pai a obrigava a ter relações sexuais, sob a ameaça de um facão, quando ela ainda era menor de idade.  A jovem disse que o pai a obrigava a ter relações sexuais, sob a ameaça de um facão. A filha mais nova, de 11 anos, fez exames no IML, que confirmaram o abuso.

A violência sexual é uma das formas mais cruéis de violação do direito à dignidade, ao respeito e à liberdade da criança e do adolescente. Muitas vezes é praticada por membros da própria família. É por demais doloroso pensar que justamente aqueles/as que deveriam assumir maior responsabilidade, se preocupar  em assegurar a integridade física e moral dessas pessoinhas ainda em formação, em muitos casos, são os/as que mais descuidam, negligenciam e maltratam. É muito comum a figura do abusador ser, no caso das meninas, um pai, padrasto, irmão mais velho, um parente próximo qualquer, ou mesmo um vizinho. Pessoas que se aproveitando da inocência de menores incapazes de se defender sozinhas, violam a inocência, abusam da confiança e do poder a eles conferido de cuidar. 

Quando o abusador é o pai ou o padrasto, torna-se ainda mais delicado o problema. Para combater esse tipo de crime, não se omita, faça a sua parte
                              DENUNCIE!
Fonte: http://imirante.glob.com

INDIAS DE TODO BRASIL JÁ REVELAM CASOS DE AGRESSÃO


Em entrevista ao programa Brasileiras (TVNBR), LEIA BEZERRA, coordenadora de Gênero e Assuntos Geracionais da Fundação Nacional do Índio (Funai), falou sobre a violência contra a mulher indígena brasileira e a Lei Maria da Penha.
Ela  explicou como funcionam os seminários que a Funai realiza para esclarecer os homens indígenas sobre a Lei Maria da Penha, como forma de prevenção contra a violência que recai sobre as mulheres indígenas, pois desde que os hábitos do mundo externo foram introduzidos nas aldeias, como o alcoolismo e uso de drogas, a violência contra a mulher indígena cresceu. Até 2012, a Funai realizará 13 Seminários sobre os Direitos dos Povos Indígenas e a Lei Maria da Penha com os homens indígenas. É um trabalho de informação e prevenção contra todas as formas de violência que recaem sobre as mulheres. Já foram realizados três seminários: em Cuiabá com a participação de 30 homens; em Manaus, com a participação de 35 homens; e em Maceió, com a participação de 30 homens.

Participação política: Uma das ações da Coordenação de Gênero e Assuntos Geracionais da Funai é a promoção da participação direta das mulheres e jovens indígenas nos espaços políticos. Além disso, as ações incluem a capacitação das mulheres para atuação no âmbito dos Comitês Regionais da Funai. 

Fonte: http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/

ESTUDANTE DE DIREITO É ASSASSINADA NA CIDADE DE TERESINA


FERNANDA LAGES VERAS foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (25) nas obras da nova sede do Ministério Público Federal na cidade de Teresina/Pi.  A estudante de Direito foi achada com marcas de golpes na cabeça, um braço fraturado, unhas quebradas e outros indícios de que teria tentado se defender de um homicídio. Seu corpo foi liberado no final da tarde pelo Instituto Médico Legal para ser velado e sepultado em Barras/Pi.  A perícia aponta que a jovem foi morta entre 5h e 5h30 e não encontrou indícios de violência sexual em seu corpo, informou o delegado que segue com as investigações para apuração do crime em todas as suas circunstâncias e autoria delitiva.  

Sobre o crime, a delegada da Mulher diz que "foi um crime perverso, com requintes de crueldade e deixa no ar vários questionamentos como, por exemplo: Por que aquele prédio? Por que espancamento? Com quem ela esteve? Todas as hipóteses serão investigadas".Para Vilma (foto), "a intenção foi somente eliminá-la. O braço direito quebrado indica que ela tentou se defender", afirmou a delegada, que aproveitou para falar da necessidade de um trabalho de conscientização e que as mulheres precisam proteger-se. "As mulheres têm que se preocupar, não podem andar sozinhas, se ameaçadas, devem denunciar", disse a delegada.
Fonte: http://www.cidadeverde.com/

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

DEAM de Timon aponta aumento de denúncias de violência contra a mulher

Até o mês passado, a Delegacia da Mulher de Timon registrou mais de 600 ocorrências de violência contra a mulher timonense, isso reforça o discurso da Delegada Wladia Holanda (foto), que anunciou durante a III Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, promovida pela Prefeitura de Timon, através da Secretaria Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, o aumento das denúncias violência contra as mulheres no município.
Segundo dados da delegacia, no ano passado foram registrados 1.187 casos, por isso o registro dos primeiros seis meses de 2011 tendem a registrar um aumento significativo. Por conta do aumento dos registros, a Delegacia da Mulher está levantando um diagnóstico completo para estabelecer uma ação com medidas que visem diminuir a crescente violência.
“Estamos fazendo um perfil das mulheres que são agredidas em Timon inclusive apontando os bairros mais violentos para que a Delegacia possa disseminar o trabalho da polícia judiciária e assim agregar redes de proteção estabelecidas da Lei Maria da Penha. Enquanto isso, a policia está fazendo sua parte.
Wladia Holanda aponta o uso de drogas como uma das possíveis causas para o aumento da violência contra a mulher, segundo as próprias denúncias recebidas diariamente na delegacia. Hoje a droga chega de forma mais rápida dentro dos lares.  
A delegada aposta numa maior divulgação das leis para inibir os agressores. Para ela muitas mulheres agredidas ainda são omissas e, que ao invés de procurar a delegacia para resolver o problema acabam procurando outros locais. Ressalta Wladia que se houve um aumento que está registrado e documentado significa que de alguma forma está surtindo efeito os esclarecimentos à lei. “O que precisa melhor é a conscientização da convivência dentro do seio familiar”, finaliza Wladia Holanda.



FONTE: BLOG DO RIBINHA.

DISCURSO CHARGÍSTICO

 

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

PERCEPÇÕES SOBRE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER


GRÁVIDA SEM ATENDIMENTO MÉDICO PERDE FILHOS GÊMEOS

Presa em flagrante delito em virtude de omissão de Socorro em desfavor de WANESSA DO SOCORRO DE CASTRO, grávida de gêmeos que teve atendimento médico negado, depois de se dirigir a Maternidade Santa Casa na cidade de Belém, quando já entrava em trabalho de parto, esse é mais um caso de saúde pública que vira caso de polícia.

As respostas para esses tipos de crimes vêm sempre da mesma forma. A primeira manchete é O GOVERNO JÁ TRANSFERIU , JÁ EXONEROU. E ISSO É TUDO! Como se essa fosse a principal resposta esperada pela população que sofre dia a dia com o descaso que virou a saúde publica do nosso país. É mais que vergonhosa essa situação. HÁ POUCOS DIAS O PAÍS FOI CONDENADO PELA ONU POR VIOLAR DIREITO DAS GRAVIDAS. CONTINUA VIOLANDO!

E isso acontece Brasil a fora, em Belém, em Florianopólis, em Bacabal, as queixas não cessam. As apurações seguem por conta da policia. Se terão esses fatos autoria delitiva definida e elementos de apuração suficientes para ter configurado o delito que se investiga, isso nem sempre o tempo diz. Para nós, é rezar e contar com a sorte diante da necessidade de assistência médica, direito previsto constitucionalmente no seu Art.6º como direito social.   
FOI  VÍTIMA? COBRE! EXIJA! DENUNCIE!
Dignidade Humana já!
           
 TROCADAS PELAS MAIS JOVENS

É comum audiências nesta delegacia em virtude de brigas envolvendo mulheres que se relacionam com o mesmo homem. As esposas e companheiras geralmente fazem acusação de perturbação da tranqüilidade, se dizem incomodadas no seu lar pelas constantes ligações telefônicas recebidas com intuito de provocação. Há injurias, às vezes até lesões corporais, e sempre há sofrimento, principalmente da mãe de família que tem que conviver com o desejo de proteção da sua família. Em regra, a queixa das mesmas envolvem mulheres mais jovens como sujeito provocador de tantas desarmonias entre o casal. Eis uma questão que merece atenção por parte das mulheres. Quando trocada por outra mais magra, pode fazer dieta, passar fome, emagrecer às custas de muito remédios, shakes diversos ou outras receitas mirabolantes. Se é por uma mais bonita, às vezes é possível até mudar o rosto, afinal contamos com peeling de cristal, DMAE, incursões cirurgicas etc. Se é por outra mais rica, não é impossível se trabalhar com afinco, e em um investimento pessoal a longo prazo se garantir riqueza ainda maior. Quem sabe até uma loteria! Entretanto, se a troca envolve uma mulher mais jovem, fica difícil lidar com essa situação se a opção é de equiparação. Ah! Isso não dá!
Sob os mais diversos fatores (ciúme, incompatibilidade de opinião, traição, agressão física, abuso de álcool e drogas, troca de mulheres mais velhas por mais jovens etc) as separações entre casais tem sido crescente. 
É comum quando a separação envolve traição gerar para a pessoa traída a destruição da autoestima e estado de depressão. São muitos os medos e as dúvidas, e por esses motivos o sofrimento se alonga. Idas e vindas, brigas e mais brigas numa relação que já envolve três pessoas, quatro, cinco ou mais, quando os filhos também já foram envolvidos nessa questão.
A verdade é que em muitos casos essas traições são experiências fortuitas e ocasionais. Mas, e quando é uma constante? Acredito que é hora de se parar e refletir seriamente sobre os ideais de vida e de relacionamento.
"Um bom casamento teria uma mulher cega e um homem surdo " . (Montaigne). 
SERÁ?!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ONU CONDENA O BRASIL POR MORTE DE GRÁVIDA


 O Brasil FOI CONDENADO pela Organização das Nações Unidas (ONU) por violar direitos humanos de grávidas. O caso que levou a essa decisão é o de - Alyne Pimentel Teixeira

12 de novembro de 2002 - Alyne Pimentel Teixeira, grávida de seis chegou à Casa de Saúde Nossa Senhora da Glória, em Belford Roxo, no Rio. Com náuseas, voltou para casa com a prescrição de um remédio. Retornou no dia seguinte ao local e foi internada. Uma ultrassonografia mostrou que o feto estava morto e o parto foi induzido. Dois dias depois, a família foi informada de que Alyne tinha hemorragia e não conseguia respirar. Transferida de hospital, morreu no dia seguinte.
Porque a justiça brasileira nunca deu resposta ao caso, o mesmo chegou à ONU em 2007 e hoje somente agora saiu a decisão. O resultado é uma vitória do Brasil e do mundo, já que é o primeiro caso de mortalidade materna analisado internacionalmente.
A decisão estabelece que o governo brasileiro deve indenizar a família de Alyne, além de garantir o direito das mulheres aos cuidados obstetrícios de emergência, oferecer formação profissional adequada aos profissionais da saúde e punir aqueles que violarem os direitos reprodutivos das mulheres.

"Esperei por nove anos. Eu quase já não tinha esperança de que algo acontecesse". Lourdes Silva, mãe de Alyne Pimentel Teixeira.
MULHERES COM DIGNIDADE HUMANA TÊM GRAVIDEZ COM SAÚDE! Você mulher vítima, não se cale, DENUNCIE!

domingo, 21 de agosto de 2011

TELHA DE VIDRO

Quando a moça da cidade chegou
veio morar na fazenda,
na casa velha...
Tão velha!
Quem fez aquela casa foi o bisavô...
Deram-lhe para dormir a camarinha,
uma alcova sem luzes, tão escura!
mergulhada na tristura
de sua treva e de sua única portinha...

A moça não disse nada,
mas mandou buscar na cidade
uma telha de vidro...
Queria que ficasse iluminada
sua camarinha sem claridade...

Agora,
o quarto onde ela mora
é o quarto mais alegre da fazenda,
tão claro que, ao meio dia, aparece uma
renda de arabesco de sol nos ladrilhos
vermelhos,
que — coitados — tão velhos
só hoje é que conhecem a luz do dia...
A luz branca e fria
também se mete às vezes pelo clarão
da telha milagrosa...
Ou alguma estrela audaciosa
careteia
no espelho onde a moça se penteia.

Que linda camarinha! Era tão feia!
— Você me disse um dia
que sua vida era toda escuridão
cinzenta,
fria,
sem um luar, sem um clarão...
Por que você não experimenta?
A moça foi tão bem sucedida...
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

                        Rachel de Queiroz

sábado, 20 de agosto de 2011

DEAM DE SÃO JOÃO DOS PATOS-MA

Parabenizamos vocês pela criação deste espaço de informação, compartilhamento, meio de conscientização e mais um veículo de integração da polícia civil e da sociedade. Somente com atitudes positivas que conseguimos mudar velhas concepções injustas tidas como certas, imutáveis, verdadeiras e incontestáveis.
A UNIÃO das mulheres e dos homens fortalece e engrandece a sociedade, pois isso se dar pela conscientização, primeiro e verdadeiro fator de crescimento humano, e pela iniciativa de pessoas corajosas, honestas, justas, sensíveis e com visões contemporâneas, reais, verdadeiras, como vocês.
Josélia Freitas

São João dos Patos/Ma. 19/08/2011.

TEMPO DE SER FELIZ


A decisão de ser feliz está nas tuas mãos.
O tempo de ser também.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

SIMBOLO DA MARCHA DAS MARGARIDAS











Margarida Maria Alves morreu aos 50 anos. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande – terra natal de Jackson do Pandeiro –, na Paraíba, estava diante de sua casa no final da tarde de 12 de agosto de 1983 quando um pistoleiro em um Opala vermelho disparou um tiro de escopeta que atingiu seu rosto.
O crime teve repercussão internacional, mas, como tantos outros, ficou impune. O dia 12 de agosto ficou conhecido como Dia Nacional de Luta contra a Violência no Campo.A Marcha das Margaridas inspirou-se nesse fato trágico e ocorreu pela primeira vez em 2000, e desde então teve outras edições em 2003, 2007, 2008 e 2009, sempre definindo uma pauta de reivindicações a serem entregues aos representantes dos poderes públicos federais.
O evento é organizado pelo Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (composto pela própria Contag, 27 federações e mais de 4 mil sindicatos), em parceria com 11 organizações nacionais e internacionais. Como slogan 2011 razões para marchar por desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade  nesse momento ocorre em Brasília a 4ª marcha das Margaridas e o que se deseja é denunciar, protestar contra a fome, a pobreza e todas as formas de violência, exploração, discriminação e dominação, avançando na construção de igualdade para as mulheres.
Duas cartilhas foram lançadas na Marcha das Margaridas. A cartilha “Lei Maria da Penha: Uma conquista de todas as mulheres” E a segunda cartilha, “Igualdade de Remuneração entre Homens e Mulheres: experiências de desafios”. 
         SAIBA MAIS: http://www.contag.org.br/hotsites/margaridas/entre.php

terça-feira, 16 de agosto de 2011

PATRICIA ACIOLI - LINHA DURA



 “ Crimes covardes contra a pessoa de magistrados constituem atentados à independência do Judiciário, ao Estado de direito e à democracia brasileira”.
                                                                                         Ministro César Peluso.
             “        O NASCER PARA O ALÉM...
Há quem morra todos os dias.
Morre no orgulho, na ignorância, na fraqueza.
Morre um dia, mas nasce outro.
Morre a semente, mas nasce a flor.
Morre o homemm para o mundo, mas nasce para Deus.
Assim, em toda morte, deve haver uma nova vida...     
Morre a juíza, fica o exemplo na memória e na inspiração daqueles que acreditam que é tão possível quanto necessário ligar o Direito à Justiça!

domingo, 7 de agosto de 2011

DEAM BACABAL-MA



A Delegacia da Mulher de Bacabal foi criada no ano de 1998. Desde sua origem esta delegacia tem desenvolvido suas atividades de combate a violência contra a mulher, com o compromisso conjunto de atender a criança e o adolescente, o idoso e também o menor infrator.  Para efetivação de um trabalho que vem sendo ampliado e melhorado esta delegacia já contou ao longo desses anos com a colaboração das delegadas LUDILENA ALMEIDA, JANAINA CARDINALE, CLAUDIA PERES. 
Ciente do fiel compromisso que deve assumir no combate da violência contra mulher em todas as suas formas, a Delegada CLENIR REIS estar à frente desta delegacia desde o ano de 2006 vem implementando mudanças no sentido de melhor atender essas mulheres vitimas. Para isto, um dos  grandes desafios desta Especializada é a incorporação do desafio da adequação de sua atuação aos desafios de novas realidades sociais, no exercício de suas atribuições de prevenir, registrar, investigar e reprimir atos ou condutas baseadas no gênero que se configurem crimes.
Nesta data, 07.07.2011, onde se comemora 05 anos da Lei Maria da Penha, esta Delegacia Especializada, através da sua equipe de trabalho reafirma o seu compromisso de combater qualquer tipo de violência de gênero a partir de uma “escuta atenta, profissional e observadora, de forma a propiciar o rompimento do silêncio, do isolamento destas mulheres e, em especial, dos atos de violência, aos quais estão submetida.”

sábado, 6 de agosto de 2011

O QUE MOTIVA O SILÊNCIO? AMOR OU MEDO?

Neste mês em que a Lei Maria da Penha completa 05 anos, conversando com algumas mulheres que conseguiram vencer a barreira do medo e se dirigiram até a delegacia para denunciar as agressões sofridas, testemunhei um discurso abreviado pela vergonha de tantas marcas. No corpo os hematomas, no rosto as lágrimas tristes e na alma a revelação de uma dor que parece não ter fim. Como justificativa pela demora em denunciar as agressões repetidas ao longo de tanto tempo todas afirmaram medo de não conseguir deixar o companheiro e ter apenas piorada as agressões. O medo parece ser maior quando essas mulheres tem filhos. Sobreviver sozinha sem ajuda financeira já não é a principal razão para agüentar tanta violência. Como compreender a realidade dessa violência em lares em que as mulheres são as únicas provedoras.  A violência psicológica é muito presente na fala de cada mulher. Sentindo-se intimidadas pela suas próprias incertezas e diante do medo de seguirem sozinhas terminam assumindo sozinhas a culpa pelo fracasso da relação. Temendo o futuro se agarram as promessas reiteradas e não cumpridas dos seus companheiros de uma mudança de comportamento que nunca chega. Cada vez se sentindo mais culpadas por uma situação que sozinhas não conseguem mudar se tornam reféns de si mesmas. Mesmo cientes de que muitas vezes a origem de tanta violência está nas drogas e no álcool optam por se imobilizarem diante do sentimento de pena dos seus companheiros. Daí seguem dando uma chance, duas, três, quatro.... Nas três ultimas prisões realizadas no período de 27 de julho a 01 de agosto, todas as vitimas retornaram a delegacia no dia seguinte para ter noticias. Desde então estão presentes nas visitas e dizendo não estarem arrependidas de terem denunciado as agressões sofridas se dizem dispostas a retomar a relação. Confiança em si mesma, auto estima, perspectiva de mudança, esses são sentimentos ausentes nessas mulheres. Muitas delas até chegam a dizer “a culpa é minha, todo homem que eu arranjo é do mesmo jeito. Com esse eu só estou junta, mas meu primeiro marido era ainda pior que esse”. Envolvidas por um sentimento de fracasso passam a assumir a culpa pela relação fracassada e toda família sofre com essa violência. Se abrem para a dor como se fosse natural os tapas, os xingamentos, a humilhação e toda tipo de violência sofrida. No inicio deste ano pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o SESC revelou que A CADA DOIS MINUTOS CINCO MULHERES SÃO AGREDIDAS VIOLENTAMENTE NO BRASIL. Estatística que só mostra o tamanho do desafio que ainda é o combate a violência de gênero. Precisamos de uma aplicação mais rigorosa da lei. Ignorar o crime sob a visão equivocada de  que as mulheres gostam dessa vida de violência faz parte de uma comportamento descompromissado que não ajuda em nada no combate contra esse tipo de violência. A lei prevê mais que procedimentos criminais, prevê atendimento psicossocial que até hoje não temos efetivado. Desconheço em Bacabal locais de acolhimento para essas mulheres vitimas. Na delegacia a força de vontade é bem maior que os recursos disponíveis. No Judiciário, mesmo com tantos avanços a lentidão ainda é sua marca. 
                                                                                                                                   MARCIA GARDÊNIA  

VÍDEOS DE CAMPANHA

EXPRESSÃO FEMININA


Nome: CLENIR REIS
Natural: PEDREIRAS/MA.
Graduação: FILOSOFIA e DIREITO.
Estado civil: CASADA.
Filhos: UM CASAL.
Virtude: PERSISTÊNCIA.
Medo: INJUSTIÇA.
Tristeza:  INJUSTIÇA.
Projeto de vida: ORGANIZAR UMA ONG  EM DEFESA DA MULHER  VITIMA DE  VIOLÊNCIA  COM TRABALHO CONCOMITANTE DE  TRATAMENTO DO AGRESSOR.
Sonhos: MUITOS, ENTRE OS RESTABELECER OS LARES DESTRUIDOS PELA VIOLÊNCIA RESSALTANDO VALORES COMO RELIGIÃO E FAMILIA.
Leitura especial: A BÍBLIA.
Amigos: MEU IRMÃO.
Memória: MINHA INFÂNCIA.
Melhor sentimento: PAZ.
Pior sentimento: INVEJA.
Vida: FELIZ.
Morte: PASSAGEM.
Fim: PODE SER O COMEÇO.       
Um livro: ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA DE JOSÉ SARAMAGO.
Poesia: TENHO TANTO SENTIMENTO - DE FERNANDO PESSOA

Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.



DEAM's do Maranhão


DEAM’s do MARANHÃO
DEAM de AÇAILANDIA.
Del. Noemia Maia Maciel
Rua Marly Sarney, S/N - Centro 65.930-000  Fone:  (99)3538-2199
DEAM de BACABAL
Del. Clenir Maria Reis
Rua Eurico Gaspar Dutra. s/n Centro 65.700-000 Fone:  (99)3621-1025
DEAM de CAXIAS
Del. Ceomar Mendes de Sousa
Rua 08, Q-25, C-15 - Conj. Cohab 65.602-000 Fone (99)3521-2561
DEAM de CHAPADINHA.
Del. Mary Jane Monteiro Lemos.
 Rua Sebastião Barbosa  s/n    Centro 65.500-000 Fone:  (98)3471- 3760
DEAM de CODÓ.
Del. Maria Tecla da Cunha Costa
Rua 31 de Março s/n - São Pedro 65.400-000 Fone: (99)3661-1721
DEAM de IMPERATRIZ.
Del. Pollyanne Souza da Costa
Rua Sousa Lima, 167  - Centro. 65.900-320 Fone:  (99)3524-6722
DEAM de ITAPECURU-MIRIM.
Del. Francisca Adriana Amarante Paixão
BR 222, KM 15  D.E.R. 65.485-000  Fone:  (98)3463-1511
DEAM de PEDREIRAS
Del. Silvana Carvalho Prazeres
Fone: (99)3642-2450
DEAM de PINHEIRO.
Del. Adriana Costa Meireles
Rua D. Pedro I  s/n  - João Castelo 65.200-000 Fone: (98)3381-1334(Reg)
DEAM de PRESIDENTE DUTRA.
Del. Régina Américo Cavalcante de Oliveira
Fone: (99)3663-1455
DEAM de ROSÁRIO.
Del. Claudia Peres Vieira
Rua Pe. Passidônio. s/n. centro. 65.100-000. Fone: 3345-1913
DEAM de SÃO JOÃO DOS PATOS.
Del. Juliana Soares Pires de Oliveira
DEAM de SANTA INES
Del Joselma Márcia Sousa Almada
Rua Barreirinha  1562  -  São Benedito. 65.300-000 Fone: (98)3653-5396
DEAM de TIMON
Del. Wladia Holanda de Lima
Av. Francisco Carlos Jansen,s/n-B.Guarita. Fone:
DEAM de VIANA
Del. Ana Zelia Jansen Saraiva Gomes
Rua América do Sul s/n - Piçarreira 65.215.000 Fone: (98)3351-1599